O que é o Rived?

RIVED é um programa da Secretaria de Educação a Distância - SEED, que tem por objetivo a produção de conteúdos pedagógicos digitais, na forma de objetos de aprendizagem. Tais conteúdos primam por estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes, associando o potencial da informática às novas abordagens pedagógicas. A meta que se pretende atingir disponibilizando esses conteúdos digitais é melhorar a aprendizagem das disciplinas da educação básica e a formação cidadã do aluno.

1ª Atividade a Distância /8 horas

LEITURA DO TEXTO: O cursista ao ler o texto deve direcionar o olhar para o argumento de Spinelli e refletir sobre outras situações de aprendizagem vivenciadas, que tenham sido favorável ao aluno ascender e atingir o cume da pirâmide.

2ª Atividade a Distância/8 horas

LEITURA DO TEXTO: "Repensando a avaliação" de César Nunes, refletindo aspectos importantes de teorias e práticas educacionais como exemplo: um grupo da Faculdade de Educação Harvard, em que o objetivo maior do ensino oferecido por eles deve ser o "Ensino para Compreensão" (WISKE, 1998).
Para nós, educadores temos clareza dos objetivos de aprendizagem em nossas disciplinas? Será que refletimos sobre o comportamento do aluno que compreende totalmente, parcialmente, ou não compreende o que estamos vivenciando com ele?

3ª Atividade à Distância/8horas

LEITURA DO TEXTO: “Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional” de César Nunes, versão para o curso “Como Usar Objetos de Aprendizagem”, fazendo reflexão sobre os contextos para desenvolvimento de multimídia, como: O contexto cognitivo e o contexto de ensino.
Navegação no site: http://rived.proinfo.mec.gov.br para escolha de um objeto na sua disciplina.
Elaboração de um plano de aula de acordo com o Objeto escolhido, orientando-se pelo Guia do Professor. Alternando sala de aula e laboratório para a exploração do objeto, atentando para a construção do conhecimento do aluno.
Enviar pelo e-mail do grupo.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

NTE ATHENEU - Turma:10,11,12 Ana Zélia Lima de Souza

Caríssimo(a) cursista!
Seja bem vindo ao blog, aproveite esse espaço para interagir, objetivando crescimento profissional e respeito ao colega. Portanto divulge suas idéias, troque experiências, registre suas impressões sobre os Objetos de Apredizagem.
Um abração! Ana Zélia

108 comentários:

Cezanildo disse...

O programa oferece uma interação com os temas abordados de forma lúdica e interativa que incentiva o raciocínio e a pesquisa de forma sistemática, já que o mesmo esquematiza as ações que estão sendo contextualizadas visando complementar o assunto abordado, assim o aluno estará em contato direto com a simulação da realidade, facilitando o aprendizado.

PROFESSORES DE BIOLOGIA

Cezanildo Silva de Oliveira - Caiçara do Norte.
José Luiz Araújo - Pedra Preta.
Luiz Eduardo S. do Nascimento - Caiçara do Norte.

Consuelo Nicacio/ Giuliano Melo disse...

Turma 11: CONSUELO NICACIO DA SILVA

GIULIANO MARTINS DE MELO

Os OAs são ferramentas educacionais de grande utilidade para a interatividade professor/aluno. Visto que nossos alunos não encontram na escola a motivação que o mundo virtual lhe proporciona. Agora com os OAs somado à criatividade do professor as aulas ficarão mais prazerosas e dinâmicas, teremos alunos mais atenciosos e motivados , pois eles irão manusear os OAs e com essa prática, fica mais fácil a assimilação de conteúdos trabalhados.

Manoel Paz/Dailou Gomes disse...

As observações realizadas possibilitaram-nos deduzir alguns avanços que inovarão e auxiliarão na metodologia das disciplinas ora estudadas. Podemos destacar dentre esses avanços a possibilidade de interação que o programa vai implementar, melhorando a compreensão dos conceitos, haja vista, permite que o aluno estude de forma simultânea teoria/prática ganhando rapidez na assimilação dos conteúdos.
Abre-se assim, um leque para nova discussões e fontes de mais pesquisas, não restringindo-se somente ao programa. Permitindo o manuseio por parte do aluno de um instrumento não tão comum na sala de aula, o computador.
Observamos que a utilização dos objetos como fonte de estudo, estimulará o interesse pelas aulas, transformando-as num diferencial da aprendizagem e, podemos ainda constatar que a linguagem utilizada é simples e compreensível facilitando na compreensão dos conceitos, refutando com as ilustrações que permitem ratificar o que está se dizendo. Como ressalva o tamanho da letra dificulta a leitura.

Anônimo disse...

Sobre os objetos de aprendizagem.
Achei muito interessante como através das imagens, as informações são transmitidas de forma clara e agradável, despertando assim a atenção do aluno para se interessarem pela disciplina.
A forma animada como é mostrado o funcionamento de uma usina nuclear, é atrativa é de fácil assimilação. Estes recursos sendo utilizados em classe, certamente darão ao professor uma maior amplitude no seu modo de lecionar e, aos alunos, a sensação de aprender de forma descontraída.
A produção de energia nuclear, desperta no alunado a curiosidade pelas ilustrações de seu funcionamento do reator a torres de transmissão.Como a transformações de energia nuclear,cinética e elétrica.

Anônimo disse...

Os objetos de aprendizagens RIVED proporcionam aos educandos um espaço de interação onde virtualmente os mesmos podem apropriar-se do conhecimento de forma prática, facilitando a assimilação dos conteúdos trabalhados em sala de aula.

Anônimo disse...

Os objetos de aprendizagens RIVED proporcionam aos educandos um espaço de interação onde virtualmente os mesmos podem apropriar-se do conhecimento de forma prática, facilitando a assimilação dos conteúdos trabalhados em sala de aula.

José Nicácio/Mª Fátima Silva disse...

Na nossa concepção, o construindo o saber com objetos de aprendizagem RIVED é de fundamental importância para a que o aluno desenvolva as suas habilidades para uma boa aprendizagem. No entanto, entendemos que esse curso vai nos proporcionar um caminho para facilitar e incentivar o alunado a se sentir cada vez mais entusiasmado no que diz respeito a participação nas aulas e conseqüentemente participar mais das atividades, tanto na área de física, matemática, química, biologia, bem como das demais disciplinas.

João Maria Torres/ Francenildo Silva disse...

O tangran é um material didático que permitirá aos alunos desenvolver o raciocínio lógico compreendendo as figuras geométricas de maneira criativa.

O tangran é formado por sete figuras geométricas, sendo 05 triângulos, 01 quadrado e um retângulo,de modo que o aluno poderá anexar estas formas,na criação de diversas figuras.

Francisco Martins Junior/ Fco Carlos Fernandes disse...

Após a exposição da professora multiplicadora,vimos que é de fundamental importância utilizarmos o programa Rived e é importante que este OA sejam trabalhados com os alunos,pois o mesmo é bastante importante no desenvolvimento da aprendizagem.Um dos OA que vimos e analisamos foi o TANGRAN já que este é um jogo que requer raciocínio lógico.

francisco Kléber Pedro da Silva disse...

Essa ferramenta é de suma importância para o fazer pedagógico, desde que seja direcionado de forma correta. O kit multimídia, organizado em objetos de estudo, é mais um instrumento de trabalho que visa facilitar o ensino-aprendizagem, ou seja, através de imagens, exemplos e explicações de maneira clara e precisa séra possível associar a teoria dos conteúdos abordados em sala de aula com objetos de estudo de forma atraente e motivadora.

Maria L. Silva/ Marlene Melo disse...

O Objetivo de usar as ferramentas tecnológicas (informática) como instrumento para serem trabalhados na educação. O uso dessas imagens coloridas e com movimentos dando ênfase as várias áreas do conhecimento, proporcionam e aguça os órgãos sensoriais para melhor compreender,pode-se observar que cada animação direciona a um evento específico de grande importância para um novo fazer pedagógico.

Lília Araújo/Francisca Rosa disse...

Todos os objetos infuenciam de forma positiva na aprendizagem do aluno, pois o mesmo pode visualizá-los , questioná-los, discuti-los com seus colegas, buscando soluções e tirando conclusões, tornando-se mais fácil de se chegar a uma aprendizagem satisfatória.

ReginaldoAlmeida/ClaudionorSouza disse...

O Tangran é uma figura geométrica que colocado como instrumento didático em sala de aula, tem como objetivo principal desenvolver o raciocínio lógico dos nossos alunos, analisando algumas figuras plana, numa forma de montagem entre si, sendo composto por um quadrado, um paralelogramo e cinco triângulo.

AparacidaCâmara/DenizeSilva/GraçaAraújo disse...

Tangran: possibilita no aluno a curiosidade para identificar tipos de figuras geométricas, onde o manuseio facilita e desenvolve o potencial e o raciocínio lógico.
Preciso de oxigênio:Chama atenção para a preservação do meio ambiente, mas os dados estão visíveis: como o desmatamento, a contaminação do solo através dos inceticidas e antibióticos afetado a carne e o leite que é consumido pela sociedade.
Usina nuclear: facilita o entendimento do aluno sobre a importância e utilidade da energia nuclear, como também os perigos e danos irreparáveis que ela pode causar ao ambiente.

Raio da terra :mostra com preciosidade os movimentos que a terra executa em sue proprio eixo e em torno do sol e devido esses movimentos irá identificar dias e noites, estações do ano....

Concluimos que, é de suma importância o uso dos métodos tecnologicos para a formação do corpo docente e discente da comunidade escolar.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

Segundo Spinelli, o professor prepara sistematicamente atividades para auxiliar seus alunos na aprendizagem de determinado conceito. Mas,no entanto, antes das aulas os professores refletem, pesquisam, organizam, selecionam, digitam, recortam, colam, gravam, põem em prática, enfim, o professor procura dentro das suas possibilidades e realidade do aluno e fazer com que essa série de recursos proporcionem ao aluno maior interesse para participar das atividades e conseqüentemente ter uma boa aula.
Com o surgimento dos diversos tipos de canais de televisão, bem como os avanços tecnológicos de informações nossos alunos chegam à escola com uma boa quantidade de informaçoes, maior do vinham em ouros tempos, só que, são informações que na maior parte precisa ser apreciada minuciosamente por parte do professor
O texto faz referencia sobre Machado(2002), onde utiliza a imagem da pirâmide informacional para apresentar suas idéias sobre como compreender alguns termos que rodeiam atualmente as concepções do conhecimento.
A pirâmide informacional vai do patamar inferior onde estão os DADOS, INFORMAÇÕES,CONHECIMENTO e INTELIGENCIA que fica no patamar superior.
De acordo com texto de Spinelli, a atividade educacional e pedagógica, tanto do professor quanto da instituição escolar como um todo, deve ter como meta alcançar o patamar superior da pirâmide informacional.
É preciso refletir também sobre a maneira como no cotidiano,os temas próprios de cada disciplina enredam - se aos das demais, extrapolando os limites aparentes dos planejamentos tradicionais.
Na perspectiva de entendimento global, a análise de um fenômeno dessa natureza não deve ficar restrito à especificidade de uma única disciplina do currículo.
O texto ressalta a importância e possibilidade de que a construção de determinado conceito ocorre na medida em que se amplia a compreensão de seus significados. No entanto, essa importância de significado do conceito seja realizado com base na escolha de contextos significativo para o desenvolvimento de determinado bloco de conteúdos, bem como a possibilidade de usar a tecnologia na composição de algumas situações que denominamos OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM.
O texto ainda menciona, que é possível visualizar uma maneira de mobilizar a maior gama possível de estratégias mentais, de ascender na pirâmide informacional para atingir seu cume; buscar uma nova situação de aprendizagem que, reconhecendo por um lado a limitação do computador sobre o ponto de vista cognitivo, transfira para o aluno - usuário - a tarefa de imaginar, criar e, em essência, construir saberes. Em suma os computadores podem ser utilizados como via importante para a concretização de nossos individuais ou coletivos. UM OBJETO VIRTUAL DE APRENDIZAGEM, utilizando de maneira correta será de fundamental importância na aprendizado dos alunos, levando - se em consideração o papel dos estudantes que são considerado na minha concepção público alvo. Principalmente se tratando de alunos de ensino médio.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

COMENTÁRIO SOBRE O TEXTO DE WALTER SPINELLI.
Segundo Spinelli, o professor prepara sistematicamente atividades para auxiliar
seus alunos na aprendizagem de determinado conceito. Mas,no entanto,
antes das aulas os professores refletem, pesquisam, organizam,
selecionam, digitam, recortam, colam, gravam, põem em pratica, enfim, o
professor procura dentro das suas possibilidades e realidade do aluno e
fazer com que essa série de recursos proporcionem ao aluno maior
interesse para participar das atividades e conseqüentemente ter uma boa
aula. Com o surgimento dos diversos tipos de canais de televisão, bem
como os avanços tecnológicos de informações nossos alunos chegam à
escola com uma boa quantidade de informaçoes, maior do vinham em outros
tempos, só que, são informações que na maior parte precisa ser
apreciada minuciosamente por parte do professor. O texto faz referencia
sobre Machado(2002), onde utiliza a imagem da pirâmide informacional
para apresentar suas idéias sobre como compreender alguns termos que
rodeiam atualmente as concepções do conhecimento. A pirâmide
informacional vai do patamar inferior onde estão os DADOS,
INFORMAÇÕES,CONHECIMENTO e INTELIGENCIA que fica no patamar superior.
De acordo com texto de Spinelli, a atividade educacional e pedagógica,
tanto do professor quanto da instituição escolar como um todo, deve ter
como meta alcançar o patamar superior da pirâmide informacional.
É preciso refletir também sobre a maneira como no cotidiano,os temas
próprio de cada disciplina enredam - se aos das demais, extrapolando
os limites aparentes dos planejamentos tradicionais. Na perspectiva de
entendimento global, a análise de um fenômeno dessa natureza não deve
ficar restrito à especificidade de uma única disciplina do currí­culo. O
texto ressalta a importância e possibilidade de que a construção de
determinado conceito ocorre na medida em que se amplia a compreensão de
seus significados. No entanto, essa importância de significado do
conceito seja realizado com base na escolha de contextos significativo
para o desenvolvimento de determinado bloco de conteúdos, bem como a
possibilidade de usar a tecnologia na composição de algumas situações
que denominamos OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM. O texto ainda
menciona, que é possí­vel visualizar uma maneira de mobilizar a maior
gama possí­vel de estratégias mentais, de ascender na pirâmide
informacional para atingir seu cume; buscar uma nova situação de
aprendizagem que, reconhecendo por um lado a limitação do computador
sobre o ponto de vista cognitivo, transfira para o aluno - usuário - a
tarefa de imaginar, criar e, em essência, construir saberes. Em suma os
computadores podem ser utilizados como via importante para a
concretização de nossos individuais ou coletivos. UM OBJETO VIRTUAL DE
APRENDIZAGEM, utilizando de maneira correta será de fundamental
importância no aprendizado dos alunos, levando - se em consideração o
papel dos estudantes que são considerado na minha concepção público
alvo. Principalmente se tratando de alunos de ensino médio.

Reginaldo Ferreira de Almeida disse...

Gostaria de fazer um breve comentário sobre o autor Walter Spinelli, que fala sobre os Objetos Virtuais de Aprendizagem: Ação, Criação e Conhecimento, o autor deixa bem claro que as situações apontadas já existem nas escolas, porém de forma rotineira, portanto ele reafirma que precisamos na qualidade de Professor, írmos além das fronteiras no tocante ao Processo Educacional, para isso se faz necessário o campo da informática tendo como objetivo principal acessar nossos conhecimentos e assim navegar em busca de outros. Todo esse processo do ensino aprendizagem deve acima de tudo ser projetado de forma sistematizada, compreensiva,ignificativa, quantitativa e qualitativa.

Carlos Alberto de Lima disse...

Os objetos Virtuais de Aprendizagem,de Walter Spinelli.

Há necessidade de melhorar o processo de ensino-aprendizagem, motivando ao aluno a interagir com o conhecimento e recursos que venha facilitar esse aprender.
A vivência e a simulação da teoria na prática vai abrir a janela para a construção do saber, a rede mundial de computadores é mais uma alternativa no processo educacional do componente curricular, pois possibilita o real e o imaginário na elaboração do saber, tanto para o aluno, como também ao professor.

Carlos Alberto de Lima - componente curricular Química.

Claudionor disse...

Turma:12 Claudinor

O texto faz menção a grande quantidade de conhecimento que os nossos alunos estão expostos, conhecimento esse que precisa ser organizado e filtrado pelo educador. Que obrigatoriamente deve estar bem preparado para crivar as informações trazidas pelos alunos é inserir na sua disciplina de modo significativo, pois a medida que a tecnólogia avança, nós educadores temos que avançar junto, na busca de métodos que torném nossa prática ainda mais necessaria.

Claudionor disse...

Turma:12 Claudinor

O texto faz menção a grande quantidade de conhecimento que os nossos alunos estão expostos, conhecimento esse que precisa ser organizado e filtrado pelo educador. Que obrigatoriamente deve estar bem preparado para crivar as informações trazidas pelos alunos é inserir na sua disciplina de modo significativo, pois a medida que a tecnólogia avança, nós educadores temos que avançar junto, na busca de métodos que torném nossa prática ainda mais necessaria.

Anônimo disse...

Turma:12 Claudinor

O texto faz menção a grande quantidade de conhecimento que os nossos alunos estão expostos, conhecimento esse que precisa ser organizado e filtrado pelo educador. Que obrigatoriamente deve estar bem preparado para crivar as informações trazidas pelos alunos é inserir na sua disciplina de modo significativo, pois a medida que a tecnólogia avança, nós educadores temos que avançar junto, na busca de métodos que torném nossa prática ainda mais necessaria.

Claudionor disse...

Turma:12 Claudinor

O texto faz menção a grande quantidade de conhecimento que os nossos alunos estão expostos, conhecimento esse que precisa ser organizado e filtrado pelo educador. Que obrigatoriamente deve estar bem preparado para crivar as informações trazidas pelos alunos é inserir na sua disciplina de modo significativo, pois a medida que a tecnólogia avança, nós educadores temos que avançar junto, na busca de métodos que torném nossa prática ainda mais necessaria.

Anônimo disse...

Turma:12 Claudinor

O texto faz menção a grande quantidade de conhecimento que os nossos alunos estão expostos, conhecimento esse que precisa ser organizado e filtrado pelo educador. Que obrigatoriamente deve estar bem preparado para crivar as informações trazidas pelos alunos é inserir na sua disciplina de modo significativo, pois a medida que a tecnólogia avança, nós educadores temos que avançar junto, na busca de métodos que torném nossa prática ainda mais necessaria.

Consuelo Nicacio da silva disse...

Segundo Spinelli, na tentativa de trazer conhecimentos para a realidade “vivencial” ao aluno, todo professor se preocupa em preparar sistematicamente atividades para auxiliá-los na aprendizagem de determinado conceito. Essas atividades podem ser: textos seguidos de questionário, experimentos realizados em laboratórios e acompanhados de guias próprios, projeções de filmes para motivar a discussão e a análise, estudos do meio, trabalhos de campo, visitas a museus, viagens. Essas atividades e denominam-se situações de aprendizagem. Porém no processo educacional, a situação de boa parte dos jovens, que chegam à escola munidos de grande leque de informações e que detêm formas (ainda não assimiladas pela escola) de construção de conhecimento. O autor nos chama atenção para a maneira como, no cotidiano, os temas próprios de cada disciplina enredam-se aos das demais, extrapolando os limites aparentes dos planejamentos tradicionais. Nos mostra que é necessário estabelecer ligações entre os conteúdos e os processos das várias disciplinas Ele ainda ressalta a importância da construção de uma teia de significados do conceito seja realizada com base na escolha de contextos significativos para o desenvolvimento de determinado bloco de conteúdos, bem como a possibilidade de usar a tecnologia na composição de algumas situações que denominam-se Objetos Virtuais de Aprendizagem. Situações de aprendizagem que outrora não seriam sequer imaginadas, com o crescimento dos recursos tecnológicos, têm sido concebidas a partir de novas estratégias de trabalho, as mesmas estimulam o exercício da criatividade por parte de nossos alunos.

Manoel Gerdeon da Paz disse...

O texto de Valter Spinelli mostra a importância do professor no mundo globalizado, e enfatiza de forma sistemática um novo modelo virtual de aprendizagem. Diante dessa nova ferramenta o computador é necessário que o aluno passe a utilizá-lo como mais um recurso didático pedagógico,possibilitando assim o desenvolvimento crítico na formação do individuo buscando uma conexão com o mundo virtual e tecnológico.

Manoel Gerdeon da Paz disse...

O texto de Valter Spinelli mostra a importância do professor no mundo globalizado e enfatiza de forma sistemática um novo modelo virtual de aprendizaqgem. Diante dessa nova ferramenta o computador é necessário que o aluno passe a utilizá-lo como mais um recurso didático pedagógico, possibilitando assim o seu desenvolvimento crítico na formação do indivíduo, buscando uma conexão com o mundo virtual e tecnológico.

celiamolla disse...

"OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM: AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO"
Após a leitura dos escritos do autor, que reporta sobre situações de apredizagem no contexto educativo, como também o excesso de informações que os alunos possuem, sendo que o aceso as inforamções não garantem base sólida para construção de conhecimento em situações escolares.
Ao citar a Pirâmide Informacional de Machado (2002: Dados - Informações - Conhecimento - Inteligência, o autor diz que o objetivo primeiro no trabalho educacional deve ser estimular os alunos na leitura e interpretação de dados, em seguida convidá-los,a analizá-los, organizá-los, relacioná-los e criticá-los.
Com o crescimento dos recursos tecnológicos, computadores e internet, novas situaçõe de aprendizagem passaram a ser utilizadas, como via importante para a concretização de nossos projetos individuais ou coletivos. Nesse sentidoum objeto virtual de aprendizagem é um recurso digital reutilizável, que auxilia na aprendizagem de algum conceito e, ao mesmo tempo, estimula o desenvolvimento de capacidades pessoais, como imginação e criatividade.
Finaliza seu texto afirmando " o uso inteligente de instrumento de tecnologia, como a produção de objetos virtuais de aprendizagem, amplia o campo de possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criativa dos estudantes.
Entretanto em meu ponto de vista, ainda temos um longo caminho a percorrer, no sentido de estimular a capacitação da maioria dos professores, principalmente das series iniciais, que não dispondo de recurosos de multimidias, desenvolvem projetos utilizando objetos recicláveis e sucatas, como forma de estimular a criatividade e a ação.

luiz eduardo disse...

* Os Objetos Virtuais de Aprendizagem, de Walter Spinelli.

Através do texto pude entender que o professor deve refletir em torno do seu papel e dos seus limites, assim como, das conseqüências da democratização do acesso às fontes de informações e aos instrumentos de produção e disseminação em larga escala de conhecimento, permanente (re)construído e (re)contextualizado.

Luiz Eduardo S. Nascimento - Componente Curricular de Biologia.

Maria de Lourdes Silva disse...

Compreende-se que o texto do autor Walter Spinelle, mostra que é necessário sistematizar as idéias e os conteúdos para que novos horizontes sejam conectados,absorvidos,aperfeiçoados e podermos consolidar esse conhecimento inserido no contexto ensino aprendizagem,onde todos tenham acesso a esses saberes construindo ,projetando-os e relacionando valores que os nortei nas relacões políticas e sociais do seu tempo.

vanuza gonçalves de sousa disse...

O texto estudadodo autor Walter Spinelli explicita de forma simples a importância do uso do recurso tecnológico na escola como instrumento facilitador da aprendizagem, o seu bom uso permite a ampliação dos conhecimentos dos educandos. O autor ainda ressalta que o acesso a a informação não significa a apropriação de conhecimento, necessário se faz sistematizar as informações para que os conceitos sejam compreendidos, para isso deve - se levar em consideração os conhecimentos prévios dos alunos, oferecer dados que amplie, e enriqueça essas informações.
O objeto virtual não é o único meio para obtenção da aprendizagem, mas um dos veículos que auxilia na aprendizagem, capaz de promover uma aprendizagem eficaz, desde que as metas a serem alcançadas sejam bem definidas e planejadas.

Anônimo disse...

A situação de aprendizagem abordada no texto são os recursos utilizados para melhorar a aprendizagem do aluno(criação e preparação por parte do professor).
Porém a escola não acompanha(em sua maioria) nem aproveita as vastas informações que o aluno traz consigo.Tornando um desafio maior para o professor.
Para Machado,o excesso de informações não é o problema, o principal é a compreensão dessas informações. E aindaa análise crítica dessas informações e a capacidade de criar conhecimentos torna o ser humano um ser inteligente.
Toda instituição escolar deve ter como objetivo alcançar o patamar superior da pirâmide informacional. Deve estimular a leitura e compreensão dos dados e logo após estimular as análises crítica sobre a leitura, além de trabalhar temas comuns nas mais variadas disciplinas.

Anônimo disse...

Para Spinelli, as Situações de aprendizagem apresenta um avanço significativo na tentativa de trazer conhecimento para a realidade vivencial do aluno. No entanto, é consenso entre professores que é preciso considerar, no processo educacional, a situação dos jovens, que chegam à escola minidos de grandes conhecimento. Mas não assimilados por esta (escola) no processo de construção de conhecimento.
Para atingir o topo da pirâmide,é preciso estimular os alunos na leitura e interpretação de dados, das mais variadas formas.
OBJETO DE APRENDIZAGEM: é um recursso digital reutilizável que auxilia na aprendizagem de algum conceito.
Sobre outra situação por mim vivenciada, daetaco a importância do objeto virtual que trata do estudo do teorema de Pitágoras.

rosimar xavier da silva disse...

O que espero desse curso.

Na minha perspectiva, esse curso será um grande avanço para a maioria dos professores das Ciências (Biologia, Física e Química) e da Matemática. Todos sabem que hoje, vivemos no mundo da informação crescente e globalizada, em que a tecnologia da informação tem papel fundamental nesse avanço tecnológico, diante do avanço que o mundo vem passando nas últimas décadas, usar os recursos tecnológicos na Educação se faz necessário e urgente.
A escola em que leciono Matemática e Física recebeu 10 computadores, mas ainda não estão instalados e, eu conversei com alguns professores da escola e eles garantiram que ainda não usar esses novos objetos de aprendizagem. Eles assumiram o compromisso que deveriam ser capacitados para usar esses novos objetos e, agora surgiu esse curso que eu espero que vai nos possibilitar conhecer, analisar, selecionar e utilizar objetos virtuais de aprendizagem como mais um recurso do processo de ensino-aprendizagem.

Professor cursista: Rosimar Xavier da Silva

Francisca Rosa da Silva disse...

Spinelli mostra que os objetos de aprendizagem em cada época, facilita a aprendizagem, mas hoje os anteriores não atende o contexto atual. Vivemos a época da tecnologia da informação. A escola necessita mudar para acompanhar e aproveitar a informação trazida pelo aluno e transformar em conhecimento sistematizado, melhorando o raciocício crítico dos alunos.

rosimar xavier da silva disse...

Reflexão da leitura do texto “os objetos virtuais de aprendizagem”

Prof.º Cursista: Rosimar Xavier da Silva

Foi possível perceber, através da leitura do texto indicado, que de maneira significativa, um objeto virtual de aprendizagem é um recurso motivador que estimula o desenvolvimento de capacidades pessoais e incita o educando para estudar e aprender, só que, durante toda minha vida de estudante, incluindo ensino fundamental e médio e também durante o período que fiz matemática, na Universidade Potiguar (UnP), nunca tive acesso aos objetos virtuais de aprendizagem, apesar de ser recursos de grande importância, como já citei no início, mais na minha época de estudante esses recursos não eram postos em prática e, desde de Dezembro de 2000, sou professor de Matemática da Escola Estadual Profª. Gercina Bezerra, e até o presente momento não uso os objetos virtuais de aprendizagem em sala de aula. Faltam recursos e cursos de capacitação para usar esses objetos. A escola recebeu 10 computadores, em 2007, mas até o momento não foram instalados, e o primeiro curso de capacitação para utilização desses objetos é esse. Portanto, não disponho de experiência de aprendizagem através de redes virtuais, faltou recurso e ainda está faltando, faltou também cursos de capacitação. Esse curso pra mim está sendo um grande incentivo. E, quando for instalado os computadores na escola que estou atuando, cujo pedido já foi feito, espero dar início a essa largada. “Usar os objetos virtuais de aprendizagem”.

Francisca Rosa da Silva disse...

Spinelli mostra que os objetos de aprendizagem em cada época, facilita a aprendizagem, mas hoje os anteriores não atendem o contexto atual. Vivemos a época da tecnologia da informação. A escola necessita mudar para acompanhar e aproveitar a informação trazida pelo aluno e transformar em conhecimento sistematizado, melhorando o raciocínio crítico dos alunos.

José Cassimiro Felipe disse...

O que acho muito pertinente do texto é quando Walter Spinelli diz: "O acesso às informações não garante base mais sólida para a construção do conhecimento em situações escolares..." e classifica uma pirâmide onde mostra, da base àpice, que o processo em si é a reunião de DADOS, onde acontece uma seleção, uma significação e a condução dos mesmos à INFORMAÇÃO, logo em seguida seguida, o CONHECIMENTO e por último, no ápice, a INTELIGÊNCIA.
José Cassimiro Felipe
EEEFM Estudante "José Francisco Filho"
Poço Branco RN
Turmas 10, 11 e 12

Francisca Rosa da Silva disse...

Spinelli mostra que os objetos de aprendizagem em cada época, facilita a aprendizagem, mas hoje os anteriores não atendem o contexto atual. Vivemos a época da tecnologia da informação. A escola necessita mudar para acompanhar e aproveitar a informação trazida pelo aluno e transformar em conhecimento sistematizado, melhorando o raciocínio crítico dos alunos.

Cursista: Francisca Rosa da Silva
e-mail fran.rosa.silva@htmail.com

Francisco Dailou Gomes Bandeira disse...

O texto " Os objetos virtuais de aprendizagem: ação, criação e conhecimento" de Walter Spinelli, aborda pontos que favorecem ao professor extrair dos objetos virtuais de aprendizagem algo substancial que será importante na aplicação de sua metodologia em sala de aula. O autor refuta a importância dos recursos nas aspectos positivos e negativos do uso, chama atenção para a reciclagem contínua que deve existir por parte do professor e escola, haja vista alguns alunos já encontra-se à frente na utilização desses recursos.
Spinelli orienta baseado em Machado no que concerne a pirâmide informacional em suas etapas, explicita cada uma e, mostra onde a escola deve estar para formar o aluno conscientimente. Mediante as várias fontes e a gana de informações existentes defende a interdisciplinaridade como alternativa de envolvimento do todo no processo de aprendizagem.Fecha ressaltando o uso adequado desses objetos como recursos motivadores e estimulativos na aprendizagem dos alunos.
Assim, constatamos que os objetos virtuais de aprendizagem tornam-se de suma importância dentro da escola para que o professor, mesmo de forma incipiente, possa esta adentrando numa área que será no futuro bem próximo, vital para o crescimento da escola como um todo.
Percebemos com o estudo do texto que as ferramenta ora estudadas estimularão à todos, passando a escola a ser vista como suporte da modernidade, sendo inserida num contexto onde possam frequentá-la de forma prazerosa e estimulante.
Francisco Dailou Gomes Bandeira - Pedra Preta/RN

celiamolla disse...

"OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM: AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO"
Após a leitura dos escritos do autor, que reporta sobre situações de apredizagem no contexto educativo, como também o excesso de informações que os alunos possuem, sendo que o aceso as inforamções não garantem base sólida para construção de conhecimento em situações escolares.
Ao citar a Pirâmide Informacional de Machado (2002: Dados - Informações - Conhecimento - Inteligência, o autor diz que o objetivo primeiro no trabalho educacional deve ser estimular os alunos na leitura e interpretação de dados, em seguida convidá-los,a analizá-los, organizá-los, relacioná-los e criticá-los.
Com o crescimento dos recursos tecnológicos, computadores e internet, novas situaçõe de aprendizagem passaram a ser utilizadas, como via importante para a concretização de nossos projetos individuais ou coletivos. Nesse sentidoum objeto virtual de aprendizagem é um recurso digital reutilizável, que auxilia na aprendizagem de algum conceito e, ao mesmo tempo, estimula o desenvolvimento de capacidades pessoais, como imginação e criatividade.
Finaliza seu texto afirmando " o uso inteligente de instrumento de tecnologia, como a produção de objetos virtuais de aprendizagem, amplia o campo de possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criativa dos estudantes.
Entretanto em meu ponto de vista, ainda temos um longo caminho a percorrer, no sentido de estimular a capacitação da maioria dos professores, principalmente das series iniciais, que não dispondo de recurosos de multimidias, desenvolvem projetos utilizando objetos recicláveis e sucatas, como forma de estimular a criatividade e a ação.

Maria das Graças Matias de Araújo disse...

A sociedade atual está vivenciando uma revolução transformadora ocasionada pelos avanços da ciência e da tecnologia. Para nós educadores é importante que tenhamos clareza da dimensão que a tecnologia possa trazer para as salas de aulas. No entanto, com o crescimento dos recursos tecnológico, principalmente os computadores e internet contribuirão para o trabalho do professor na perspectiva de estímulo melhor a compreensão,e construir novos caminhos facilitadores de aprendizagem. Entretanto, é necessário visualizar uma maneira de mobilizar as situações de aprendizagem, assim como o entendimento da pirâmide informacional. Com o uso dos instrumentos da tecnologia e com a produção dos objetos virtuais irá contribuir para a construção do conhecimento e a interação da aprendizagem dentro de uma comprrensão da nova era tecnológica.

sonia maria freire disse...

Diante do texto lido"os obetos virtuais de aprendizagem" de Spinelle, no qual tomei como base, que o educando é um integrante dependente e capaz de produzir determinado efeito e transformar novas situações de aprendizagem, ou seja, refletindo e analisando atividades vivenciadas por mim, observei que a dimensão da capacidade do ser humano é incrível, pois ele utiliza diferentes fontes de informações tecnólogicas para assim adquirir + conhecimentos diante de qualquer situação escolar, com isso é de fundamental importância o empenho do educador em descobrir através da tecnologia o desenvolvimento na construção dos projetos, tentando montar estratégias de trabalho, favorecendo ao aluno motivação no processo de ensino aprendizagem.

francenildo disse...

O texto nos traz uma grande reflexão no qual mostra uma deficiência da maioria dos professores em relação a área de informática, mostrando que a maioria dos alunos tem mais conhecimento nesta área que alguns professores. Apesar disso, os alunos não conseguem solidificar os dados e as informações para o seu conhecimento.
o autor demonstra uma pirâmide com quatro pilares, são eles: inteligência, conhecimento, informações e dados. Dos quais os alunos dominam dois. os dados e as informações.Mas, não conseguem transformar em conhecimento. Por isso, os professores precisam estar qualificados para orientá-los.
o uso dos computadores é muito importante como auxílio na aprendizagem dos alunos.

Márcia maria disse...

A situação de aprendizagem abordada no texto são os recursos utilizados para melhorar a aprendizagem do aluno(criação e preparação por parte do professor).
Porém a escola não acompanha(em sua maioria) nem aproveita as vastas informações que o aluno traz consigo.Tornando um desafio maior para o professor.
Para Machado,o excesso de informações não é o problema, o principal é a compreensão dessas informações. E aindaa análise crítica dessas informações e a capacidade de criar conhecimentos torna o ser humano um ser inteligente.
Toda instituição escolar deve ter como objetivo alcançar o patamar superior da pirâmide informacional. Deve estimular a leitura e compreensão dos dados e logo após estimular as análises crítica sobre a leitura, além de trabalhar temas comuns nas mais variadas disciplinas.

23 de Julho

denize leonardo da silva disse...

Em 19/07/2008 19:56, leonardoda.silva@bol.com.br escreveu:


O texto "Objetos virtuais de aprendizagem" de Walter Spinelli mostra que todo professor planeja para realizar atividades que possam auxiliar a aprendizagem dos alunos e que também é concenso entre os professores que boa parte dos alunos chegam a escola com uma grande quantidade de informações que ainda não foram assimiladas pela escola.
De acordo com Machado informações já sõ dados analizados e processados. Ele usa uma pirâmede para explicar as etapas a serem seguidas para chegar a contrução de um conhecimento organizado para poder atingir o estágio mais elevado, o da inteligência.
O uso de instrumentos tecnológicos de forma inteligente possibilita aos estudantes ampliação do desenvolvimento da capacidade de criar.

erivaldo silva dos santos disse...

O texto os objetos virtuais de Walter Spinelli nos mostra que, hoje a respossabilidade do professor é maior que em tempos passados uma vez que os alunos em sua maioria vem carregado de informações. E para tanto utilizam meios muitas vezes bem à frente do professor.
Por tanto o educador deve transformar esses conhecimentos que os educandos trazem do mundo virtual em objetos de aprendizagem, a partir de discursões e comentários levando-os a verem tais informações com um olhar crítico e reflexivo e não apenas como prontas a serem coletadas. Dessa forma tal conhecimento será uma fonte de saberes enriquecedores que vão favorecer o crescimento intelectual dos mesmos.
No momento atual em que o virtual invadil e tomou conta do mundo se faz presente e nos cerca a todo momento, não devemos deixar de lado todos esses recurssos. A escola não pode ficar para traz ingnorando essa realidade. Ela tem que incluir-se incluir esses recurssos tecnológicos e utilizá-los como forma facilitadora da prendizagem e formação de conhecimentos, auxiliando o professor e favorecendo o crescimento intectual do aluno.

Anônimo disse...

Como diz no texto de Walter Spinelli o professor planeja para auxiliar seus na aprendizagem e mostra tabém que os jovens chegam na escola munidos de conhecimento.
O jovens devem conhecer a pirâmede e ter concepção dos dados, informações, conhecimento e inteligência, é preciso desafiar a capacidade do ser humano de projetar.

Anônimo disse...

Objetos virtuais de apredizagem
As informações que o professor tem com o seu cionhecimento de mundo, auxiliam os seus alunos para a construção do conhecimento, estes ficam interessados porque as situações de aprendizagem levam um interesse maior do aluno para desenvolver o seu aprendizado, levando em consideração a vivência dele no seu dia-a-dia trazendo suas informações para que todos soçoalizem. Aproveitar bem os objetos virtuais de aprendizagem como os reursos tecnológicos, para que o professor e os alunos aprimorem seus conhecimentos através de pesquisas e consultas utilizando estes objetos

Lília Cristina Lopes de Araújo disse...

segundo spinelli os alunos têm acesso a muito mais informações fora da escola do que dentro dela,por isso, devemos buscar uma nova situação de aprendizagem em que o aluno seja capaz de imaginar, criar e construir saberes .Para isso ,faz-se necessário fazer uso de instrumentos de tecnologia, como a internet, para ampliar o campo de possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criativa dos estudantes em que, o mesmo ,terá a oportunidade de sistematizar as informações adquiridas fora da escola e transformá-las em conhecimentos através do computador que se tornará, dessa forma, um objeto virtual de aprendizagem.

Maria das Graças Matias de Araújo disse...

Maria das Graças Matias de Araújo disse...
A sociedade atual está vivenciando uma revolução transformadora ocasionada pelos avanços da ciência e da tecnologia. Para nós educadores é importante que tenhamos clareza da dimensão que a tecnologia possa trazer para as salas de aulas. No entanto, com o crescimento dos recursos tecnológico, principalmente os computadores e internet contribuirão para o trabalho do professor na perspectiva de estímulo melhor a compreensão,e construir novos caminhos facilitadores de aprendizagem. Entretanto, é necessário visualizar uma maneira de mobilizar as situações de aprendizagem, assim como o entendimento da pirâmide informacional. Com o uso dos instrumentos da tecnologia e com a produção dos objetos virtuais irá contribuir para a construção do conhecimento e a interação da aprendizagem dentro de uma comprrensão da nova era tecnológica.

Anônimo disse...

O texto os objetos virtuais de Walter Spinelli nos mostra que, hoje a respossabilidade do professor é maior que em tempos passados uma vez que os alunos em sua maioria vem carregado de informações. E para tanto utilizam meios muitas vezes bem à frente do professor.
Por tanto o educador deve transformar esses conhecimentos que os educandos trazem do mundo virtual em objetos de aprendizagem, a partir de discursões e comentários levando-os a verem tais informações com um olhar crítico e reflexivo e não apenas como prontas a serem coletadas. Dessa forma tal conhecimento será uma fonte de saberes enriquecedores que vão favorecer o crescimento intelectual dos mesmos.
No momento atual em que o virtual invadil e tomou conta do mundo se faz presente e nos cerca a todo momento, não devemos deixar de lado todos esses recurssos. A escola não pode ficar para traz ingnorando essa realidade. Ela tem que incluir-se incluir esses recurssos tecnológicos e utilizá-los como forma facilitadora da prendizagem e formação de conhecimentos, auxiliando o professor e favorecendo o crescimento intectual do aluno.

marilene martins de melo disse...

O obetivo dos instrumentos de informática no sisitema educacional trata-se de uma série de recursos para a construção do conhecimento, facilitando os professores a sistematizar para os alunos todas as informações que eles trazem fora do contexto escolar com os meios de comunicação passando informações globalizadas, que auxilia o professor na construção do conhecimento em várias áreas de saberes. Com a informatização os professores fazem a conexão para processar as informações, analisá-las, relacioná-las, armazená-las, avaliá-las, segundo critérios de relevância nas atividades educativas.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

Segundo Spinelli, todo professor para dá uma boa aula tem que fazer uma reflexão, pesquisar, organizar, selecionar, digitar, recortar, colar, gravar, bem como colocar em prática; em fim, fazer tudo isso e muito mais para que o aluno seja beneficiado. Mas, porém, quando se trata da disciplina de física se faz necessário que o professor faça tudo isso e muito mais. No entanto, nunca se ouve algum aluno dizer que gostou da aula de física.Há não ser que o aluno goste muito de matemática. Portanto, vejo que os objetos virtuais de aprendizagem vão nos proporcionar muito no sentido de melhorar a aprendizagem do aluno. porque o professor faz a explanação da aula inicial para que o aluno faça uma reflexão do conteúdo abordado e depois leva - o para mostrar no laboratório de informática o conteúdo explorado e tirar as dúvidas que poderão vir ocorrer. nesse caso, o aluno vai ter uma visão do que seria na prática. Mesmo se tratando de um objeto virtual. portanto, vejo que é de fundamental importância, quando se trata de objetos virtuais de aprendizagem, que com certeza vai nos ajudar muito, assim como a todo alunado no sentido de desenvolver o raciocínio do mesmo fazendo com que ele passe a se interessar mais pelas aulas.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO
PROFESSOR DE FÍSICA
E. E. SENADOR JOÃO CÂMARA ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO
BENO FERNANDES - RN.

Carlos Alberto disse...

Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional - como usar objetos de aprendizagem - Cesár Nunes.

Os recursos multimídia vem ajudar o desenvolvimento educacional tecnológico em sala de aula e extra sala. Disponibilizando a arte visual, cores, plasticidades, com o aprender e o aprendiz,facilintando o processo ensino e aprendizagem, possibilita ao professor e aluno uma boa interativadade.
Esses recursos não significa tudo,
mas ajudar a construir, expandir,desenvolvendo habilidades e competências,fortalecendo a capacidades de análise,síntese e comunicação.
A teoria faz-se necessária, a simulação, projeta a prática, amenizando os efeitos da distância
com a prática. E a solidificação do conhecimento está no fazer pedagógico do aluno trabalhando a teorização e a visualização.
A flexibilidade desses recursos é ilimitados, tanto no uso do professor, como do aluno, favorecendo a criatividade e desenvolvimento do processo Educacional de forma bem proveitosa.

Carlos Alberto de Lima
Profº de Química

Francisca Rosa da Silva disse...

O texto Repensando a Avaliação, enfatiza o uso dos objetivos de aprendizagem voltados para o Ensino da Compreensão e que para isso o professor deve utilizar-se de atividades diversificadas que demonstre em que nível o aluno encontra-se, observando aqueles que não avançaram, os que pouco avançaram e os que conseguiram êxito total da aprendizagem, o que deve ser demonstrado pela capacidade em resolver situações cotidianas. Cabe ao professor a responsabilidade na elaboração dos objetivos a fim de atingir o nível de conhecimento esperado.

luiz eduardo disse...

No segundo encontro presencial, o componente curricular de Biologia foi a "sexualidade".

O material multimídia visto abordava o tema com propriedade e levantava discussões para que resolvessemos as simulações. E isso instigava e aventava inúmeras possibilidades para a solução de determinados casos.

Para o processo de ensino e aprendizagem essa metodologia ajuda formar nos alunos, pessoas com maior poder de consciência situacional.

Luiz Eduardo S. do Nascimento - Componente Curricular de Biologia.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

Segundo césar Nunes, o processo de repensar a avaliação deveria ser indissociável do processo de repensar a educação. Embora possa parecer óbvio, não foi o que aconteceu num primeiro momento. A sobrevalorização de teste e exames de larga escala com seus objetivos teste de conteúdos que tem impedidos uma maior disseminação de práticas educacionais.
césar Nunes ainda faz referencia ao problema da avaliação que na falta de instrumentos que permitem interpretar e avaliar dados mais qualitativos, dando indicações sobre desenvolvimento das habilidades de ordem mais alta.Para
ele, avaliação está dividida em três etapas de avaliação, tais como: avaliação da capacidade de resolver problemas, avaliação de posturas e desenvolvimento da metacognição, bem como instrumentos de avaliação para a sala de aula.
Os métodos de avaliação que usamos em nossas disciplinas no nosso dia a dia, passam recado aos alunos da importância que damos às diferentes nuances da aprendizagem. Portanto, o professor durante suas avaliações fazem as provas apenas cobrando a memorização dos conteúdos e fica evidente para o aluno que esses pontos estão em segundo plano. No entanto, para muitos de nós esses pontos não estão em segundo plano e sim, o professor tem dificuldade de avaliar os alunos usando critérios justos, objetivos, dentro do tempo que o mesmo dispõe.

José Pequeno
Professor de Física

Anônimo disse...

Turma12:Claudionor

Eu como professor de matemática, ao ensinar meus alunos, tenho como objetivo que eles aprendam, não simplesmente para realizar cálculos com precisão, mas para que quando confrontados com e qualquer"situação problemas" em seu dia a dia possam aplicar os conhecimentos adiqueridos outrora em minha disciplina com segurança.Quanto a refletir no conhecimento adiquerido ou não por eles, eu penso que os que compreendem totalmente é porque se esforçam mais que os outros, para pretar mais atenção, para praticar o que estão aprendendo ou que simplesmente tenham uma maior capacidade cognitiva de apreder matemática.
Já os que entendem parcialmente ou os que não entende,precisam de um pouco mais de atenção por parte do educador, talvez um estimulo a mais com aulas práticas ao invez de apenas teoricas.

Junior Martins disse...

O texto Repensando a Avaliação de Cesar Nunes trata da necessidade que temos de refletir sobre a forma de avaliar nosso trabalho, numa realidade onde o conhecimento se renova numa velocidade muito ampla. Se faz necessário buscar5 soluções para uma avaliação coerente com a realidade dos alunos e que possibilite a verificação de conhecimentos adquiridos. Cesar Nunes nos chama a atenção para uma reflexão sobre nossa prática. Acredito que os novos objetos de aprendizagem irão nos ajudar nessa nova concepção de como avaliar.

Cursista: Francisco Martins Junior

Consuelo Nicacio da silva disse...

REFLEXÃO DO TEXTO DE CÉSAR NUNES
César Nunes alerta sobre a necessidade de repensar a educação e adequá-la a realidade cotidiana, principalmente no que diz respeito à avaliação pois repensar a avaliação é repensar a educação. O mesmo nos mostra que esta deve está coerente com os novos parâmetros e diretrizes curriculares. Dever ser usado instrumentos e métodos de avaliação que permitam o desempenho de resolver problemas, autonomia, pensamento critico entre outros, visto que, importantes teorias e práticas destacam que as ciências cognitivas proporcionam avanços notáveis em relação ao processo de pensar e aprender. Este resultado só é alcançado quando nos apropriamos de métodos avaliativos que permitam não somente a mediação do conhecimento, mas sim a capacidade de desenvolver novos questionamentos sobre o tema avaliado.
Sentimos cada vez maior necessidade do uso da tecnologia na sala de aula.O professor tem que está numa busca constantes para atualizar-se e adquirir novos conhecimentos adquirindo maiores informações, conhecimento com maior velocidade.

Manoel Gerdeon da Paz disse...

Comentando o texto de Cesar Nunes, Repensamdo a avaliação.
O texto de cesar Nunes permite questionar um novo modelo de avaliação. Avaliar é um processo complexo. Portanto é de grande importância o uso de novas tecnologias como ferramenta na elaboração de um novo modelo de avaliação. Diante destas constantes mudanças no contexto educacional, o educador passa a utilizar métodos diferentes de avaliação, propondo ao aluno o desenvolvimento de novas habilidades e conceitos na construção do conhecimento.

Reginaldo Ferreira de Almeida disse...

o texto reensando a avaliação do autor Cesa Nunes, nos dar enfase aos recursos multimídia pois os quais muito contribui para o desenvolvimento educacional tecnologico, tanto em sala de aula quanto extra-sala, facilitando a vida do Professor ao desenvolver suas atividades docente, contextualizado num processo de ensino aprendizagem voltado para a área do conhecimento matemático nos possibilitando visualizar figuras geometricas, calculando suas áreas como também na construção de situaçoes problemas num processo de ensino aprendizagem de forma interativa entre Professor e Aluno.

Professor: Reginaldo erreira de Almeida
Escola Estadual Est. José FRancisco Filho
POço Branco/RN. 06 de agosto de 2008.

José Pequeno Nicácio disse...

O texto de César Nunes,repensando a avaliação nos dar uma direcionamento do processo avaliativo dentro do contexto educacional, bem como fazendo referencia a sobrevalorização de testes e exames de larga escala com seus objetivos teste de conteúdo que tem impedido uma maior disseminação de práticas educacionais que trabalhem valores, competências e habilidades. Na minha concepção, o texto de César Nunes repensando a avaliação, no seu contexto geral não é muito diferente da nossa realidade. Pois, entendo que avaliar é tarefa difícil, principalmente quando se trata de avaliar alguém, porque vejo que nós professores, na totalidade, avaliamos de forma errada nosso alunado; fazendo os exames avaliativos de acordo com os nossos conhecimentos, e não de acordo com os conhecimentos dos alunos adquirido no processo.

José Pequeno Nicácio
Bento Fernande - RN
Professor de Física.

Consuelo Nicacio da silva disse...

César Nunes alerta sobre a necessidade de repensar a educação e adequá-la a realidade cotidiana, principalmente no que diz respeito à avaliação pois repensar a avaliação é repensar a educação. O mesmo nos mostra que esta deve está coerente com os novos parâmetros e diretrizes curriculares. Dever ser usado instrumentos e métodos de avaliação que permitam o desempenho de resolver problemas, autonomia, pensamento critico entre outros, visto que, importantes teorias e práticas destacam que as ciências cognitivas proporcionam avanços notáveis em relação ao processo de pensar e aprender. Este resultado só é alcançado quando nos apropriamos de métodos avaliativos que permitam não somente a mediação do conhecimento, mas sim a capacidade de desenvolver novos questionamentos sobre o tema avaliado.
Sentimos cada vez maior necessidade do uso da tecnologia na sala de aula.O professor tem que está numa busca constantes para atualizar-se e adquirir novos conhecimentos adquirindo maiores informações, conhecimento com maior velocidade.

luiz eduardo disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO

Sabemos da importância da avaliação dentro da escola, pois através da mesma podemos acompanhar o desempenho de nossos alunos, para que possamos ajudá-los tirando as dúvidas ou até mesmo revendo algo que não tenha sido assimilado. Não podemos esquecer que essa avaliação deve ser contínua e que em todos os momentos devemos ficar atentos ao envolvimento de nossos alunos, ao seu interesse nas aulas e a sua participação nas atividades propostas. Porém, a prática de avaliação da aprendizagem que vem sendo desenvolvida nas nossas instituições de ensino nos remete a uma posição de poucos avanços. Não tem sido utilizada como elemento que auxilie no processo ensino-aprendizagem, perdendo-se em mensurar e quantificar o saber, deixando de identificar e estimular os potenciais individuais e coletivos.

Ao avaliar nossos alunos poderíamos refletir em cima de alguns questionamentos: Por que o aluno não aprende? A avaliação promove ou exclui o aluno? Estamos sabendo avaliar? Qual o objetivo da avaliação?
Para que a partir desses questionamentos a avaliação tenha um propósito e funcione como um instrumento de aprendizagem contínua e não como fim em si mesma.

J. Cassimiro - Poço Branco RN disse...

Repensando a Avaliação, de César Nunes, nos faz "viajar" nos nossos procedimentos na sala de aula. O autor é muito feliz quando diz que o processo de repensar a avaliação e o mesmo que repensar a educação.
No meu entender, ele nos convida a ver o processo de avaliação mais qualitativo do que quantitativo.
Na nossa prática cotidiana apenas "cobramos" dos nossos alunos os conteúdos, e esquecemos algo que deverá está presente no dia a dia dos educandos: o pensamento críto em toda a sua plenitude.

J. Cassimiro - Turmas 10, 11, 12
Poço Branco RN

Anônimo disse...

Os Guias dos Objeto de Aprendizagem muito me encantou, pela facilitação que o mesmo proporciona tanto ao educador quanto ao educando. Fico feliz pelo grande passo que as escolas públicas estão dando. Com o uso desse software como método inovador em busca de uma melhor aprendizagem. Os Guias dos Objeto de Aprendizagem apresentam textos desafiantes que levam o usuário refletir sobre o assunto estudado fazendo uma análise crítica o que muito facilita na compreensão do assunto. Com o uso adequado dos mesmos, muito em breve iremos ver o resultado na melhoria da nossa educação pública

Karla Roberta - Parazinho/RN disse...

O guia do professor na disciplina de biologia, vem a acrescer pedagogicamente no sentido de ser um objeto de parendizagem, que no momento da aula ele dá um feedback ao aluno, mostrando uma simulação real do assunto ministrado, com todas as suas possibilidades de situações problemas, utilizando-se de todo o conhecimento adquirido pelo aprendente, tornando-se dessa forma uma facilitador pedagógico da aprendizagem, e por fim, da relação prazerosa e instigadora do ato de parender.

Francisca Rosa da Silva disse...

O Guia é um instrumento que irá contribuir significamente na prática do professor, pois mostra caminhos a seguir em cada atividade para melhor desempenho do processo de aprendizagem escolar usando a tecnologia multimídia na educação.

Karla Roberta - Parazinho/RN disse...

Hoje no Brasil, a educação por mais que evolua quando se pensa em avaliação, podemos perceber o quanto estamos limitados por não estarmos preocupados com as zonas de aproximação que Vygotsky tanto defendeu, e não estarmos preparados para o uso e a compreensão da metacognição dos nossos alunos quando vamos avaliá-los. Avaliamos de forma fragmentada o nosso aprendente, visando apenas o acerto ou o erro do mesmo, somos incapazes de avaliarmos o nível de compreensão que o aluno adquiriu e desenvolvel numa situação problema, uma vez que não percebemos a compreensão como sendo a capacidade de uso flexível do conhecimento em novas situações, pois o conhecimento e a ciência não saõ fragmentados,fechados e estáticos, estão sempre enovando-se, buscando novos conceitos. E um meio muito eficaz de vislumbrar esse conhecimento, é utilizando softwars como os do Lab Virt que dão um fedback para o aluno, e são capazes de utilizar toda a compreensão do aluno na disciplina estudada de forma instigadora e prazerosa, obtendo o real valor do que é avaliar.

Celia Molla disse...

Vejo o guia como instrumento facilitador da pratica pedagogica do professor, como tambem, serve de subsídio para fazer uso dos objetos de aprendizagem e na interdisciplinaridade criando uma rede de conhecimentos no processo de conhecer - fazer.

francenildo disse...

Guia do Professor: "Geometria da Cidade.

Esse guia nos mostra várias formas geométricas planas e espacias as quais os alunos vêem todos os dias, mas não sabem identificá-las.
Através da geometria da cidade, os alunos passarão a observar mais a cidade e suas formas geométricas, com isso o professor pode trabalhar geometria a partir das formas que os alunos observam.

Francenildo Pedro da Silva.
Componente Curricular de Matemática.

Erivaldo silva dos Santos disse...

Comentários sobre o guia: Geometria das cidades.

A geometria das cidades leva o aluno a pensar, analisar, descobrir e relacionar a geometria com coisas do dia-dia; o aluno passa a perceber que a geometria estar em sua volta, sempre presente em sua vida e que a mesma e necessário para realização de muitas atividades reais e não só no papel, como mais um conteúdo à ser estudado.


.Erivaldo Silva dos Santos

giuliano/cida/denise disse...

lGEOMETRIA DAS CIDADES

Facilita o aluno no seu dia-dia apensar , descobrir e relacionar a geometria passando a perceber que este assunto está ligado em sua vida, levando para a realização de diversas atividades reais, pensando sempre em mais um conteúdo a ser estudado.
Giuliano melo
Aparecida Torres
Denise Leonardo

Márcia Maria disse...

Comentário sobre o Guia do Professor
Disciplina: Química

No tema abordado sobre medicamentos é interessante pois exige atenção e curiosidade no processo de manipulação de medicamentos e como se manifestam no organismo da pessoa. Isso estimula a curiosidade do aluno na medida em que ele vai adequando cada medicamento a sua função, bem como, a dosagem certa para cada individuo. Dessa forma facilita a aprendizagem do aluno criando mecanismos e possibilidades de interação entre teoria e prática.

joão maria da s. torres disse...

guia o professor: geometria na cidade

após realizar todas as tarefas no que se refere este tema ,tive a oportunidade de observar a importancia de mostrar as formas geometricas(planas e espaciais) que cerca o aluno que até então passava despercebido, e isso nos mostra de maneira incontestavel a importância da relação entre aluno e sua a vivência

Carlos Alberto de Lima disse...

Química: Em Casa e na Farmácia

A atividade 1, teorizou sem simulações,já na segunda,desperta a atenção do alunado e na terceira tem bom nível de simulação, estimulando a vivência da teoria com a prática.

Carlos Alberto de Lima

Fco Martins Junior disse...

O guia do professor é importante para ajudar a informar as atividades relacionadas a cada assunto, bem como os objetivos previstos. Devemos entretanto, utilizá-lo como referência e adequá-los no planejamento do professor, utilizando atividades teoria para que o aluno possa compreender as informações e adaptá-lo como mais uma ferramenta de conhecimento.

Nilton disse...

O texto de Cesar Nunes orienta o professor principalmente das disciplinas deste curso a buscar novas técnicas de avaliação ao se deparar com os avanços tecnológicos e comparar a avaliação dos tempos atuais que se torna quase impossível com os cenários de algumas escolas sem laboratórios, até mesmo sem computador.

claudionor disse...

comentario

geometria da cidade

Esse assunto,faz com que os nossos alunos
percebam ou comparem essas figuras geometricas com alguns predios existentes
em sua cidade,e um motivo a mais para que
eles saiam dessa rotina de aulas teoricas
no seu dia a dia

Francisco Kléber Pedro da Silva disse...

COMENTÁRIOS DO TEXTO "Repensando a Avaliação" de César Nunes.

Segundo Nunes a criação de novos parâmetros e diretrizes curriculares em muitos países e estados refletia na necessidade de repensar a educação e adequá-la a uma realidade chamada era do conhecimento. Mediante esse contexto ele ressalta que o processo de repensar a avaliação deveria ser indissociável do processo de repensar a educação. Na prática não foi isso que ocorreu no primeiro momento nem nos dias de hoje. A sobrevalorização de teste e exames em larga escala e presente no cotidiano escolar tem impedido uma maior disseminação de práticas educacionais que trabalhem valores, competências e habilidades.Ora, o poblema em questão é que usualmente os professores não têm o preparo para, juntamente com o desenvolvimento de sua disciplina , trabalhar com os seus alunos dentro desse novos parâmetros e diretrizes curriculares. Portanto, introduzir esse ingrediente, por mais importante que seja, sem que haja um direcionamento na formação do professor para trabalhá-lo em sua prática docente, será mais uma sobrecarga.
Apesar da maioria dos documentos de diretrizes educacionais dos vários países conterem a expectativa do desenvolvimento de habilidades de ordem mais alta como: capacidade de resolver problemas, autonomeia, pensamento crítico, capacidade de trabalhar em grupos, concordo com Nunes quando ele diz que o problema não esta na existência ou usos de exames objetivos e dados quantitativos e sim na falta de instrumentos que permitam interpretar e avaliar dados mais qualitativos dando indicações sobre o desenvolvimento das habilidades de ordem mais alta.

francenildo disse...

Repensando a Avaliação - César Nunes.

O autor nos diz que o processo de repensar a avaliação deveria ser indissociável do processo de repensar a educação, mas o que vemos é a avaliação sendo feita através de números de questões corretas em teste de múltiplas escolhas, nas universidades, nos concursos públicos predominam os dados quantitativos.
O programa de educação continuada dividiu muito os professores, pois alguns tiveram a visão errada do construtivismo, onde os alunos podiam fazer tudo e só estudavam o que queriam com isso os professores não conseguiam dá limite aos alunos. Os mesmos passavam de uma série para outra sem ter nenhum conhecimento.
O autor também nos mostra quatro dimensões, são elas: dimensão do conhecimento; dimensão dos métodos; dimensão dos propósitos e dimensão das formas.
Apesar de falar que os alunos precisam desenvolver o pensamento crítico, nós trabalhamos muito mais os conteúdos.

Francenildo Pedro da Silva.
Componente Curricular de Matemática

maria das graças matias de araújo disse...

Comentários sobre o guia: Geometria das cidades.

Observando os objetos de aprendizagens relacionado a geometria das cidades na disciplina de matemática, vi a grandeza que tem o professor trabalhar com seus alunos nas suas aulas. Porém, ajudará muito na formação do aluno fazendo do mesmo um ser pensante, crítico e criativo.

Maria das Graças Matias de Araújo.

francisco dailou gomes bandeira disse...

Reflexão sobre o texto: Repensando a avaliação de César Nunes.

O texto de César Nunes – Repensando a avaliação – nos permite refletir sobre o processo de avaliação adotado nas escolas brasileiras. Percebe-se que esse processo passa por mudanças que permite ao professor aproximasse da zona proximal de desenvolvimento do aluno, mesmo que de forma insipiente.
Extrai-se também do texto a preocupação de se incorporar à avaliação num processo de educação de forma constante e contínua. Além de exemplificar avanços com o advento da tecnologia de como o aluno pode aprender a se avaliar a partir do uso dessa tecnologia.
Em relação aos instrumentos de avaliação, chama-nos a atenção as dimensões, as rubricas e o uso do grupo como forma de se avaliar. Salientamos que muito desses procedimentos o professor já efetua em sala, mesmo não tendo uma fundamentação teórica esclarecida. Assim, o texto lido nos orienta a visualizarmos a avaliação como pressuposto fundamental dentro do processo de ensino. Serve também, como ponto de partida para um aprofundamento maior da importância de se escolher objetivos claros e necessários, que permitam ao aluno compreender o que está sendo trabalhado.

Francisco Dailou Gomes Bandeira
Professor – Pedra Preta - RN

Manoel Gerdeon da Paz disse...

uímica em casa e na farmácia

A atividade em casa e na farmácia permite ao aluno uma discussão mais ampla na sala de aula na utilização de um determinado medicamento. Portanto as simulações analisadas é de grande importância na construção do conhecimento, com excelente material didático e ilustrações apresentadas.

maria das graças matias de araújo disse...

Comentários sobre o guia: Geometria das cidades.

Observando os objetos de aprendizagens relacionado a geometria das cidades na disciplina de matemática, vi a grandeza que tem o professor trabalhar com seus alunos nas suas aulas. Porém, ajudará muito na formação do aluno fazendo do mesmo um ser pensante, crítico e criativo.

Maria das Graças Matias de Araújo.

josé luiz araújo de abreu disse...

Repensando a avaliação
“O ensino para a compreensão”

Fundamentalmente, vimos que estamos muito distante de utilizar os métodos indicados no texto e principalmente dos resultados a que se deve esperar dos alunos que temos em nossa comunidade educacional quanto à espera de resultados substanciais no que diz respeito à avaliação-aprendizagem.

Os instrumentos de avaliação abordados no texto que leva os alunos a ter a cultura do pensamento e aprendizagem, a capacidade de resolução de problemas sendo autônomos, tendo pensamento crítico e sendo capazes de trabalhar em grupos, se auto-avaliando e avaliando o grupo no processo, usando critérios justos.

Todavia, o critério de avaliação do conhecimento ainda muito utilizado por nos é a avaliação quantitativa a não a avaliação da qualidade, ou seja, a “compreensão” por memorização, as quais devem atribuir um determinado valor, ( lembrando que este método é cobrado pelas instituições de ensino ).

Analisando os alunos que temos trabalhado podemos observar que para podermos chagar a esse nível de aprendizagem deverá demorar “muito”. Importante, porém, é que haja uma renovação nos métodos de avaliação o mais rápido possível, sendo implementado novos tipos para anotação dos objetivos propostos e o que foi alcançado.

Vimos hoje que nossos alunos não tem tido a capacidade de compreensão e desenvolvimento do pensamento crítico, apresenta visão pouco fragmentada do conhecimento, não tem uma compreensão de uso flexível do conhecimento em novas situações, não é capaz de formular conceitos e nem desenvolve o espírito crítico ( neste caso podemos observar na análise da “Pirâmide de Machado” que foi demonstrado no texto anterior como instrumento de observação e avaliação ) e, absolutamente não há um domínio sobre o assunto nem das mídias que possa estar disponível para apresentação do mesmo.

Hoje não damos aos nossos alunos a devida importância das diferentes nuances da aprendizagem. Será que é também porque não somos capazes de avaliá-los e se auto-avaliarmos no processo?.

Professor curssista José Luiz Araújo de Abreu - Biologia

Erivaldo Silva dos Santos disse...

Repensando a avaliação: comentários

A avaliação deve ser um instrumento mediador e não um medidor de conhecimentos; ou seja , o avaliar deve servir para o professor e aluno como algo norteador do ensino aprendizagem para um e aprendizagem para o outro .
O avaliar induz o professor a repensar o ensino, e não apenas para saber o quanto aprenderam. O que o estudante sabe deve ser o ponto de partida para elevar ao máximo possível o seu entendimento; fazendo-os crescerem intelectualmente.



Erivaldo Silva dos Santos

Adilson de Jesus disse...

Em relação ao OA Os mistérios da Chuva ácida,posso dizer que é um recurso muito bom para ser usado em sala de aula, pelo fato de trazer fatores muito interessantes como: Visual,contextualização, bom vocabulário, interação; que levam o aluno a interessar-se de uma forma mais forte pelo assunto e consequentemente pela disciplina, contanto que o professor procure a melhor maneira de reforçar o que foi visto, detalhando o assunto. Muito bom mesmo.

Anônimo disse...

Geometria da Cidade, este assunto é de extrema importãncia, associando a teoria com a prática, facilitando ao aluno no seu aprendizado. Por exemplo, ao visualizar um prédio ou edifício, é importante reconhecer a sua forma geométrica em toda sua dimensão , a partir daí ele começa a analisar, interpretar e compreender o que é geometria e em que ela pode nos ajudar, com isso despertar no aluno a necessidade de planejar, comparar, diferenciar e calcular áreas geométricas tornando as aulas de forma prazerosa .

Aparecida Torres, Denize Leonardo e Maria das Graças Matias disse...

Comentário sobre avaliação Para se avaliar com eficiência é necessário se ter claramente objetivos bem definidos do que se dezeja alcançar. A arte de avaliar é muito dificil e nem sempre se consegue um senso comum. fala-se muito em um processo avaliativo contínuo, mas o que se vê é um processo extremamente quntitativo onde o aluno é refém de uma nota para medir o nível de aprendizagem. Na escola normal ainda se vê professores um pouco flexíveis, mas nas universidades a avaliação ocorre de forma mais tradicional possível. Aparecida Torres, Denize Leonardo e Maria das Graças Matias.

Adilson de Jesus disse...

É interessante pensar em como melhorar a educação, mas ao se pensar nos melhores métodos de ensino, deve-se também focar o melhor método de avaliação de educando.
Ele precisa: Aprender a aprender e aprender a ser.
Precisam ter consciência: Do que sabe e o que não sabe; como sabe;como aplica o que sabe; como otimiza o que sabe e sua aplicação.
Para mim, neste contexto da educação no qual nos encontramos,há sempre maior dificuldade em avaliar o aluno, do que lhe transmitir o conteúdo.É preciso mudar.

Lília Cristina disse...

O guia é de fundamental importância para a prática pedagógica,pois orienta o professor no seu procedimento em sala de aula,dando oportunidade ao aluno de buscar,ele próprio,as respostas para suas dúvidas e questionamentos através da interação com seus colegas e com o objeto apresentado.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

COMENTÁRIO SOBRE O GUIA DO PROFESSOR.

Na concepção como professor de física, vejo que o Guia vai ajudar muito no desenvolvimento das atividades na sala de aula com os aluno. No entanto, trabalhar física com aluno de ensino médio não é tarefa fácil, pois se trata de uma disciplina que exige muito conhecimento matemático. Portanto, se o aluno não gostar de matemática, com certeza também não gostará de física.por esta razão, entendo que, O Guia do Professor irá auxiliar o educador fazer um trabalho mais interessante e prazeroso para que o aluno passe a participar ativamente das aulas fazendo com que o professor saia mais do método matematizado e passe a caminhar pelo lado científico e tecnológico. Essa é a visão que tenho do Guia do Professor.

José Pequeno Nicácio
Professor de Física
E. E. Senador João Câmara - Bento Fernandes - RN

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

Os recursos multimídia em termos de produtos e também de processo de desenvolvimento tem um enorme potencial para melhorar a educação. Novas modalidades e instrumentos têm com certeza, características de mudanças dentro do contexto educacional. No entanto, essa mudança será diretamente ligada aos estudantes num amplo espectro de atividades de aprendizagem. São ambientes ricos em tecnologias, e os mais privilegiados serão os alunos com o auxilio dos professores; que ambos terão um papel importante a desempenhar dentro deste contexto. Entretanto, podemos dizer que a criação dos Recursos multimídia, é um dos objetivos principais das políticas educacionais, e tem papel fundamental no desenvolvimento da educação do aluno de modo geral.
Flexibilidade é uma característica muito importante em conteúdo multimídia, e precisa ser constantemente e efetivamente perseguida, bem como mantida em nossos esforços de desenvolvimento.
Dentro do contexto tecnológico, os instrumentos serão de fundamental importância para os avanços que os alunos terão dentro dos objetivos preparados pelo professor no intuito de serem alcançados, e que, possam melhorar os conhecimentos voltados para os objetos virtuais de aprendizagem. Portanto, na minha concepção os recursos multimídia vão da um impulso na educação em termo de avanço, bem como vai deixar as aulas mais atraentes e participativas.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO
PROFESSOR DE FÍSICA
E. E. SENADOR JOÃO CÂMARA
BENTO FERNANDES - RN.

Maria de Lourdes Silva disse...

Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional autor : César Nunes diz: a multimídia é o produto,não a possibilidade,amplia variedade de circunstância,facilita a aprendizagem,oferece oportunidade,portanto, materiais multimídia é uma revolução importante para a educação,é um recurso prazeroso de fácil compreensão,envolvente,explorar conteúdo com o uso da multimídia para muitos ainda é um sonho,adaptar a realidade local,regional,ampliando cada situação para o global ou vice-versa.Percebe-se que á resistência no uso deesse instrumento está no baixo poder aquisitivo das pessoas que necessitam dessa ferramenta de ensino aprendizagem.

Carlos Alberto de Lima disse...

Materiais Multimídia no contexto Educacional
Ttrabalhando o texto de Cesar Nunes.

O Processo coletivo e colaborativo transforma o processo de ensino e aprendizagem,disponibilizando o conteúdo instrucional e significativo.
Facilitado pela experimentação visual, interativa, criativa,combinando informação e oferecendo oportunidade, para os diferentes ritmos e níveis de aprendizagem.
A utilização do computador, traz relações gestuais, construção de texto,, intensidade, cores, valores diversos e plasticidade. Provendo repetição, reforço em ampla variedade de circunstãncia. Interagindo todos os autores do sistema Educacional.
O aprendiz desenvolverá suas competências e habilidades no sentido abstrato,como próximo das situações reais do seu contexto, fortalecndo a capacidade de análise, síntese e comunicação com o conhecimento.

Plano de Aula

Atividade 1 - Cada caso é um caso.

Introdução:

Informação sobre o uso excessivo de medicamento pelo Idoso. Conscientizar e posicionar o aluno diante desse fato. Provocando estratégias que dêem oportunidade de combater esses excessos. Cada aluno no final, apresentará o resultado do seu trabalho.

Objetivos:

1 - Estabelecer relações entre o uso normal e anormal praticado pelo Idoso.
2 - Identificar os diferentes medicamentos e os seus efeitos.
3- Elaborar estratégias,metas e ações, para evitar o excesso de Medicamento.

Pré - requisitos:
1º - Trabalhar o idoso acima de 60 anos de idade.

Tempo previsto para a atividade:
- Esta atividade poderá ser realizada, em seis (06) aula de 50 minutos.

Na sala de aula:

A atividade será planejada, direcionada, manejada e controlada:
- exposição do tema
- orientações
- atividade no computador: dois em dois aluno.
-turma com 40 alunos: vai ser dividida em duas; onde 20 alunos, vão fazer pesquisa na bíblioteca; enquanto os outros irão fazer atividades no dez (10) computadores que há na escola.
- cada turma terá uma aula no computador e outra na bíblioteca.

Requerimentos Técnicos:
-navegar na internet;
- trabalhar o programa do RIVERD.

Procedimentos:
- reflexão, discussão, análise e tomada de decisão.
- evitar interferir no trabalho do aluno, só fazendo quando for necessário.

Questões para discussão :

1 - Acontece uso excessivo de medicamento por parte do idoso?
2 - Quais os efeitos na saúde do Idoso?
3 - Quais os medicamentos de referência nessa faixa etária?
4 - Cite medidas que pode evitar o uso excessivo desses medicamentos:
5 - Como o idoso deve fazer uso dos medicamentos similares?

Depois da atividade na bíblioteca e no computador:
- Na sala de aula:
- discussão geral sobre o tema, durção uma (01) aula;
- exposição das idéias;
- organização dos trabalhos e construção do relatório, duração uma (01) aula;
- apresentação dos trabalhos, duração duas (02) aulas;

Avaliação:

Será continua e pedagógica, observando a participação e a interação do aluno no desenvolver da atividade,dando ênfase em suas competências e habilidades.

Atividades Complementares:

Os alunos, ou grupos de alunos podem pesquisar nos lares,aonde há idoso, seja na sua rua, ou bairro, ou localidade que residem.

Carlos Alberto
Professor de Química

Anônimo disse...

Claudionor turma 12

Desenvolvimento de matérias multimídia e seu uso no contexto educacional.

Autor: César Nunes

Com o crescente aumento da tecnologia, as ciências cognitiva tem feito cada vez mais parte do processo de transformação da educação, que a cada dia fica mais globalizada. Os alunos devem saber como usar e desenvolver seus pensamentos cognitivos para que se tornem capazes de desenvolver estratégias, bem sucedidas para transformação seu conhecimento para outra situações.
Por tanto quando se desenvolver recursos educacionais multimídia é importante considerar o objetivo de cada individuo levando sempre em conta a idade e o meio social onde vive.
Por isso o contexto de ensino deve está estrategicamente ligado com os processos de formas educacionais e com as transformação de ensino e aprendizagem, a aprendizagem essa que deve ser sempre baseada em projetos sempre flexíveis. Nesse caso a tecnologia pode ser uma ferramenta de fundamental importância.

sonia disse...

matias14comparando o texto escrito por "César Nunes" é interessante a ampliação dos investimentos em criar um atalho,como questão da multimídia que tem ganhado o espaço altamente liberal e disponível as informações necessárias, porém o contexto cognitivo transforma e influencia nas pesquisas instruindo para uma visão mais ampla aos conhecimentos previstos.

Manoel Gerdeon da Paz disse...

Comentário do texto: Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional.
O autor destaca a importância do uso de multimídia no processo de ensino aprendizagem, diante destes recursos tecnológicos o aluno tem uma visão prática e real dos instrumentos utilizados como: texto, imagem, áudio, vídeo e simulações. Portanto esta nova metodologia permite auxiliar o professor na construção de novos conhecimentos e avaliar o aluno de acordo com o seu pensamento crítico no mundo globalizado.

luiz eduardo disse...

Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional.

Autor: César Nunes

Possivelmente ainda há alguns educadores que manifestam uma recusa imediata à possibilidade de utilizar materiais multimídia, simplesmente pela resistência ou pelo desinteresse por qualquer abordagem que relacione tecnologia e educação.
Entendo que é preciso uma nova atitude para não se ficar a reboque da história ou alheio a manipulação de uma elite que concentra o poder sobre a produção, a pesquisa, o desenvolvimento e a disseminação do conhecimento a grande escala.
O texto aponta para uma convergência tecnológica global, porém gradativa e que as aplicações dessas novas tecnologias aliada aos contextos cognitivos e instrucionais de modo balanceado e flexível poderá atingir objetivos estratégicos dentro dos sistemas educacionais.
O uso de materiais multimídias no processo educacional sem dúvida nenhuma estimula “o sensorial”, o que permite inclusive simulações e aplicações que podem ser úteis no “fazer-aprender”.

Luiz Eduardo S. do Nascimento - Componente Curricular de Biologia.

francenildo disse...

comentário do texto: Desenvolvimento de materiais multimídia: O autor fala que a multimídia facilitar a aprendizagem dos alunos, pois da oportunidades para que os alunos trabalhem em diferentes ritmos e diferentes níveis.Mais é preciso melhorar as condições dos professores, através de cursos de capacitação continuada na área de informática. O texto nos passa a ídeia de que a multimídia é mais um instrumento que vai auxiliar na aprendizagem dos estudantes, que os estímulos dinâmicos como áudio, vídio e animações podem tornar a realização de tarefas como a resolução de problemas mais relevantes para os alunos. O autor aborda quatro focos para o planejamento do desenvolvimento de material educacional multimídia,são eles: Centrado no aluno/aprendiz; Centrado no conhecimento; Centrado em avaliação; Centrado na comunidade. Que os conteúdos pode ser apresentado aos estudantes de várias maneiras, através de livros de aulas até a internet ou com o uso de computadores de mão, apesa dos livros terem inlustração de imagens, os alunos tem muita dificuldade em relacionar essas imagens na resolução de outros problemas.

Francisco Martins Junior disse...

Comentário do texto César Nunes

Segundo o “autor trabalhar com multimídia no contexto educacional”. É importante
e inegável a importância do uso da tecnologia atrelada aos modelos de programas elaborados com o objetivo de facilitar a aprendizagem em diferente contexto educacional, oferecendo oportunidades de acordo com o nível do aluno para que ele possa adquirir os conhecimentos e avançar para uma próxima etapa do processo educacional; Mas, é de suma importância que tenhamos toda uma estrutura (além do material, pessoal qualificado), voltados para esse objetivo

Francisco Martins Junior disse...

plano de aula

TÍTULO – TANGRAN


PÚBLICO ALVO: 1ª Série do Ensino Médio


OBJETIVOS:
• Proporcionar o aprendizado dos polígonos, utilizando o jogo de “quebra cabeça”
• Desenvolver e resolver problemas utilizando o tangran


METODOLOGIA:

As atividades serão realizadas em duas aulas de 50 min cada, sendo a primeira aula em sala de aula onde os alunos irão utilizar uma cartolina para desenhar o Tangran, , depois os alunos irão recortar as figuras para reconhecer, denominá-las e classificar as figuras como: Polígonos regulares e irregulares a outra aula no laboratório de informática. Nesta os alunos irão utilizar o OA Tangran para formar polígonos, encaixando as peças como se fosse um quebra cabeça. Depois,usando as peças recortadas em sala, o aluno irá formar figuras usando sua criatividade.

AVALIAÇÃO:

• Sugerir aos alunos um relatório de suas atividades realizadas em sala de aula e no laboratório de informática.
• Verificar quais as figuras que os alunos criaram no estudo do tangran

Márcia Maria/ Célia Molla/Nilton Firmino disse...

Plano de Aula
Assunto abordado: Poluição atmosférica (efeito estufa)

Grau em que o módulo será utilizado: 1ªsérie do ensino médio

Objetivo
Tentar conscientizar os alunos sobre a questão dos impactos ambientais urbanos e ressaltar que as pessoas estão mais preocupadas com os danos imediatos do cotidiano, que colocam em risco seu sustento e seu conforto.

Estrátegias de ensino
Atividades- Aulas expositivas e dialogada com aplicação de textos, noticiários, revistas, entre outros.

Vídeo- Mostrar o documentário do DVD- Uma Verdade Inconveniente do ex-vice-presidente americano Al Gore, onde apresenta a mensagem do superaquecimento global.

Atividades no computador
Relacionar os processos da concentração de CO2 na atmosfera.
Verificar as causas e consequências do CO2 na atmosfera, através de animação visual.
Simular o fenômeno das doenças de uma pessoa por gases poluentes.

Tempo de duração da aula: 02 aulas de 50 minutos.

Francisco Dailou Gomes disse...

O texto "Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional" de Cesar Nenus, permitiram-nos constatar a importância de se utilizar em sala de aula. Sendo esses, fundamentais para a incorporação num mundo globalizado em que nos encontramos.
Constatamos ainda, a possibilidade de flibilizar oferecida pelos recursos de multumídia, onde o aluno manipula-os de acrodo com a teorização recebida, assim criando uma aprendizagem significativa.
Portanto, cabe as ESCOLAS planejar e utilizar esses recursos visando extrair os potenciais ali oferecidos para alcançar os objetivos propostos e traçados para o desenvolvimento dos alunos e da comunidade como um todo.
Francisco Dailou Gomes - Qúimica
Pedra Preta - RN

jose luiz araujo (pedra preta0 disse...

REFLEXÃO DO TEXTO
DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA E SEU USO NO CONTEXTO EDUCACIONAL
COMO USAR OBJETOS DE APRENDIZAGEM


Entende-se que o autor preocupa-se com a qualidade a que deve dar a exposição e utilização das tecnologias disponibilizadas nos meios educacionais, dando a devida importância à escolha do material e o meio ao qual deve estar inserida e não ao material meramente comercial.
Destaca-se também a preocupação quanto ao preparo dos profissionais que vão utilizar esses recursos de multimídia de modo que, possa facilitar a aprendizagem e melhorando tanto as condições dos professores, como dos alunos e, que possa fortalecer a capacidade de analisar, de sintetizar, de comunicar, perceber e de relacionar-se com as maneiras como nos observamos e representamos o mundo.
A cultura do pensamento em sala de aula deve coincidir com os constantes aparecimentos das novas tecnologias, havendo um melhor desenvolvimento das habilidades e competências entre os pontos mais importantes em que os estudantes precisam saber, observando que os materiais multimídia precisam ser acompanhados por materiais que possam relacioná-los e que possa contribuir com avaliação dos objetivos propostos nas atividades, atitudes e saberes que foram discutidos.
A contextualização do assunto abordado deve estar centrada no meio ao qual o aluno-aprendiz estar inserido, não devendo também deixar de relacioná-lo com outros meios e que também deve estar estrategicamente ligado com os processos de reforma educacional e com as transformações nos processos de ensino-aprendizagem.
Profº José Luiz Araújo de Abreu
BIOLOGIA
Escola Estadual Profª Gercina Bezerra. Pedra Preta- RN.

JOSÉ PEQUENO NICÁCIO disse...

PLANO DE AULA

1º ano do ensino médio

QUANTIDADE DE MOVIMENTO

OBJETIVOS: Definir quantidade de movimento linear de um corpo e de um sistema de corpos; enunciar princípio de conservação da sua conservação. Obter a 3ª Lei de Newton a partir da conservação da quantidade de movimento de dois corpos em interação. Aplicar o princípio de conservação e a 3ª lei em situações do cotidiano e em problemas didáticos. Definir impulso de força e relacioná – lo com a 2ª lei. Operar vetorialmente com as grandezas.

PROBLEMATIZAÇÃO INICIAL:

1. Propor a seguinte situação: Um canhão dispara um projétil numa cena de filme. O que observamos imediatamente após a saída da bala?
2. Discuta choques entre bolas de bilhar e de gude (mesma massa), tanto frontais como laterais.
3. Outras questões: Um caminhão de brinquedo em movimento colide com um carrinho. O que sucede após o choque? E na situação inversa?
4. Numa pista de patins, uma criança empurra um adulto, com ambos inicialmente em repouso. O que ocorre?
5. Um balão de borracha inflado permanece em repouso quando abrimos o seu bocal, deixando o ar escapar? Por quê?
6. Como funciona a roda-d’água?
7. Dentre outros.

ORGANIZAÇÃO DO CONHECIMENTO EM SALA DE AULA

Antes de definir quantidade de movimento linear, o professor trabalha com os alunos as idéias sobre interações: forças sempre aparecem aos pares e um movimento parece surgir justamente com outro. As questões acima ajudam a extrair essa generalização;
Definir o vetor quantidade de movimento, caracterizando- o relativamente ao referencial inercial. Discutir com o aluno sobre o produto entre massa e velocidade de um corpo, através de exemplos em que a primeira seja grande e a segunda pequena e vice-versa, mostrando que nestas situações distintas há possibilidade de a quantidade de movimento linear ser a mesma;
Enunciar o princípio da conservação da quantidade de movimento linear imediatamente antes e depois das interações. Reforçar o significado de “imediatamente”, introduzindo a noção de sistemas isolados e forças internas. Exemplos clássicos: o professor deve evitar trabalhar com enunciado do tipo: “Um corpo de massa m1, velocidade v1, colide frontalmente com um segundo de massa m2,...”. Lembrando – se que pode ser usado objetos (pedra, bola de bilhar), máquinas (avião, caminhão, carro), animais (peixe grande engole um pequeno que estava parado), pessoas (atacante se choca com o goleiro) etc.;
Começar com interações em uma única direção, explorando o caráter vetorial, passando depois para o plano. Trabalhar graficamente com os alunos a parte de vetores, bem como introduzir o tratamento analítico de vetores através da decomposição (e composição) nos eixos cartesianos;
O professor ajudará ao aluno na definição de impulso e força, bem como identificando - o com a variação da quantidade de movimento (corpo de massa constante) e relacionando – o com a 2ª lei. Exemplificando forças externas, ao se analisar a variação da quantidade de movimento de pequenos corpos quando colidem com um grande e fixo (como uma bola chocando – se com um muro);
O educador deve deduzir com o aluno a 3ª Lei de Newton a partir de estudo da variação da quantidade de movimento de cada um dos dois corpos isolados que interagem. Discutindo também questões do tipo: Qual a velocidade de aproximação entre a Terra (
mt = 1024 Kg) e um corpo (de massa 10 Kg) em queda livre, corpo esse que, ao atingir o solo, tem velocidade final 20 m/s? E calcular com o aluno a velocidade da Terra devida essa interação.

APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO

Retomar as questões iniciais, resolvendo – as agora com o auxílio da grandeza e princípio da conservação. Aplicando o conteúdo do tópico em situações de colisões, empurrões, explosões.
O projeto e dimensionamento de uma usina hidrelétrica, no tocante ao diâmetro do duto e à rotação da turbina, constituem um problema tecnológico complexos. Uma das equações usadas na solução do problema advém da quantidade de movimento do sistema. Comentar que o princípio; aliado a outros (bem como a parâmetros definidos pela tecnologia), pode garantir a previsão do funcionamento da usina que está sendo construída.
Trabalhar também com os alunos, a validade universal do principio da conservação da quantidade de movimento linear. Sendo um principio, é válido em todos os domínios de aplicação e de teoria da física, desde eventos hipermacroscópicos (como a explosão de uma supernova, o movimento planetário) até os microscópicos (o princípio é usado para a identificação de novas partículas em interações nucleares). Assim, embora as Leis de Newton tenham limitações no campo de atuações em física, o princípio mantém a sua validade.
Exemplo de aplicação do princípio no mundo microscópico: um núcleo radiativo, inicialmente em repouso, se desintegra, emitindo um elétron e um neutrino em direções perpendiculares. A quantidade de movimento do elétron é 1,2 x 1022 Kg. m/s.
Determinar a direção, o sentido e o módulo da velocidade do núcleo (residual) que recua, imediatamente após a desintegração, sabendo que sua massa é 5,8 x 10-26 Kg.
Após toda a explanação por parte do professor em sala de aula, o mesmo irá à sala de informática para trabalhar com os alunos os Objetos Virtuais de Aprendizagem, levando em consideração todo conteúdo visto. O trabalho de deve feito no máximo três alunos por computador. O professor deve levar também em consideração tempo que os alunos passarão para realizar os trabalhos frentes aos computadores.
Após a aula o professor deve fazer um acompanhamento de todo desenvolvimento valiativo sobre a aprendizagem dos alunos, bem como auxilia- os a onde os mesmos tiverem dificuldades.

Professor: JOSÉ PEQUENO NICÁCIO
Disciplina: FÍSICA
ESCOLA ESTADUAL SENANDOR JOÃO CÂMARA ENSINO FUNDAMENAL E MÉDIO
BENTO FERNANDES – RN
16ª DIRED.