O que é o Rived?

RIVED é um programa da Secretaria de Educação a Distância - SEED, que tem por objetivo a produção de conteúdos pedagógicos digitais, na forma de objetos de aprendizagem. Tais conteúdos primam por estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes, associando o potencial da informática às novas abordagens pedagógicas. A meta que se pretende atingir disponibilizando esses conteúdos digitais é melhorar a aprendizagem das disciplinas da educação básica e a formação cidadã do aluno.

1ª Atividade a Distância /8 horas

LEITURA DO TEXTO: O cursista ao ler o texto deve direcionar o olhar para o argumento de Spinelli e refletir sobre outras situações de aprendizagem vivenciadas, que tenham sido favorável ao aluno ascender e atingir o cume da pirâmide.

2ª Atividade a Distância/8 horas

LEITURA DO TEXTO: "Repensando a avaliação" de César Nunes, refletindo aspectos importantes de teorias e práticas educacionais como exemplo: um grupo da Faculdade de Educação Harvard, em que o objetivo maior do ensino oferecido por eles deve ser o "Ensino para Compreensão" (WISKE, 1998).
Para nós, educadores temos clareza dos objetivos de aprendizagem em nossas disciplinas? Será que refletimos sobre o comportamento do aluno que compreende totalmente, parcialmente, ou não compreende o que estamos vivenciando com ele?

3ª Atividade à Distância/8horas

LEITURA DO TEXTO: “Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional” de César Nunes, versão para o curso “Como Usar Objetos de Aprendizagem”, fazendo reflexão sobre os contextos para desenvolvimento de multimídia, como: O contexto cognitivo e o contexto de ensino.
Navegação no site: http://rived.proinfo.mec.gov.br para escolha de um objeto na sua disciplina.
Elaboração de um plano de aula de acordo com o Objeto escolhido, orientando-se pelo Guia do Professor. Alternando sala de aula e laboratório para a exploração do objeto, atentando para a construção do conhecimento do aluno.
Enviar pelo e-mail do grupo.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

NTE ATHENEU - Turma:1, 2, 3 Francisco Leido dos Santos

Prezado(a) Cursista!

Seja Bem-vindo ao ambiente virtual do Curso "Construindo o saber com objetos de aprendizagem do Rived". Este espaço foi criado para que você possa registrar suas opiniões e idéias acerca dos assuntos que serão trabalhados ao longo do curso. Leia, discuta com seu colega, mas sobretudo participe, dê o seu recado. Um forte abraço.
1ª ATIVIDADE VIVENCIAL /8 horas
LEITURA DO TEXTO: O cursista ao ler o texto deve direcionar o olhar para o argumento de Spinelli e refletir sobre outras situações de aprendizagem vivenciadas, que tenham sido favorável ao aluno ascender e atingir o cume da pirâmide.

2º ENCONTRO PRESENCIAL / 8 horas

3º ENCONTRO PRESENCIAL / 8 horas

4º ENCONTRO PRESENCIAL / 8 horas
  • Discussão sobre desenvolvimento de materiais multimídia e sua importância educacional;
  • Apresentação da aula elaborada pelo cursista;
  • Análise crítica da sequência de atividades;
  • Seleção de OA de acordo com a proposta do professor na escola.
  • Elaboração de uma sequência de ensino, contendo os seguintes itens: assunto, público-alvo, objetivos, metodologia e avaliação.
Atividade a distância - Leitura e análise do mapeamento da disciplina específica para a reformulação da sequência de ensino, se necessário.
5º ENCONTRO PRESENCIAL / 8 horas
  • 1º momento - Apresentação da sequência de ensino elaborada pelo cursista, socializando-a com os colegas. Esta apresentação deve ser feita, preferencialmente, em PowerPoint ou outro software de apresentação.
  • Avaliação dos participantes sobre os Objetos de Aprendizagem, através do preenchimento da rubrica (pág. 11 do material do curso).
  • Encerramento.
Atividade a distância - Aplicação da sequência de ensino na escola em que trabalha. Enviar para o e-mail rivednatal@ymail.com relato dessa experiência, bem como postar no blog.

164 comentários:

Claudio Roberto Palhano disse...

legAL...

Clovis Monte Silva disse...

boa tarde.Foi muito útil este primeiro dia de curso.

joão eduardo de lima sobrinho disse...

Espero que esse curso seja muito importante para toda equipe de professores do estado do RN.

valeria regina gomes zilio disse...

Achei a aula de hoje boa. O que seria de nós AGORA, sem a informatização.....

maria veralucia da silva disse...

A aula inicial foi de grande importância para mim, pois há bastante tempo vinha tentando fazer um curso como este.
Finalmente chegou a oportunidade.
Os professores foram ótimos.

Euclides dos Santos Leal Neto. disse...

Professor Francisco Leido dos Santos.

A aula sobre o Rived foi de grande valia, pois será uma ferramenta importante para todos do curso.

No próximo encontro estarei na turma do Jorge, pois na segunda, tenho que viajar e chegar aqui bem cedo, e torna difícil, pois moro em João Pessoa e ministro aulas em Goianinha.

Entregarei o texto de Spinelli a voçê e ao professor Jorge.

Obrigado pela atenção!!!

geraldo marreiros da silva filho disse...

o texto faz uma menção sobre as...
A aula inaugural foi bastante interessante. Espero tirar bastante proveito das aulas e que as aulas possam ser bastantes dinâmicas... valeu!!!

joilson francisco disse...

joilsonf@bol.com.br

geraldo marreiros da silva filho disse...

geramarriro@bol.com.br

nivanilde m p de lima disse...

A aula foi muito interessante. Só que as férias terminaram e me deu uma tremenda preguiça de sair de casa logo cedo . Foi um prazer.

silvio da silva seabra disse...

achei a aula boa ,com boas novidades

George Bezerra da Silva disse...

o objeto de estudo analisado que pretendo comentar é O RAIO da TERRA.

Este objeto foi de interesse para comentário devido a área de conhecimento do cursando.

Ele é bastante interessante pelo fato de resgatar a história da ciência e utilizar um experimento através de relações métricas de ângulos e distâncias, com isso aplica também a parte matemática para conclusão do objetivo e ainda tem uma calculadora em tempo real. Porém falta a explicação, na parte final dos cálculos, para a compreensão conceitual do procedimento analisado e a figura ao lado dos cálculos para facilitar o processo.

Aline Cristina Lessa da Fonseca disse...

O objetivo da aula Preciso de oxigênio é uma ferramenta que proporciona o alunado a construção de hipóteses visando responder as situações observadas. As situações propostas são concretas, reais e que simulam todo o processo que ocorre mediante atividades antrópicas esquematizadas.
Através desse material é possível despertar no alunado a busca de respostas, ou seja, posicionamento crítico quanto à ação do homem sobre os ecossistemas, bem como evidencia e facilita o entendimento de inúmeros conceitos que são observados.

Paulo Carapuça da Silva disse...

Meus colegas professores cursistas, como não foi possível mostrar com detalhes para vocês os procedimentos de publicação das atividades no blog por falta de INTERNET no NTE-KENNEDY.
Veja no e-mail de vocês o passo a passo para fazer o comentário e publicar. Paulo.

valeria regina gomes zilio disse...

Em Maio/2008, foi exposto uma palestra sobre o LIXO e a IMPORTANCIA DE PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, no Colégio Estadual pelo qual ensino. As biólogas da UFRN apresentaram o trabalho aos alunos do 8ª ano, tendo também a colaboração de nós professores da área de Ciências. O material foi exposto aos alunos em DATA/SHOW. Houve em seguida brincadeiras para tentar ver se houve aprendizagem. Os alunos amaram o trabalho exposto. Sentimos que houve uma aprendizagem. Foi bem legal.

Clovis Monte Silva disse...

Há uma necessidade independentemente da formação do professor de preparar, organizar e sistematizar suas aulas visando a aprendizagem dos alunos.
A aprendizagem do aluno, no meu entender irá depender, e muito de um prévio conhecimento do aluno sobre o assunto em questão.
Todos nós vivemos em sociedade, em um determinado meio que nos ensina, sem sistematização , sem uma organização de pensamento.A função da escola é transmitir de forma organizada, através do professor,esses conhecimentos prévios adquiridos pelos alunos.Quando o professor de qualquer área usa situações práticas, demonstrações, experiências, "in loco" , ou através de softwere, fica melhor do aluno entender aquele assunto.

Clovis Monte Silva disse...

Aprender, na minha opinião irá depender do grau de inteligência do aluno, do nível de leitura , do conheciemnto prévio adquirido, de algo muitro mais complexo, isto é, do psico-genético, social do aluno.Os meios necessários para se atingir esse "aprender", é função do Estado,( professor e toda a "estrutura").

Ana Claudia disse...

O referido texto faz uma abordagem acerca das atividades realizadas pelo professor para auxiliar no processo de aprendizagem, enfatizando a utilização da informatização como forma de acesso à informação e à comunicação.
Segundo o autor, todos os envolvidos com a educação devem ter como meta o desenvolvimento da inteligência, permitindo ao aluno a idealização e a realização de seus projetos. Os objetos virtuais de aprendizagemauxiliam nessa conquista, pois permitem o "desenvolvimento de capacidades pessoais, como, por exemplo, imaginação e criatividade".
Assim, o texto oportuniza a nós, educadores, a reflexão e o incentivo à busca de novos recursos que, aliados à criatividade, permitirá a conquista da meta acima citada.

nivanilde disse...

OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO

O ser humano é dotado de uma grande curiosidade. A construção do seu conhecimento é feito muitas vezes pela busca, pela pesquisa e sua capacidade de interagir com o meio físico e não físico o leva a adquirir habilidades e formular conceitos na sua aprendizagem.
Com a entrada dos objetos virtuais no cotidiano do ser humano tornou-se impresindível o relacionamerto com esse novo mundo, o da tecnologia. para alunos e professores passou a ser uma ferramenta auxíliar no trabalho da pesquisa, na elaboração
de projetos,...
A tecnologia possibilita ao pesquisador um campo vasto de informaçães, porém deve se classificar essas informações,pois
nem tudo que esta na rede e de qualidade, e muitas vezes desviam a atenção do pesquisador.
A Pirâmide Informacional ajudá-nos
a compreender as etapas das concepções do conhecimento. Para alcançar cada etapa é necessário esta atento a todos acontecimentos.
É preciso saber classificar e quantificar essas informações. Os
objetos virtuais de aprendizagem sâo limitados pois a criação é da imaginação do usuário é Ele quem constroi o seu saber. O computador é apenas uma ferramenta auxiliar nessa apredizagem, nessa criação, pois o ser humano é dotado de uma sensibilidade que é próprio dele. Nenhuma máquina vai substituí-lo e sim ajudá-lo nessa busca insessante pelo conhecimento pela descoberta.

Ana Claudia disse...

O referido texto faz uma abordagem acerca das atividades realizadas pelo professor para auxiliar no processo de aprendizagem, enfatizando a utilização da informatização como forma de acessoà informatização e à comunicação.
Segundo o autor, todos os envolvidos com a educação devem ter como meta o desenvolvimento da inteligência, permitindo ao alunoa idealização e a realização de seus projetos. Os objetos virtuais de aprendizagem auxiliam nessa conquista, pois permitem o "desenvolvimentode capacidades pessois, como, por exemplo, imaginação e criatividade".
Assim, o texto oportuniza a nós, educadores, a reflexão e o incentivo à busca de novos recursos que, aliados a criatividade, permitirá a conquista da meta acima citada.

Claudio R. Palhano disse...

Comentários sobre o texto de Walter Spinelli

A partir do texto proposto, podemos avaliar os diferentes pontos de vista direcionados as situações de aprendizagem, a busca do conhecimento requer sempre uma “modernização” de conceitos métodos e estratégicas de ensino, as quais se deve sempre procurar atualizações por parte do professores.
Como exemplo disso, temos o avanço das tecnologias, principalmente no que diz respeito a informática, dia após dia. Com isso a dependência dessa ferramenta torna-se cada vez mais evidente, muitas vezes para informação, outras vezes para o lazer, ou até mesmo para trabalho. É ai que entra a escola, as instituições de ensino ganha mais um objetivo na sua função como instituição, uma vez que se espera da escola a informação, e formação de um cidadão preparado pra a vida também se espera que ela (a escola) ensine sempre como lidar com essas novas descobertas (a tecnologia moderna – a informática) de maneira correta, só assim a pirâmide informacional, proposta por Machado, seja construída de maneira “correta e solida”
Um das funções da escola nesse novo desafio é desenvolver técnicas para o uso mais correto o possível da tecnologia, é ai que entra os recursos oferecidos pela rede, por exemplo. Os recursos virtuais de aprendizagem vêem como uma ferramenta de apoio pedagógico de grande valia para a formação de um aluno, porém não se trata da única, com isso temos como pontos básicos para a utilização dos recursos virtuais de aprendizagem é o estimulo a criatividade e a imaginação dos alunos, para isso a utilização de softwares educacionais torna-se importantíssimo para esse processo continuo de aprendizagem.
Além disso, devemos levar em consideração as três condições da atividade humana proposta por Hannah Arendt (o labor, o trabalho e a ação) seriam pilares na construção do saber moderno na formação humana. Tanto para os alunos como para os professores. Logo um os pontos de saída dessa nova caminhada é a formação e/ou especialização dos professores.

Cláudio R. Palhano

Joilson Francisco disse...

Análise crítica do texto:para que haja aprendizagem é necessário que alunos e professores interajam dentro das metas usadas em função do conhecimento.Não se deve romper com as técnicas do passado mas uni-lás com ferramentas tecnológicas do presente,dentre elas o uso inteligente da internet,como ferramenta versátil e eficaz na construção do conhecimento,do ensino-apredizagem.Portanto,para que o aluno atinja,de fato,a pirâmide informacional mostrada por "Machado" é necessário que haja sintonia entre a escola e o aluno na busca comumente,dos objetos virtuais de aprendizagem.

Geraldo Marreiros Da Silva Filho disse...

Análise sobre o texto : os objet s virtuais de aprendizagem. o texto faz menção as situações de aprendizagem ,abordando os recursos diversos para que o aluno se aproprie do conhecimento ,por outro lado coloca a importância do uso inteligente da internet como ferramenta importante e versátil na busca dos conhecimentos . visto que os conceitos ganham consistência téorica quando o pesquisador faz uso de várias correntes que foquem determinados assuntos.Todavia para que o aluno atinja o cume da pirâmide de "Machado" é necessário que ele se aproprie das Vàrias possibilidades de geração de conhecimento. E os meios geradores do conhecimento possam se enredarem para que a busca pelos projetos de vida por parte dos seres pensantes possam torná-los seres humanos melhores... "façamos uso inteligente da internet"! - façamos uso inteligente dos objetos virtuais de aprendizado.

Rondinele F. Rangel disse...

Gostaria de inciar o meu comentário fazendo uma crítica ao texto do autor Walter Spinelli. No último parágrafo do texto o autor escreve:[...]"muitos de nós não vivemos a escola da era da informática"[...]. Apartir dessa frase observo que o autor têm uma conciência pedagógica apurada e o que ele escreve é talvez o mais correto no tacante do ensino da informática na escola, porém existem barreiras eminentes que impedem o acesso do nosso aluno a informatização nas escolas pois vivemos uma educação de "faz de conta", onde os governantes tentam maquiar a nossa educação.
Temos que firmar os pés no chão e solidificar o acesso a inetrnet com laboratórios de informática viáveis e uma estrutura física comprometida com a educação.
Já estou cheio de textos bonitos e escritos por grandes autores que muitas vezes nunca entraram em sala de aula.

José Genicleand Freire disse...

O texto de Spinelli
Fala das ferramentas que o professor pode dispor-se para passar o conteúdo com mais segurança, contribuindo para uma melhor aprendizagem do aluno.
A pirâmide informacional, nos mostra que para uma pessoa aprender tem que receber as informações, entender essas informações e elaborar uma resposta do que leu e projetar essa resposta com clareza para as outras pessoas.
A informática trouxe marcantes mudanças no aprendizado; cabe ao professor desta nova tecnologia saber utilizar os valores positivos desse dispositivo como instrumento de educação.
O texto de Spinelli vem apresentar a nova realidade da educação que nos dias atuais tem a informática como um recurso de aprendizagem que visa facilitar de forma geral e ampliar os conhecimentos humanos. Dessa forma propõe aos professores uma reciclagem de valores e opiniões fazendo com que educador seja um orientador aberto a constantes inovações do aprender.
As experiências em sala de aula (seminários, aulas práticas com materiais simples, do dia-a-dia, forma de instigá-los a procurar o saber por conta própria, também mostra uma boa maneira de aprender e fixar o conteúdo).

José Genicleand Freire disse...

O TEXTO DE SPINELLI
Fala das ferramentas que o professor pode dispor-se para passar o conteúdo com mais segurança, contribuindo para uma melhor aprendizagem do aluno.
A pirâmide informacional, nos mostra que para uma pessoa aprender tem que receber as informações, entender essas informações e elaborar uma resposta do que leu e projetar essa resposta com clareza para as outras pessoas.
A informática trouxe marcantes mudanças no aprendizado; cabe ao professor desta nova tecnologia saber utilizar os valores positivos desse dispositivo como instrumento de educação.
O texto de Spinelli vem apresentar a nova realidade da educação que nos dias atuais tem a informática como um recurso de aprendizagem que visa facilitar de forma geral e ampliar os conhecimentos humanos. Dessa forma propõe aos professores uma reciclagem de valores e opiniões fazendo com que educador seja um orientador aberto a constantes inovações do aprender.
As experiências em sala de aula (seminários, aulas práticas com materiais simples, do dia-a-dia, forma de instigá-los a procurar o saber por conta própria, também mostra uma boa maneira de aprender e fixar o conteúdo).

José Genicleand Freire disse...

O TEXTO DE SPINELLI
Fala das ferramentas que o professor pode dispor-se para passar o conteúdo com mais segurança, contribuindo para uma melhor aprendizagem do aluno.
A pirâmide informacional, nos mostra que para uma pessoa aprender tem que receber as informações, entender essas informações e elaborar uma resposta do que leu e projetar essa resposta com clareza para as outras pessoas.
A informática trouxe marcantes mudanças no aprendizado; cabe ao professor desta nova tecnologia saber utilizar os valores positivos desse dispositivo como instrumento de educação.
O texto de Spinelli vem apresentar a nova realidade da educação que nos dias atuais tem a informática como um recurso de aprendizagem que visa facilitar de forma geral e ampliar os conhecimentos humanos. Dessa forma propõe aos professores uma reciclagem de valores e opiniões fazendo com que educador seja um orientador aberto a constantes inovações do aprender.
As experiências em sala de aula (seminários, aulas práticas com materiais simples, do dia-a-dia, forma de instigá-los a procurar o saber por conta própria, também mostra uma boa maneira de aprender e fixar o conteúdo).

José Genicleand Freire disse...

O TEXTO DE SPINELLI
Fala das ferramentas que o professor pode dispor-se para passar o conteúdo com mais segurança, contribuindo para uma melhor aprendizagem do aluno.
A pirâmide informacional, nos mostra que para uma pessoa aprender tem que receber as informações, entender essas informações e elaborar uma resposta do que leu e projetar essa resposta com clareza para as outras pessoas.
A informática trouxe marcantes mudanças no aprendizado; cabe ao professor desta nova tecnologia saber utilizar os valores positivos desse dispositivo como instrumento de educação.
O texto de Spinelli vem apresentar a nova realidade da educação que nos dias atuais tem a informática como um recurso de aprendizagem que visa facilitar de forma geral e ampliar os conhecimentos humanos. Dessa forma propõe aos professores uma reciclagem de valores e opiniões fazendo com que educador seja um orientador aberto a constantes inovações do aprender.
As experiências em sala de aula (seminários, aulas práticas com materiais simples, do dia-a-dia, forma de instigá-los a procurar o saber por conta própria, também mostra uma boa maneira de aprender e fixar o conteúdo).

cláudio carvalho de souza disse...

Há vários recursos que podem sistematizar a aprendizagem dos alunos para a construção do conhecimento.Porém a escolha de um recurso didático não é garantia para que haja a aprendizagem. Segundo Machado(2002) a Pirâmide Informacional compreende os termos relacionados às concepções do conhecimento: na base estão os DADOS provenientes de várias fontes que podem ser qualitativos e quantitativos e que,posteriormente, se investem de significados e são organizados, elevando-os à categoria de INFORMAÇOES. O CONHECIMENTO é gerado quando tais informações são acrescentadas aos saberes pessoais, atingindo um maior grau de compreensão e estabelecendo ligações com os vários níveis de informações. Por fim, a INTELIGÊNCIA acontecerá quando houver uma mudança de postura, de valores, possibilitando criar novos conhecimentos a partir daqueles já adquiridos.
Como recurso digital o computador pode auxiliar na aprendizagem de conceitos e estimular o desenvolvimento de capacidades individuais como a imaginação e a criatividade. Porém é de suma importância que a utilização do computador não fique limitada a repetição de tarefas.É necessário que o aluno sob o ponto de vista cognitivo utilize o computador para criar, imaginar e construir conhecimento.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Concordo com o tópico das informações ao conhecimento, porém já passei por situações de levar uma turma para sala de informática, para mostrar alguns artifícios e chegando lá, tinham alunos que não sabiam nem pegar no mouse e outros já sabiam mais algumas coisas e não tinham paciência de esperar que eu mostrasse aos que não sabiam, logo ficavam acessando outros sites, na qual foi se tornando mais interessante para eles, não tive muito controle, pois estava sozinha para olhar todos na sala, fiquei meio receosa de levá-los novamente.
Nesta mesma turma, avisei que os levariam na próxima aula, à quadra de esportes, muitos não foram para escola no dia da aula, pois achavam que a aula seria ruim, por outro lado, os que compareceram me surpreenderam, pois consegui transmitir o almejado e o retorno esperado, a turma estava bem menor.
Tivemos avanços significativos, em virtude das situações de aprendizagem, mas em relação aos conteúdos abordados na sala, a absorção dos conhecimentos deixava a desejar. Apesar de novas metodologias, imagino que estes alunos mais na frente sentirão dificuldades.
Sei que os meios de comunicação em massa, são muito proveitosos para aumentar os conhecimentos, por outro lado, em relação à internet, muitos alunos não pesquisam como deveriam, eles simplesmente acessam os sites de interesses próprios, mas não podemos condenar, pelos que não querem aprender.
Um ponto negativo, é que eu tenho pouca criatividade, o que não é legal, logo será difícil ajudar um aluno ou um grupo de alunos a produzir um objeto virtual de aprendizagem.
Preciso de ajuda para poder ajudar meus alunos.


Mácia Regina Vieira de Morais.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Concordo com o tópico das informações ao conhecimento, porém já passei por situações de levar uma turma para sala de informática, para mostrar alguns artifícios e chegando lá, tinham alunos que não sabiam nem pegar no mouse e outros já sabiam mais algumas coisas e não tinham paciência de esperar que eu mostrasse aos que não sabiam, logo ficavam acessando outros sites, na qual foi se tornando mais interessante para eles, não tive muito controle, pois estava sozinha para olhar todos na sala, fiquei meio receosa de levá-los novamente.
Nesta mesma turma, avisei que os levariam na próxima aula, à quadra de esportes, muitos não foram para escola no dia da aula, pois achavam que a aula seria ruim, por outro lado, os que compareceram me surpreenderam, pois consegui transmitir o almejado e o retorno esperado, a turma estava bem menor.
Tivemos avanços significativos, em virtude das situações de aprendizagem, mas em relação aos conteúdos abordados na sala, a absorção dos conhecimentos deixava a desejar. Apesar de novas metodologias, imagino que estes alunos mais na frente sentirão dificuldades.
Sei que os meios de comunicação em massa, são muito proveitosos para aumentar os conhecimentos, por outro lado, em relação à internet, muitos alunos não pesquisam como deveriam, eles simplesmente acessam os sites de interesses próprios, mas não podemos condenar, pelos que não querem aprender.
Um ponto negativo, é que eu tenho pouca criatividade, o que não é legal, logo será difícil ajudar um aluno ou um grupo de alunos a produzir um objeto virtual de aprendizagem.
Preciso de ajuda para poder ajudar meus alunos.


Mácia Regina Vieira de Morais.

Maria Lourdete disse...

De acordo com Spinelli, no planejamento feito pelo professor existência uma rotina que muitas vezes não correspondente a realidade dos alunos, desta forma, a utilização de estratégias de trabalho relacionadas as vivências dos alunos possibilitam a construção de conceitos mais elaborados.
O uso dos softwares educacionais surgem como novas oportunidades de desenvolvimento criativo dos estudantes.

vanusia disse...

Não ha professor que não prepare sistematicamente atividades para auxiliar seus alunos na aprendizagem de determinado concerto e dentro desse rol de atividades surgi a necessidade de aprendizagem.
Dentro das situaçoes de aprendizagem hoje,surgi a preocupaçãoem trazer conhecimentos para realidade vivenciada pelos alunos.No entanto ,devido a rotina em que enquadram atualmente,não se adaptam ao diferenciado contexto escolar modificadoem função do avanço da tecnologia da informação, um indicio dessa alteração pode ser observado na maneira como se ampliou o acesso a informação ne a comunicação com o advento da rede mundial de computadores.
O uso inteligente dos instrumentos de tecnologia, como a produção de objetos virtusia de apredizagem,entretanto, ampria o campo de posssibilidades para o desempenho da capacidade criativa dos estudantes.

Carlos Henrique Bezerra de Oliveira disse...

A aula foi bastante proveitosa. Debatemos a cerca de temas que são pertinentes ao ensino público do RN. Uma pena é que essa inclusão vem tarde, não para os alunos (que aprendem com as lan houses da vida) e sim para os professores, que estão atrasados nesta tecnologia. Mas como tudo público vem depois, não posso deixar de elogiar a iniciativa. Sobre o texto, mudança é a palavra de ordem na sociedade atual, no entanto, as mudanças que ocorrem na educação são lentas e quase que imperceptíveis. A mudança pedagógica que todos almejam é a passagem de uma educação totalmente baseada na transmissão da informação, na instrução, para a criação de ambientes de aprendizagem nos quais o aluno realiza atividades e constrói o seu conhecimento. Essa mudança acaba repercutindo em alterações na escola como um todo: sua organização, na sala de aula, no papel do professor e dos alunos e na relação com o conhecimento. A informática deverá assumir duplo papel na escola. Primeiro, deverá ser uma ferramenta para permitir a comunicação de profissionais da escola e consultores ou pesquisadores externos, permitindo a presença virtual desse sistema de suporte na escola. Segundo, a informática poderá ser usada para apoiar a realização de uma pedagogia que proporcione a formação dos alunos, possibilitando o desenvolvimento de habilidades que serão fundamentais na sociedade do conhecimento.

Essa dupla função da informática será amplamente discutida nos próximos capítulos, porém é importante deixar claro que somente a inclusão da informática na escola não é indicação de mudança. Mais ainda, o aluno usar o computador para realizar tarefas (agora bem apresentadas, coloridas, animadas etc.), não é indicação de que ele compreendeu o que fez. A qualidade da interação aprendiz-objeto, descrita por Piaget é, particularmente pertinente no caso do uso da informática e de diferentes softwares educacionais. Do mesmo modo que não é o objeto que leva 1 compreensão, não é o computador que permute ao aluna entender ou não um determinado conceito. A compreensão é fruto de como o computador é utilizado e de como o aluno está sendo desafiado na atividade de uso desse recurso.

Isso significa que a mudança pedagógica que pretendemos, não é passível de ser resolvida com uma solução mágica, com a compra de equipamentos sofisticados. Essa mudança é muito mais complicada e os desafios são enormes. Porém, se eles não forem atacadas com todos os recursos e energia que nós, educadores, dispomos, corremos o risco de termos que nos contentar em trabalhar em um ambiente obsoleto e em descompasso com a sociedade atual. A educação enxuta será realizada em ambientes alternativos e a escola, como é hoje, será fossilizada definitivamente.

Carlos Henrique Bezerra de Oliveira disse...

A aula foi bastante proveitosa. Debatemos a cerca de temas que são pertinentes ao ensino público do RN. Uma pena é que essa inclusão vem tarde, não para os alunos (que aprendem com as lan houses da vida) e sim para os professores, que estão atrasados nesta tecnologia. Mas como tudo público vem depois, não posso deixar de elogiar a iniciativa. Sobre o texto, mudança é a palavra de ordem na sociedade atual, no entanto, as mudanças que ocorrem na educação são lentas e quase que imperceptíveis. A mudança pedagógica que todos almejam é a passagem de uma educação totalmente baseada na transmissão da informação, na instrução, para a criação de ambientes de aprendizagem nos quais o aluno realiza atividades e constrói o seu conhecimento. Essa mudança acaba repercutindo em alterações na escola como um todo: sua organização, na sala de aula, no papel do professor e dos alunos e na relação com o conhecimento. A informática deverá assumir duplo papel na escola. Primeiro, deverá ser uma ferramenta para permitir a comunicação de profissionais da escola e consultores ou pesquisadores externos, permitindo a presença virtual desse sistema de suporte na escola. Segundo, a informática poderá ser usada para apoiar a realização de uma pedagogia que proporcione a formação dos alunos, possibilitando o desenvolvimento de habilidades que serão fundamentais na sociedade do conhecimento.

Essa dupla função da informática será amplamente discutida nos próximos capítulos, porém é importante deixar claro que somente a inclusão da informática na escola não é indicação de mudança. Mais ainda, o aluno usar o computador para realizar tarefas (agora bem apresentadas, coloridas, animadas etc.), não é indicação de que ele compreendeu o que fez. A qualidade da interação aprendiz-objeto, descrita por Piaget é, particularmente pertinente no caso do uso da informática e de diferentes softwares educacionais. Do mesmo modo que não é o objeto que leva 1 compreensão, não é o computador que permute ao aluna entender ou não um determinado conceito. A compreensão é fruto de como o computador é utilizado e de como o aluno está sendo desafiado na atividade de uso desse recurso.

Isso significa que a mudança pedagógica que pretendemos, não é passível de ser resolvida com uma solução mágica, com a compra de equipamentos sofisticados. Essa mudança é muito mais complicada e os desafios são enormes. Porém, se eles não forem atacadas com todos os recursos e energia que nós, educadores, dispomos, corremos o risco de termos que nos contentar em trabalhar em um ambiente obsoleto e em descompasso com a sociedade atual. A educação enxuta será realizada em ambientes alternativos e a escola, como é hoje, será fossilizada definitivamente.

Petronio Teixeira dos Santos disse...

Observamos que é fundamental a valorização da tecnologia por parte do professor, pode trazer benefícios aos alunos visto que a tecnologia é uma ferramenta poderosa para o ensino-aprendizagem.
Os professores dão impulso novo para a mudança e a tecnologia tem um enorme potencial como ferramenta pedagógica. Observamos que os saberes veiculados nos meios de comunicação, tais como a internet, estão ganhando espaço nas escolas. Com isso, haverá uma possível mudança na estrutura curricular das escolas e novas formas de acesso ao conhecimento, pois o aluno, na era da informática, deverá ser o centro do processo de ensino-aprendizagem, enquanto agente de seu próprio conhecimento.

Roberto disse...

Os objetos Virtuais de Aprendizagem:
Ação, Criação e Comhecimento.


No 1º parágrafo nós professores da rede pública temos até a intenção de preparar, pesquisar, gravar mais não temos material para isto. nos baseamos
só nos livros e o quadro
Sim, a escola tem que está preparada para o aluno informado. eu não vejo eles trazendo alguma informação da internet, jornal e outros meio de comunicação para a sala de aula. muitos deles acessam a internet para outros fins. o professor tem que forçá-los a pesquisar de maneira critica assuntos interessantes para aumentar o seu conhecimento.
Temos que ter o ambiente da escola, só as imformações tiradas dos meios
de massa não é suficiente para chegar ao topo da pirâmide.
As diciplinas tem que se interragir, uma está ligada a outra, com isto o aluno se motiva. As disciplinas andam juntas.
Com a criação desses objetos vai levar o aluno a prática do conhecimento adquirido em sala de aula
Onde vai leva-lo a uma situação quase real.


Obrigado. Roberto
turma 03

Alexandrina M. Suassuna disse...

O rived com certeza facilita o trabalho do professor, pois os objetos virtuais possuem uma riqueza de informações e facilita a aprendizagem dos educandos.
A utilização da tecnologia na sala de aula amplia as possibilidades para a aprendizagem dos estudantes.
OBRIGADA.

Maria da Luz Dias disse...

Os objetos Virtuais de Aprendizagem: Ação. Criação e conhecimento
TEXTO: Walter Spinelli
Comentário:
Na sociedade do conhecimento e dos avanços tecnológicos, torna-se a repensar o papel da escola, mai.s especificamente as questões relacionadas ao ensino e aprendizagem. De acordo com texto o momento requer uma nova forma de pensar e agir para lidar com a rapidez e a abrangência de informações e com o dinamismo da ação, criação e o conhecimento. Evidencia-se uma nova organização de tempo e espaço e uma grande diversidade de situações, que exigem um posicionamento critico e reflexivo do individuo para fazer suas escolhas e definir suas prioridades.
Nessa perspectiva de acordo com o texto, a melhor forma como um todo, deve ter como meta alcançar o patamar superior da pirâmide informacional.
O envolvimento desse aluno no processo de aprendizagem é fundamental; que o professor independentemente da sua área de atuação, possa conhecer as potencialidades e as limitações pedagógicas atuais, precisamos envolver com mais rapidez possível as diferenças tecnologias na sala de aula, seja vídeo, computadores, internet, entre outros.
O uso internet na escola pode exemplificar a multiplicidade de recursos que pode ser utilizados em situações de aprendizagem. A tarefa de imaginar, criar e, em essência, construir saberes. Em suma; o computador pode ser utilizado como via importante para a concretização dos projetos individuais ou coletivos, segundo o texto.
Precisamos também de estratégias de trabalho que favoreçam o exercício da criatividade por parte dos nossos alunos

INÊS LEAL FREIRE VASCONCELOS disse...

SAÕ MUITOS OS RECURSOS DIDÁTICOS E PARADIDÁTICOS QUE AJUDAM NO ENSINI~APRENDIZAGEM. MAIS NÃO BASTA APENAS ISSO É PRECISO UMA SENSIBILIDADE POR PARTE DOS QUE ESTÃO RECEBENDO ESSES CONHECIMENTOS. AS FERRAMENTAS SURGIRAM, AS POSSIBILIDADES TAMBÉM, O HOMEM VIVE A PROCURA DE SITUAÇÕES INOVADORAS É POR ISSO QUE HOUVE GRANDES AVANÇOS TECNOLÓGICOS MAS PARA QUE TUDO ISSO DÊ CERTO É PRECISO MAIOR ESFORÇO DAQUELES QUE ESTÃO RECEBENDO ESSE CONHECIMENTO, A PIRÂMIDE DO CONHECIMENTO EXISTE O QUE PODERÁ OCORRER É QUE COM A TECNOLOGIA SURGIRA NOVOS SABERES. E O HOMEM MODERNO TEM QUE ESTÁ PREPARADO PARA SER RECEPTIVO A ESSAS MUDANÇAS QUE ESTÃO OCORRENDO DE MODO ACELERADO E PRECISAMOS ACOMPANHAR ESSES AVANÇOS PARA NÃO PERDERMOS O MERCADO DE TRABALHO QUE ESTA CADA VEZ MAIS EXIGENTE, DESSA FORMA PROFESSOE E ALUNOS DEVEM VENCER ESSES OBSTACÚLOS E AVANÇAR NO SEU TEMPO.

Veralúcia Silva disse...

Há uma série de vontagens no uso dos computadores,mas, por outro lado o uso indiscriminado e apenas como forma de cópias, os estudantes sem perceber vão bloqueando suas capacidades criativas e esta prática não garante que haja aprendizagem satisfatória.
A partir do momento em que se começa a fazer uso dos objetos virtuais, o aluno começa a ser estimulado a desenvolver sua capacidade ciativa.
O uso das tecnologias para produção de objetos virtuais de aprendizagem criados pelos professores e alunos aumentará as possibilidades para o desenvolvimeneto da sua capacidade criativa e ao mesmo tempo facilita seu desenvolvimento e amplia seus conhecimentos.

silvio seabra disse...

ocursoproporciona analizar que oconhecimento esta muito veloz devido agrande quantidade de informaçoes mostradas atravez dos meios de comunicaçoes . O nosso desafio principal e o de estimular osalunos na letura e interpretaçao de texto e dados dos problemas, como ofundamental de cada assunto

francisca edilene lopes de sousa disse...

Muitas são as situações de apredizagem que podem ser vivenciadas em uma escola. Além das tradicionais sempre é possível inovar, criar.
Um dos desafios do professor é adequar o conteúdo a realidade da sua sala, já que deve-se levar em conta o meio social, econômico e cultural do aluno frente a diversidade escolar.
Vemos que houveram muitas mudanças na escola por se considerar que na chegada dos alunos à ela(escola) traz-se um grande número de informações, embora nem sempre processadas com maturidade e responsabilidade. Daí faz-se necessário direcionar, organizar essa gama de informações de forma que tenham sentido e que venham gerar não apenas conhecimento, mas posterior aprendizagem.
Concordo quando o autor diz que as informações geradas pelos meios de comunicação em massa podem servir de ponto de partida, não de forma obrigatória.
O importante é que quando as informações forem utilizadas, estas venham gerar conhecimento, e este, por sua vez gerem projetos, demonstrando que hove aprendizagem, como tão bem colocou Machado em sua Pirâmide Informacional.
Um outro desafio para o professor tem sido o de estimular os estudantes na leitura e interpretação de dados. Como fazê-lo de forma que não se torne cansativo?
O que o texto mostra é que é cada vez mais necessário trabalhar com a interdisciplinaridade, e isso exige uma maior preparação do professor,
O objeto virtual da aprendizagem é um importante recurso a ser utilizado pela escola, para tanto, além dos profissionais que já trabalham nessa área, mais profissionais podem e devem ser capacitados a essa utilização pedagógica, de modo que se densenvolva a capacidade criativa dos estudantes.

José Carlos Martins disse...

O texto nos possibilitou a refletir sobre a importancia de planejar nossoas aulas e prepoarar nosso material de forma que nossos alunos venha ter possibilidades de interagir com os meios de informações obtidas através das redes de informações do mundo que circulam em grande velocidade deixando desta forma de se limitar apenas aos textos dos livros didáticos. O material utilizado por maios tecnológicas sobre os conteúdos que iremos trabalhar irá dispertar no aluno a ideia de através destes recursos virtuais podemos ter um intendimento maior sobre a realidade discutida em cada tema desenvolvido na sala de aula. Concordo com o texto estudado pois, não podemos mais viver fora desta realidade na qual se encontram a comunidade estudantil.

Antônio Cardoso dos Santos disse...

COMENTÁRIO DO TEXTO DE WALTER SPINELLI: OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM: AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO.




Concordamos com o texto que diz que os recursos tecnológicos têm contribuído para que boa parte dos jovens chegue à escola munida de grande leque de informações, no entanto eles muitas vezes não sabem compreendê-los e relacioná-los mostrando que não tem base sólida para a construção do conhecimento.


Curso do RIVED. Turma 3


Cursistas: Antônia Cardoso dos Santos
Severino Nunes da Silva

Severino Nunes disse...

COMENTÁRIO DO TEXTO DE WALTER SPINELLI: OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM: AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO.




Concordamos com o texto que diz que os recursos tecnológicos têm contribuído para que boa parte dos jovens chegue à escola munida de grande leque de informações, no entanto eles muitas vezes não sabem compreendê-los e relacioná-los mostrando que não tem base sólida para a construção do conhecimento.


Curso do RIVED. Turma 3


Cursistas: Antônia Cardoso dos Santos
Severino Nunes da Silva

Ana Claudia disse...

O objeto de estudo "O Milagre da Vida: Sexualidade Humana" proporciona ao professor recursos que permitem a abordagem dos aspectos mais complexos acerca do referido tema. São trabalhados nesse objeto os quato âmbitos aos quais esse tema está relacionado:cultural, social,psicológico e biológico.
Desta forma, poderemos alcançar o objetivo estabelecido para o tema com uma conversa interessante, permitindo que a Biologia possa auxiliar a nesse momento de relevante importância na fase atual de nossos alunos.

valeria regina gomes zilio disse...

Achei interessante as atividades de Biologia. Os exercícios de forma simplificada e bastante criativa. Faz com que o aluno reflita nas questões apresentadas, usando seus dados informativos na área de Biologia.

Alexandrina M suassuna disse...

O objeto virtual O milagre da vida: Sexualidade Humana, possui uma riqueza de informações, onde o professor pode explorar vários temas ligado à fisiologia do aparelho reprodutor humano, a reprodução,a função dos hormônios sexuais, gravidez na adolescência, métodos contraceptivos, prevenção da AIDS e outras DSTs.

Maria da Luz disse...

essa atividade é riquíssima para o aluno, onde ele vai usar a intuição, fazer previsões, utilizando assim várias situações para descobrir a conservação do movimento.
Esta mesma atividade pode ser utilizadas em outros assuntos.Utilizando a rede de computadores de um laboratório da escola, com esses recurso será de grande acréscimo para conhecimeto do aluno.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Comentário do 2º encontro:

Professor Leido, estou de acordo com o guia, só achei que 1 hora/aula é pouco, em virtude da quantidade de duplas nas turmas serem maiores que a quantidade de computadores. Pois o interessante é todos os alunos participem, não só olhando, mas tendo acesso ao mouse e ao computador, para vivenciar a tarefa.
As tarefas são bastantes interessantes, pois mostram os conceitos, os elementos das figuras, a diferença entre poliedros, corpos circulares, figuras planas. Em seguida vemos a aplicação no nosso dia-a-dia, pelas cidades mostradas nas atividades.
Bom mesmo é formar dupla com um aluno esperto e outro mais fraco, pois o mais esperto já dá uma ajuda ao mais fraco, tornando assim fácil a atividade e o entendimento.
O guia é muito bom, pois nos ajuda, dá idéia, como procederemos antes, durante e depois.

Mácia Regina Vieira de Morais.

Clovis Monte disse...

Após uma análise breve dos objetos da aprendizagem observei que em todas as áreas , todos eles possuem muitas opções (simulações ) para despertar nos alunos o gosto pela matéria em estudo, e também desenvolve o raciocínio em todos os aspectos , principalmente na parte de matemática e física .

ione francinete disse...

Olá!
Vimos como é importante utilizarmos o programa Rived na sala de aula, pois o mesmo auxilia nossa prática, como também a aprendizagem dos alunos. A qualidade e a quantidade dos conteúdos apresentados nas atividades mostram a facilidade de trabalharmos as disciplinas de forma prazerosa e objetiva. No caso da atividade “O milagre da vida: Sexualidade Humana”, onde o objeto de estudo é um tema muito discutido pelos jovens na sala de aula, apresenta ilustrações bem práticas, facilitando assim a transmissão e a compreensão dos conteúdos pelos alunos.

nivanilde m p de lima disse...

Comentário sobre a análise da atividade de matemática

Geometria na cidade


Muito interessante esta atividade, pois leva o aluno a ter uma nova leitura do espaço físico da cidade onde mora. Também levá-o a interagir com os conceitos básicos da geometria e a fazer uma análise entre o concreto e o abstrato. Assim o aluno, nessa atividade, consegue visualizar a diferença entre as figuras planas e as sólidas.
Nivanilde M. Pessoa.

nivanilde m p de lima disse...

Comentário sobre a análise da atividade de matemática

Geometria na cidade


Muito interessante esta atividade, pois leva o aluno a ter uma nova leitura do espaço físico da cidade onde mora. Também levá-o a interagir com os conceitos básicos da geometria e a fazer uma análise entre o concreto e o abstrato. Assim o aluno, nessa atividade, consegue visualizar a diferença entre as figuras planas e as sólidas.
Nivanilde M. Pessoa.

José Genicleand Freire disse...

O Professor deve testar as simulações antes de apresentar aos alunos.
O aluno deve ser convidado a testar a segurança que determinados veículos oferecem aos pasageiros durante uma colisão,
poderão utilizar peças feitas na montagem de seus carros que posteriomente serão testados numa batidas , isso possibilitará o cálculo da força que produz a variação da quantidade de movimento. Com isso podemos traçar os objetivos
* Analizar a realação força , variação e quantidade de movimento.
* Reconhecer a força como agente da variação de movimento
* Observar que diferentes materiais possuem resistências diferentes.

Após o aluno realizar algumas combinações, deverá determinar a variação da quantidade de movimento e a força envolvida em cada situação , ele deverá , dentre as situações aquela que proporciona uma maior segurança.
*Velocidade > ou <
*Massas > ou <

Conceição Costa disse...

OS OBJETOS VIRTUAIS DA APRENDIZAGEM, AÇÃO, CRIAÇÃO E CONHECIMENTO.

Spinelli aborda em seu texto a importância da utilização do computador e os recursos didático-pedagógicos que este oferece;
Recursos estes que surgem como facilitadores na seleção de informações que contribuirão para a construção e compreensão dos conceitos que viabilizarão a ascensão do educando à pirâmide informacional idealizada por Machado.
O conhecimento sistematizado vem sendo abordado pela escola dissociado da prática, de forma que, ao educando cabe apenas a parte teorica; esta realidade tem gerado questionamentos que o professor tem ouvido com freqüência: onde vou usar este assunto? Porque preciso estudar este assunto? A falta da compreensão da importância da informação trabalhada na escola,na minha opinião, tem gerado os questionamentos acima citados, bem como, à falta de interesse do educando pelo que a escola tem a oferecer; a teoria deve andar de mão dadas com a prática ou vivência do aluno de forma que este (o aluno) possa estabelecer relações significativas.Através dos objetos vituais: simulaões e animações o aluno seguindo os direcionamentos do professor poderar visualisar a aplicabilidade da teoria que lhes chega atravéz de aulas expositivas, de forma que possa estabelcer as conecções cognitiva possibilitadoras da compreesão,portanto, do conhecimento.

Claudio Palhano disse...

Das quatros atividades observadas a que mais chamou minha atenação foi da de quantidade de movimento, essa demosntração, pode ate ser trabalhada dentro de uma quadra de esporte com alunos usando patins " desde que os alunos saibam utilizar o patins"

Assim como atividade de matemática, também é muito interessante a demonstraçao de figura geometrica atraves das formas de estruturas os quais rodeiam uma cidade.

geraldo marreiros disse...

gostei bastante da aula virtual sobre "a geometria na cidade."com certeza os alunos vão gostar basrante dessa nova e inovadora ferramemta...

francisca edilene lopes de sousa disse...

Esta aula desperta o interesse do aluno quando trata de medicamentos e uso de substâncias comuns nas nossas casas. A atividade é de fácil compreensão, já que não necessita de pré-requisitos e está de acordo com os objetivos colocados no guia do professor que por sinal direciona bem as discussões a serem levantadas.

severino nunes disse...

compreender e perceber que ao lado onde mora o aluno existe várias formas geométricas inseridas dentro do seu dia-a-dia. É importante mostrar aos alunos a importância da geometria. A partir da imagem de uma cidade podemos visualizar as formas geométricas planas e espaciais contidas nas construções antigas e atuais definindo a importância da geometria em todas as épocas.

Petrônio Teixeira dos Santos disse...

A partir da imagem de uma cidade podemos visualizar as formas geométricas e planas e espaciais contida nas construções antigas e atuais definindo a importância da geometria em todas as épocas.

Carlos Henrique Bezerra de Oliveira disse...

O objeto de estudo é de fácil compreensão e navegação. Mostra uma situação corriqueira do aluno, podendo interdisciplina-la com biologia e matemática. Podemos abordar temas como: automedicação e riscos para a população. Fazendo uma ponte com este assunto, podemos abordar, também, as substâncias que compõem o corpo humano e suas concentrações.

Antonia Cardoso dos Santos disse...

Esse objeto de estudo é de grande importância para nos auxiliar em nossa prática pedagógica, principalmente o guia do professor que nos orienta como trabalhar o mesmo. Como é um objeto de fácil acesso de navegação como certeza as aulas ficarão mais interessantes.

vanusia leandro disse...

Tendo,uma relação com temas tão criticados pela sociedade,os objetos de estudos estão bem especificos,relevando em consideração o conhecimento previo do aluno e levando-o a buscar novas descobertas de forma pratica e interdisciplinar.
dentre as atividades podemos acrescentar jogos,quebra-cabeça e outars atividades,no qual leve o aluno o estimular sua imaginação.
uma atividade que eu já fiz foi documentarios na comunidade ,onde foi apresentado pelos grupos resultados maravilhosos,houve participação de pais, alunos e outros familiares gostei muito do resultado.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Na parte de geometria a minha vivência, foi no ensino fundamental, onde levei os alunos para uma aula na quadra, aula está que eles visualizaram na prática onde usamos as figuras geométricas.
Na quadra de esporte eles compreenderam o círculo, quadrilátero, entre outros.
Pedi que eles medissem uma lateral da quadra, logo em seguida, solicitei que eles medissem a outra lateral e eles me responderam que seria a mesma medida, ótimo! Já perceberam que no retângulo os lados opostos tem mesma medida, que são paralelos, daí por diante já introduzi o conceito de perímetro, arcos, área, e outros.
Foi bastante proveitoso, eles quando iam resolvendo os exercícios estavam lembrando do que foi visto na prática.

Mácia Regina Vieira de Morais.

severino nunes da silva disse...

O encontro no todo foi excelente, mas o que mais me impressionou foi os recursos que existem disponível para o professor usar na sua prática pedagógica. O avanço tecnológico é o maior instrumento para se trabalhar com o aluno hoje. Infelizmente algumas escolas não dispõem de estruturas para se adequar a esse momento atual.

ione francinete disse...

2º Momento

Na atividade de matemática: “Geometria da cidade” viu a importância de trabalhar os conceitos da geometria plana, por exemplo, através do objeto virtual de aprendizagem, pois fica mais fácil a compreensão dos conteúdos aplicados com ajuda de imagens projetadas no computador, como também o conceito de química, com atividades vivenciais fazendo o aluno compreender a importância dos medicamentos e como se deve utilizá-los de forma correta.

nivanilde disse...

Socialização
A socialização do grande grupo nos mostrou o quanto é importante um planejamento para o dia-a-dia em sala de aula, e o guia dos professores nos ajuda neste planejamento. O objeto de estudo parte da simplicidade do cotidiano do aluno. Tornando-se uma atividade prazerosa.

Vivência
A atividade GEOMETRIA DA CIDADE faz parte do cotidiano de todos nós, e observando certo aluno perguntou-me a diferença entre construções verticais e horizontais. Esta pergunta nos levou a uma atividade de pesquisa sobre formas geométricas e a diferenciar entre as figuras planas e sólidas.
Essa atividade GEOMETRIA DA CIDADE faz a retomada de conteúdos iniciais da geometria, que muitas vezes, já estão esquecidas pelos alunos.

Petrônio Teixeira dos Santos disse...

A aula foi bastante proveitosa em relação aos comentário das diversas disciplinas. Em relação a questão vivencial em sala de aula é muito comum nas aulas de matemática a pergunta aonde aplicamos este assunto. Então temos que mostrar a presença da matemática em seu cotidiano.

Alexandrina Suassuna disse...

Na aula de hoje foi observado um objeto virtual sobre O milagre da vida: sexualidade humana, este tema é muito abrangente e de grande interesse dos alunos. Os educandos sempre me perguntam alguma coisa relacionada a este tema, principalmente as meninas, que tem dúvidas na utilização da tabelinha como método contraceptivo e também com relação a transmissão das DSTs. A utilização de material como esse facilitará o meu trabalho, pois este objeto virtual facilitará a abordagem do tema em sala de aula, porque o aluno assiste a aula e navega no objeto virtual.

geraldo marreiros da silva filho disse...

Bem a socialização à cerca da discussão sobre osOAS de aprendizagem foi bastante proveitosa foi importante ouvir a opinião dos colegas. Acredito que o grande diferencial desses objetos em relação aos outros é que esses OAS apresentam algo que ajudará bastante na aplicação dos OAS: o guia do professor escrevo isso pois já havia feito uso de outros OAS e esse fator faz todo o diferencial agora existe uma didática "pronta para auxiliar o mediador na aplicação dos OAS. `achei fácil a navegação,espero puder usar na escola em que leciono. Em relação a algo vivenciado que venha a remeter sobre os objetos estudados e discutidos pude experenciar um trabalho feito sobre a geometria e os elementos geométricos encontrados na natureza os alunos puderam perceber as formas geométricas desde uma folha a um olho de um animal.Agora com o uso do programa,espero que meus alunos se deleitem cada vez mais quando fizer uso por exemplo: no OA- geometria na cidade....

Clovis Monte disse...

O objeto da aprendizagem: “Geometria da Cidade” que tem como objetivo geral de compreender e perceber as formas geométricas planas e espaciais como parte integrante da cultura contemporânea, sendo capaz de identificar sua presença nas construções arquitetônicas, pode ser explorada em sala de aula para mostrar aos alunos, também,a relação entre forma e custo de produção e nas embalagens de produtos se, é mais econômico comprar um determinado produto , usando os seus conhecimentos referentes a geometria espacial,seus elementos, propriedades, e as áreas e volumes das figuras geométricas planas.

nivanilde disse...

Socialização
A socialização do grande grupo nos mostrou o quanto é importante um planejamento para o dia-a-dia em sala de aula, e o guia dos professores nos ajuda neste planejamento. O objeto de estudo parte da simplicidade do cotidiano do aluno. Tornando-se uma atividade prazerosa.

Vivência
A atividade GEOMETRIA DA CIDADE faz parte do cotidiano de todos nós, e observando certo aluno perguntou-me a diferença entre construções verticais e horizontais. Esta pergunta nos levou a uma atividade de pesquisa sobre formas geométricas e a diferenciar entre as figuras planas e sólidas.
Essa atividade GEOMETRIA DA CIDADE faz a retomada de conteúdos iniciais da geometria, que muitas vezes, já estão esquecidas pelos alunos. nivanilde

INÊS LEAL VASCONCELOS disse...

NA MINHA VIVÊNCIA EM SALA DE AULA JÁ OCORRERAM MUITOS FATOS INTRIGANTES, ALEGRES, TRISTES, MAIS ESSE FATO VAI TRATAR DE UMA ALUNA DE QUATORZE ANOS QUE ME PERGUNTOU SE TRANZAR MENSTRUADA ENGRAVIDAVA.
PROCEDIMENTOS
ABORDAMOS OS MÉTODOS ANTICONCPCIONAIS
OVULAÇÂO PREMATURA
RISCOS DE UMA GRAVIDEZ INDESEJADA
DOENÇAS
RISCO EM SER MÃE MUITO NOVA E A CRIANÇA NASCER COM SINDROME DE DOWN.
REFLEXÃO;
CONVERSAMOS EM QUASE TODAS AS OPORTUNIDADES FORA DE SALA DE AULA.
E PLANEJAMOS QUE NO PRÓXIMO BIMESTRE IREMOS TRATAR DO TEMA DE FORMA UNIFORME ENVOLVENDO OS DEMAIS ALUNOS COM DEBATES E SEMINÁRIOS.

José Genicleand Freire disse...

Eu nunca cheguei a ministrar quantidade de movimento em sala, porem com este programa da RIVED que nos capacitam e nos dá mais segurança para que este assunto tão importante seja dado em sala.

Experimento "Choques entre bolinhas

Há algo que se transfere em colisões entre objetos?

Material:

Dois pares de bolinas: duas de gude (de vidro) e outras duas de metal (eu consegui em oficina de caminhão algumas esferas contidas em rolamentos grandes);2
duas réguas (as maiores possíveis) ou duas ripas de madeira ou várias réguas pequenas;
fita adesiva.
Procedimento:

* Com as réguas e fita adesiva, monta-se uma pista em forma de canal para assegurar o tráfego linear das bolinhas; neste canal ocorrerão os choques.
Atividades propostas:
* Trata-se sempre do choque entre duas bolinhas. Uma inicialmente em movimento e a outra parada. Observe e compare as velocidades das bolinhas, antes e depois dos choques. Repita sempre várias vezes cada atividade, variando as coisas: velocidade dada à bolinha que provoca o choque e o que mais for possível.

Petrônio Teixeira dos Santos disse...

A partir da imagem de uma cidade podemos visualizar as formas geométricas e planas e espaciais contidas nas construções antigas e atuais definindo a importância da geométria em todas épocas.

José Carlos Martins Leitão disse...

A nossa vivência em sala de aula que têm relação com o objeto analisado foi a Discriminação de alunos obesos em sala de aula que entendemos está relacionado com a ANATOMIA humana. É incalculável as estresses de alunos que se sentem incomodados com as brincadeiras de colegas quando é visto como uma pessoa que está acima do peso e são apelidado de forma pejorativa. Essa situação vai provocando problemas psicológicos e pode interferir diretamente no desempenho escolar podendo até provocar evasão escolar que vai gerando dificuldades sociais e muitas vezes a questão passa ser biológica e não da cultura nutricional como muita vezes as pessoas confundem os gordinhos como pessoas que exageram na alimentação, portanto, toda essa problemática vai provocando dificuldade de relacionamento sócio-educacional. Portanto, o professor em sala de aula deve atentar para esta problemática e que o objeto estudado nos fez refletir sobre esta questão vivencial.

Petrônio Teixeira dos Santos disse...

A partir da imagem de uma cidade podemos visualizar as formas geométricas e planas e espaciais contidas nas construções antigas e atuais definindo a importância da geométria em todas épocas.

Anônimo disse...

Mediante a socialização sobre os OAS, ficou óbvio que os colegas tiveram uma boa impreção sobre a importância do uso dos OAS. O grande diferencial é que nesses objetos existe um "GUIA DO PROFESSOR" que ajuda na aplicação da aula e esse passo-a-passo que o guia dar faz grande diferença. em relação a minha vivência pude experenciar a seguinte aula: em geometria espacial fazíamos a contrução de alguns sólidos em seguida planificavamos, depois íamos observar essas formas no nosso cotidiano.Hoje com esse material espero melhorar essa aula para que o alunado se aproprie de fato, do conhecimento.

francisca edilene lopes de sousa disse...

O uso indiscriminado de medicamentos pode levar a casos muitos graves, mesmo que seja simples ou sem importância aos nossos olhos. Uma aluna pediu-me um remédio para dor de cabeça. O problema é que ela sofre de pressão baixa. Foi necessário então explicar que ela não podia tomar qualquer medicamento, mas um que não lhe desse nenhum efeito colateral. Para a turma foi uma oportunidade de tratar da auto medicação e seus riscos. Também que devemos ter cuidado na compra de medicamentos sem receita médica.

Anônimo disse...

A vivência em sala de aula sempre nos faz refleti a respeito da falta de afetividade em relação aos alunos. Nos deparamos sempre com jovens agressivos, carentes e sem uma total base familiar. Alunos buscando algo, que muitas vezes, que nem mesmo eles sabem o que é; a falta de diálogo entre os pais ocasiona entre os jovens insegurança na construção da sua estrada vivencial. Devido a estes fatores, ocorre vários pontos negativos, principalmente na aceitação de si mesmo, como um indivíduo capaz, inteligente, real, criativo. A base familiar torna-se frágil e o jovem passa a ser um objeto do mundo vivido hoje(desinteresse pelo estudo, falta de emprego, drogas, tráfico como renda fácil e perigosa). São dois pontos abrangentes em questão: O social e o psicológico, principalmente. E a pergunta chega: - Quem sou neste mundo? Qual o meu real papel na sociedade? Por que tenho que ser bom numa sociedade que não me escuta, não me aceita como sou, não escuta o que preciso para as minhas necessidades. São pontos para nós Educadores refleti e pensar o que podemos ajudar. De que forma podemos chegar ao mundo dos nossos jovens e orienta-los, aos invés de um montante de cobrança de conteúdos, precioná-los quanto o desinteresse em estudar, resaltar notas, enfim, cobrança e mais cobrança.. É realmente, um objeto de estudo e reflexão.
O Objeto de estudo do nosso segundo encontro possibilitou desenvolver este texto com base em nossa vivência em sala de aula.

Conceição Costa disse...

Ao analisar e testar os objetos virtuais de aprendizagem pude constatar que, além da oportunidade de visualizar através da simulação e animação a aplicabilidade da teoria, procuram despertar o interesse do aluno através dos desafios inseridos em cada objeto virtual; está constatação vem fortalecer várias teorias pedagógicas,bem como,a proposta do Rived como recurso facilitador na construção do conhecimento e superação das dificuldades de aprendizagens,dificuldades essas já bastante conhecidas pelo professor.
Gostaria ressaltar a grande ajuda que o guia do professor dará, pois está muito bem elaborada seguindo a proposta dos parâmetros curriculares do Ensino Médio; vale ressaltar ainda a importância da utilização de outros recursos didático-pedagógicos que associados ao RIVED poderão impulsionar o educando à uma aprendizagem significativa;a relação entre os recursos de aprendizagem também é uma preocupação da proposta do Rived,fato que muito me agrada.

silvuo seabra disse...

Interdissiplinalidade

O objetivo do curso e procurar a interdisciplinalidade entre as diversas areas de ensino, mostrando sempre que possivel um ou mais exemplo vivencial do seu cotidia

silvio seabra disse...

Farmácia em casa

O objetivo do curso e levar ao aluno o estudo de quimíca do cotidiano ,as vezes ele ver o fenômeno no dia a dia e não consegue visualizar nas experiências vivenciais com o conteúdo propriamente dito e ocaso dessas situações hipotéticas do texto com as oito situações , como ; a falta de vitaminas no organismo o que ocorre com as pessoas da uma indisposição para os afazeres domésticos . do dia adia, lazer, estudar etc e também um mau aspecto físicos como uma pessa anémica.

Antonio Florencio disse...

Discurso foi muito prazerosa a troca de experiências, foi de muita valia isso só vem enriquecer a nossa pratica,são momentos assim que a nossa educação precisa de discussão e reflexão.

Antonio Florencio disse...

Discurso foi muito prazerosa a troca de experiências, foi de muita valia isso só vem enriquecer a nossa pratica,são momentos assim que a nossa educação precisa de discussão e reflexão.

Clovis Monte disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO-CESAR NUNES
COMENTÁRIO. Clovis Monte Silva
Segundo o autor em sua introdutória diz que: a avaliação deveria ser indissociável do processo de repensar a educação. Embora possa parecer óbvio, não foi o que aconteceu num primeiro encontro. A sobrevalorização de testes, e exames de larga escala com seus objetivos testes de conteúdo tem impedido uma maior disseminação de práticas educacionais que trabalhem valores, competências e habilidades.Concordo plenamente com o autor nesse aspecto.Existem muitas maneiras de avaliar o aluno no aspecto quantitativo.E no qualitativo ? Esse é o ponto a ser discutido. Como conseguir o qualitativo?
Para que nós pudéssemos aplicar todos esses métodos ou técnicas deveríamos receber por parte das autoridades educacionais formação nesse sentido, isto é, todos que estão relacionados diretamente no processo, como o que está acontecendo nesse momento, e que deveria ser aplicado em outros aspectos, não só em software, mas também na questão do relacionamento e na amostragem do como fazer, como por exemplo, na aprendizagem baseada em problemas abertos, nas ferramentas para a resolução do problema, nos problemas dinâmicos.
Com o uso de programas ou jogos estamos criando um tipo de aprendizagem “mecânica”, deveríamos trabalhar e explorar também o aspecto emocional do aluno, valorizando o seu
“ego”, o seu inconsciente.
A metacognição é muito interessante, deveríamos trabalhar a conscientização do aluno sobre o que sabe e o que não sabe, sobre como sabe, sobre como se aplica o que sabe, sobre como otimiza o que sabe e sua aplicação .
E, finalmente na sala de aula, o professor, o educador trabalhar para desenvolver na sala de aula as habilidades, competências, autonomia, capacidade de trabalho em grupo,o pensamento crítico do aluno, o respeito pelo seu semelhante.
Quando nós educadores soubermos trabalhar todas essas técnicas, essa mais variada maneira de aprendizagem, então, estará pronta para avaliarmos os nossos alunos e , todos nós professores, educadores , estaremos nos valorizando como profissionais da educação e cidadãos conscientes e formando pessoas conscientes de seus deveres e direitos.
... E, assim seja.
Clovis Monte Silva - Profº Matemática e Física.

Clovis Monte disse...

O Laboratório Didático Virtual tem como principal objetivo construir uma infra-estrutura pedagógica e tecnológica - comunidade de aprendizagem - que facilite e incentive no aluno o pensamento crítico, o uso do método científico, o gosto pela ciência e principalmente a reflexão e compreensão do mundo que o cerca.De acordo com os objetivos expostos acima pelo labvirt, é muito interessante que o professor procure sempre na medida do possível estimular o uso dessa poderosa ferramenta que realmente faz com que o aluno tenha uma interação muito boa através das simulações, ajudando e muito a compreenção dos conceitos vistos em sala de aula,e além de outras dicas e sites referentes as demais disciplinas, não só física e matemática.Muito bom.Recomendo.

Petrônio Teixeira dos Santos disse...

A explosão da tecnologia é o principal desafio que a sociedade enfrenta hoje. Cada inovação tecnológica bem sucedida modifica os padrões de lidar com a realidade anterior, com isso a comunicação torna-se mais sensorial,multidimensional, e não linear.
Então podemos observar que a televisaõ é um poderoso meio de
comunicação e ninguém fica imune a



ela. A escola precisa utilizar mais esse recurso na educação, pois ele desperta a curiosidade dos alunos e professores e dá apoio aos conteúdos programáticos.
Podemos observar que o uso de imagem, na escola pode promover situações que facilitam a aprendizagem. O video é um importante recurso: sua linguagem audiovisual desenvolve múltiplas atitudes perceptivas e solicita a imaginação. Por meio dele, expericiamos sensoriamente o outro, o mundo e nós mesmos. O video ajuda o professor na sala de aula e atrai os alunos, basta utilizalo da forma correta.

Maria Lourdete disse...

Para César Nunes, a avaliação deve está de acordo com as novas atualidades, deve contemplar todos os conhecimentos e habilidades dos alunos, uma vez que muitos saberes estão sendo construídos, numa velocidade muito grande, avaliar só conteúdos pode prejudicar outras habilidades que estão relacionadas a outros saberes.

maria da luz de medeiros dias disse...

O texto de César Nunes, vem abordar:
A utilização das novas tecnologias da informação e da comunicação, sobretudo a internet, em situações de aprendizagem é um tema que cada dia desperta o interesse de professores e pesquisadores na área educacional. Tanto no cenário nacional quanto internacional cresce o número de pesquisas sobre o assunto.
Neste sentido são necessários “novos olhares” acerca dos processos educacionais, que revelam novas posturas, novos desdobramentos.
Hoje com as ferramentas da internet várias possibilidades têm se descortinado, mas ainda é um desafio para os professores, devido à necessidade de estarmos preparados para conduzir o trabalho em grupo, ser dinâmico, saber guiar diversas situações simultâneas e dominar o conteúdo. Ainda há muito a se aprender sobre avaliações dinâmicas e interativas principalmente avaliações que possam acompanhar o processo de autonomia implícito nesta modalidade de ensino. A utilização de novas ferramentas tecnológicas em educação passa por uma mudança radical nos paradigmas docentes. O professor deixa de ser o único detentor do conhecimento e passa a compartilhar de uma sociedade aprendente.
O uso das novas tecnologias nos mostra que há outras maneiras de ter acesso a situações de aprendizagem e podemos ainda criar novos recursos didáticos, através da multimídia, som e imagem, o uso do hipertexto, o trabalho em rede com o advento das novas tecnologias, o professor tem uma necessidade maior de estudos constantes para atualizar-se e adquirir novos conhecimentos, esta aquisição pode ser potencializada pelo uso de computadores e Internet através dos quais ele tem acesso mais fácil à informação e ao conhecimento e com maior velocidade. O docente deve estar em constante mutação para melhor lidar e se relacionar com este conhecimento e estar a par dos avanços tecnológicos e de suas possibilidades. Por isso o professor passa a ter novos interesses profissionais. Este deve estar sempre questionando e modificando suas formas de relacionar com as idéias, com as pessoas e com o papel que exerce.

Alexandrina Suassuna disse...

A maneira como é trabalhada a avaliação da aprendizagem nas escolas ainda deixa muito a desejar. Mas qual a melhor forma de se avaliar? O problema da avaliação é muito debatido pelos especialistas em educação, mas ainda não se chegou a um denominador comum. De certa forma eu concordo com o texto quando o autor fala “uma maneira de superar essas dificuldades é primeiramente ter clareza dos objetivos de aprendizagem das nossas disciplinas”. Quando vou saber se o meu método de avaliação teve sucesso? Com certeza temos que ter objetivos, mas é muito difícil saber quando este foi atingido.
Obrigada !

Joilson Francisco disse...

Ao longo do tempo, a educação vem travando uma luta entre qualidade e quantidade no processo educativo, pois avaliar não é algo que possa ser dissociado do momento da aprendizagem, não deve ser algo para reprimir, medir ou rotular os alunos segundo sua capacidade na realização de determinadas atividades que intitulamos"avaliação".
O ato de avaliar é conhecido como instrumento de medição e não de qualificação do que se ensina e do que se aprende. É dentro desse âmbito que a tecnologia busca formas de avaliar sem rotular. Hoje, programas de softwares procuram mostrar problemas de acordo com a realidade dos alunos e com as condições que cada um apresenta no momento do processo de aprendizagem. Esses programas levam a conscientização do próprio aluno sobre o que sabe e o que não sabe e, como otimizar a aplicação daquilo que já se sabe.
Além de ajudar os alunos, esses programas ajudam ao educador não sobrecarregando-o e, sim, dando ferramentas para que a atividade seja realizada com um mínimo de intervenção do professor.
Os tipos de avaliações realizadas passama a idéia da importância que se dá a diferentes formas de aprendizagem. Mas na verdade elas não mensuram a compreensão de cada um sobre o objeto de estudo. Antes de mais nada deve-se ter objetivos de aprendizagem: o que meu aluno deseja saber? como transmitir? qual a melhor forma de se avaliar?.
Essas perguntas são respondidas hoje pela tecnologia quando esta apresenta programas capazes de registrar passo a passo o desenvolvimento da aprendizagem individual ou coletiva de cada um, sendo assim,um instrumento valioso na hora de avaliar o aluno.
Apesar de acreditar que a tecnologia possa ajudar, não devemos esquecer o lado humano, psicológico e emocional de cada um durante o processo de aprendizagem, pois é inegável que os sentimentos, as emoções ou o momento de vida pelo qual o indivíduo passa interfere diretamente no processo de avaliação. Não devemos pois, por trás de todo programa inventado existe um ser humano pensante e pulsante, vivo no mais puro significaddo dessa palavra.

Claudio R. Palhano disse...

Repensando a avaliação é realmente um tema a ser aprofundado no que dizem respeito à educação, as novas técnicas de avaliar devem ser realmente revistas, mesmos as novas avalia-ções em grupo ou individuais. Porém devemos repensar e aprender como deveremos utilizar um novo método avaliativo como uso dessas novas tecnologias.

Devemos pensar e estudar novas técnicas que incentivem os alunos a lê melhor, com mais compreensão, pois a avaliação deve ser aplacada com métodos a contribuir para uma me-lhor aprendizagem.

Talvez o “ensino para a compreensão” seja um caminho para ajudar avaliar, deste que as quatros dimensões sugeridas sejam realmente cumpridas e cada vez mais aprofundadas.

Geraldo Marreiros disse...

O que orienta a valiação são os objetivos. Daí, a necessidade desses objetivos serem estabelecidos com bastante critério. Todos os instrumentos de medida e avaliação são eficientes quando usados criteriosamente de acorodo com objetivos previstos.Os requisitos básicos de um bom instrumento de medida são a validade e a fidedignidade, além de outras carcterísticas, como objetividade e praticidade. Os objetivos direcionados a cada disciplina também devem está claro para o aluno, daí a significância de conteúdos relevantes.
O ensinar deve estar além da compreensão, deve atingir a transformação positiva do educando, tornando-o um ser pensante, crítico e atuante na sociedade me que vive.
Cada pessoa pode aprender de um jeito e em um determinado tempo. Portanto, é tarefa do educador mediar o conhecimento de forma que o educando conceba o aprendizado de maneira sistemática.

Anônimo disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO


A avaliação sempre foi e será um ponto a ser discutido no âmbito educacional; talvez faça parte da tradição à forma de avaliar já que, a maioria dos professores visa mais a parte quantitativa que a qualitativa na aprendizagem do aluno. Leva-lo a refletir, a criar conceitos básicos, deixa-lo responsável pela sua aprendizagem é um caminho muito longo a seguir, porém nesse mundo de mudanças constantes, faz-se necessário que o aluno mantenha uma postura diante da mesma.
Segundo César Antunes, a tecnologia é um instrumento valioso na ajuda do professor que juntamente com a sua disciplina trabalham estratégias de pensamentos, transferências, generalizações.
O uso de situações-problema permite avaliar posturas dos alunos e professores diante dos conteúdos e da forma de serem avaliados, porém, os professores, muitos deles, ainda estão na fase do repassar conteúdos e os alunos na da memorização (mecânica) dos mesmos.
Nivanilde

Anônimo disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO


A avaliação sempre foi e será um ponto a ser discutido no âmbito educacional; talvez faça parte da tradição à forma de avaliar já que, a maioria dos professores visa mais a parte quantitativa que a qualitativa na aprendizagem do aluno. Leva-lo a refletir, a criar conceitos básicos, deixa-lo responsável pela sua aprendizagem é um caminho muito longo a seguir, porém nesse mundo de mudanças constantes, faz-se necessário que o aluno mantenha uma postura diante da mesma.
Segundo César Antunes, a tecnologia é um instrumento valioso na ajuda do professor que juntamente com a sua disciplina trabalham estratégias de pensamentos, transferências, generalizações.
O uso de situações-problema permite avaliar posturas dos alunos e professores diante dos conteúdos e da forma de serem avaliados, porém, os professores, muitos deles, ainda estão na fase do repassar conteúdos e os alunos na da memorização (mecânica) dos mesmos.
nivanilde

nivanilde m pessoa disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO


A avaliação sempre foi e será um ponto a ser discutido no âmbito educacional; talvez faça parte da tradição à forma de avaliar já que, a maioria dos professores visa mais a parte quantitativa que a qualitativa na aprendizagem do aluno. Leva-lo a refletir, a criar conceitos básicos, deixa-lo responsável pela sua aprendizagem é um caminho muito longo a seguir, porém nesse mundo de mudanças constantes, faz-se necessário que o aluno mantenha uma postura diante da mesma.
Segundo César Antunes, a tecnologia é um instrumento valioso na ajuda do professor que juntamente com a sua disciplina trabalham estratégias de pensamentos, transferências, generalizações.
O uso de situações-problema permite avaliar posturas dos alunos e professores diante dos conteúdos e da forma de serem avaliados, porém, os professores, muitos deles, ainda estão na fase do repassar conteúdos e os alunos na da memorização (mecânica) dos mesmos.
nivanilde m pessoa

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Professor, o processo de avaliação é muito complicado, porém sabemos que para a vida fora da escola, tudo que iremos fazer precisaremos responder a uma ou várias provas, além de outras técnicas, mas as velhas provas não deixam de aparecer.
Pensando por este lado, a escola está certa quando exige prova, pois os alunos precisam está acostumados e com alguma experiência.
É interessante a maneira de avaliar a capacidade de resolução de problemas, quebrando-o em um ou mais problemas, em tarefas que envolvam o conhecimento declarativo.
Concordo que “os alunos tem que aprender a aprender, ...”
Os alunos, às vezes nos surpreendem, com a resolução de situações problemas, que em alguns casos, nós professores nem tínhamos pensado antes.
Achei bastante legal o tópico dos instrumentos de avaliação para a sala de aula. Espero conseguir seguir alguns.

vanusia leandro disse...

no que diz a respeito do texto de Cesar Nunes repensando a avaliação,acho importante avaliar,mas que seja de forma mais contidente,pois há muitos professores que não preparam suas avaliações de modo que leve o aluno a pensar e buscar novas formas de ver o mundo ,e sim utilizam suas avaliações como um instrumento de mera avaliação. temos que avaliar,pois hoje estamos passando por constantes avaliação, mais o modo de avaliar tem que ser revisto por alguns educadores.

MAGNA DE MELO BARRETO disse...

O uso de softwares educacionais facilita o aprendizado, tornado o pensamento crítico mais aguçado, pois com internet o legue de informações é bastante abrangente,e acaba levando o aluno e o professor desenvolver metodologias científica, as aulas mais criativa e o professor tem a facilidade de mostrar através de recursos etapas em diferentes situações dentro do assunto explanado em sala de aula , como por exemplo as etapas da divisão celular. O que precisamos são dos computadores instalados nas escolas, não nas caixas e sem internet como é a nossa realidade.

Francisca de Fatima Menezes Nunes disse...

comentario referente ao texto de Cesar Nunes.
O texto aborda a utilizações de novas tecnologias em situação de aprendizagem. Cada tema a cada dia desperta interesse no professor em pesquisar mais em qualquer área do conhecimento o interesse a tendência é aumentar.
Atuamente a iternet tem ferramentas que nos possibilita está sempre descobrindo. O uso das tecnologias nos mostra que existe várias maneiras de acesso a situação de aprendizagem e ainda criar novos recursos didáticos, para isso precisa ter interesse para descobrir novas idéias para o fazer do professor e do aluno.

José Genicleand Freire disse...

Repensando a Avaliação de Cesar Nunes

O Trabalho de Nunes na maneira de avaliar a aprendizagem incluindo a informática como objeto de aprendizado .

O Trabalho Informática Educacional Repensando o Uso dos Computadores nas Escolas de Educação Pretende Fornecer Elementos Para Uma Reflexão Sobre a Construção do Conhecimento e o Uso das Novas Tecnologias na Era da Informação Principalmente no Que Diz Respeito ao Uso do Computador Como Ferramenta de Apoio no Processo Ensino Aprendizagem e Propõem Uma Metodologia Que Permita Aos Alunos Aprenderem.

Com certeza é uma ferramenta importante para diminuir a diferença entre algumas escolas, e promover a inclusão digital mais ampla, essa é uma nova maneira de testar os conhecimentos de um aluno .

Anônimo disse...

o objeto analizado foi o cubo mágico. particularmente não achei muito didático,as regras do jogo não foram muito claras, a dificuldade em manipular o jogo desestimulou no início.Mas aos poucos foram sendo clareada.Acredito que esse OA necessite de conhecimentos prévios por parte dos alunos,para que possa desenvolver melhor os objetivos atidunais e procedimentais.

Alexandrina Suassuna disse...

O objeto virtual: O TRABALHO DE MENDEL COM AS ERVILHAS analisado apresenta uma boa interatividade para os alunos, visto que trabalhar genética no ensino médio é um pouco difícil, pois os alunos acham muito abstrato. Então esse objeto virtual seria facilitador para a introdução de alguns conceitos de genética. O texto apresentado é de fácil entendimento, já que a linguagem é simples e também o objeto virtual é muito fácil para o aluno navegar.

Anônimo disse...

A avaliaçao deve servir de reflexao tanto para professor quanto para aluno.
A avaliaçao deve ser contínua e principalmente qualitiva.
Um dos problemas da avaliaçao, é que,termina sendo somente numérica.

José Brros Júnior
E.E.Professor Tertuliano Pinheiro Filho.
Barcelina/RN
josebarros1976@bol.com.br

severino nunes da silva e antonia cardoso dos santos disse...

comentário do texto "repensando a avaliação".

Somos de pleno acordo quando o autor diz que o objetivo maior do ensino que hoje é oferecido ao nosso aluno deve ser o "ensino para a compreensão". mesmo com nossas limitações, mais sempre procuramos atingir esse objetivo porque é de grande importância para o ensino aprendizagem no momento que ele compreende fica fácil para ele se avaliar e tomar conscientização sobre o que aprendeu com as aulas e o que precisa se aprofundar mais para que atinja o seu objetivo que é o aprendizado.

magna de melo barreto disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO
Métodos de avaliação educacional serão sempre questionados se estão certo ou se deveria ser melhorado, a qualidade e a quantidade no processo educativo não é algo que possa ser dissociado do aprendizado, não se deve rotular o aluno segundo sua capacidade na realização de determinadas atividades avaliativa.
Fico questionando, como era a qualificação educacional a 20,30 e 40 anos atrás, pois a s escolas públicas tanto tinha qualificação como quantificação, e hoje com tantas tecnologia onde fica a qualidade educacional,mudar tanto o método avaliativo deve ser repensado, até porque com a internet, novos conhecimentos são assimilados, comprreendidos e discutidos.
Ensinar deve esta muito além da compreenção, deve transformar o ser pensante, critico e atuante na sociedade em que vive, para que se torne prazeroso o aprendizado,

José Carlos Martins Leitão disse...

Repensando a avaliação

O texto ora estudado, nos possibilita a entender o que a escola pode fazer para avaliar seus alunos, e agora com os novos objetos metodológicos é que devemos ter vários estudos sobre avaliação. Os estudantes de hoje, passam por muitas dificuldades nos aspectos avaliativos, mas entendemos que a escola deve avaliar o seu aluno de forma qualitativa e procurar fazer alguns testes que possam facilitar a vida competitiva no mercado de trabalho. A avaliação deve ter uma função especial na vida estudantil do aluno, mais também devemos levar em consideração sua formação intelectual e educacional como ser transformador, capaz de exercer suas obrigações de cidadania e exigir seus direitos. O novo instrumento metodológico irá facilitar a compreensão dos conteúdos repassados e dará ao professor uma condição maior de interagir nas aplicações dos programas propostos . No nosso ponto de vista a avaliação deve ter característica especial onde partindo dela podemos elevar a alto estima dos alunos elevando o nível de aprendizagem.

José Genicleand Freire disse...

TABELA
Nome do Professor:
Disciplina:Física
Título do O.A. analisado: (Ondas Eletromagneticas)
Valorização

(1)=ruim
(2)=regular
(3)=bom
(4)=muito bom
Interatividade

(4)


Contextualização

(4)


Construção conceitual

(4)


Qualidade das simulações

(4)


Qualidade dos textos (diálogos ou não)

(3)


Qualidade dos feedbacks1


(4)

Adequação da duração da atividade ao tempo de aula


(2)

Qualidade do design2

(4)


Facilidade de navegação
(3)

Ana cláudia disse...

NOME: Ana Cláudia Justino Lopes
Disciplina: Biologia
Objeto de estudo: “Não me sinto bem”

O objeto de estudo em questão proporciona uma boa interatividade, não apenas com a temática abordada, mas também entre os alunos que participarão da atividade. Eles poderão observar as diversas atitudes em que o comportamento humano pode ou não contribuir para a conservação de uma boa saúde.
Ao trazer ilustrações de situações corriqueiras, permite que haja contextualização do tema. As simulações são facilmente compreendidas e de fácil navegação.
Assim, concluímos que o objeto é de grande valia para o trabalho de orientação acerca de hábitos saudáveis de vida.

Anônimo disse...

NOME DO PROFESSOR: MAGNA BARRETO
Disciplina:: BIOLOGIA
Titulo do O.A. analisado:O trabalho de Mendell_com as ervilhas.
(coloque o nome))
Valorização crescente da esquerda para a direita


Interatividade_______________4
Contextualização______________________4
Construção comceitual_________________4
Qualidade das simulações______________4
Qualidade dos textos (diálogo ou não)__4
Qualidade dos feedbacks_______________4
Adequação da duração da ativ.ao tempo de aula________2
Qualidade do design____________________________________3
Facilidade de navegação________________________________3

Alexandrina Suassuna disse...

Objeto analisado: O milagre da vida: sexualidade humana.
Interatividade: muito boa, pois o aluno pode navegar pelo objeto.
Contextualização: muito bom.
Construção conceitual excelente, pois o aluno pode construir os seus conceitos, baseado nos seus conhecimentos prévios.
Qualidade das simulações: boa.
Qualidade dos feedbacks: muito bom.
Adequação da duração da atividade ao tempo de aula: ótimo.
Qualidade do design bom.
Facilidade de navegação: excelente.

maria da luz de medeiros disse...

VARIAÇÕES DE MOVIMENTO
este assunto já trabalhei com os alunos, mais infelizmente não tinha esse conhecimento com o projeto RIVED, que so vai fazer enriquecer a aula de fisica. Mais analisando o conteúdo dentro do programa a minha opinião é a seguinte;
INTERATIVIDADE: otimo para trabalhar o aluno e na escola de modo geral.
CONTEXTUALIZAÇÃO: está fácil com uma boa interpretação, uma linguagem clara.
CONSTRUÇÃO CONCEITUAL: está bem conceitual.
QUALIDADES DAS SIMULAÇÕES: está otimo as simulações vai fazer com o aluno pense e analise cada resposta, ele pode construir mais conhecimento sem necessitar totalmente da ajuda do professor.
QUALIDADES DOS TEXTOS: em relação aos textos eles estão muito bom e claros.
QUALIDADE DE FEEDBACKE: otimo
ADEQUAÇÃO DA DURAÇÃO DA ATIVIDADE AO TEMPO DE AULA: nesse caso acho que precisa mais de aula para fazer uma analise mais profunda juntamente com o aluno.
QUALIDADES DE DESING: está otimo.
FACILIDADE DE NAVEGAÇÃO: mais ou menos facil.

Carlos Henrique Bezerra de Oliveira disse...

Cursista: CARLOS HENRIQUE BEZERRA DE OLIVEIRA



OBJETO: Química: em casa e na farmácia

A) Interatividade: O objeto mostra uma boa interatividade, pois retrata 8 aspectos diferentes, encaixando no dia-a-dia do aluno.

B) Contextualização: O objeto faz referência tanto a aspectos químicos quanto biológicos, facilitando interdisciplinaridade.

C) Construção contextual: O objeto é claro com relação a contextualização da atividade, pois cita situações do cotidiano.

D) Qualidade de simulação: Esta atividade apresenta um gráfico interativo e claro. Dependendo da quantidade de antibiótico, o gráfico se apresenta de uma forma.

E) Qualidade dos textos: Bastante eficiente. Utiliza textos como contexto e não como pretexto. Permite o diálogo, pois suas variáveis não são fixas.

F) Qualidade do Feed back : O objeto permite o retorno do tema se o professor interligar o assunto no cotidiano do aluno. Vários são os casos de automedicação por antibióticos.

G) Adequação da duração da atividade ao tempo da aula: A aula de soluções deve ser ministrada em, no mínimo, 3 aulas. O objeto necessita de 1 aula para marcar o fim do tema ministrado.

H) Qualidade de design: O design retrata bem o ambiente, seja no laboratório ou na farmácia.

I) Facilidade de navegação: Mostra sinais claros e bem visíveis, facilitando o aceso a aqueles que tem pouca noção de informática.

Anônimo disse...

TABELA
Nome do Professor: Magna de Melo Barreto
Disciplina:Biologia
Título do O.A. analisado: ..O trabalho de mendell com as ervilhas.......................................................(Coloque o nome)
Valorização crescente da esquerda para a direita (menor)    (maior)

(1)
(2)
(3)
(4)
Interatividade



4
Contextualização



4
Construção conceitual



4
Qualidade das simulações



4
Qualidade dos textos (diálogos ou não)



4
Qualidade dos feedbacks1



4
Adequação da duração da atividade ao tempo de aula


3

Qualidade do design2



4
Facilidade de navegação


2

inês leal disse...

ANÁLISE DO CONTEÚDO DE BIOLOGIA



Professora ; INẼS LEAL

Título de O.A. analisado; TABELINHA


Interatividade ; Houve interatividade com os alunos por esse assunto causar curiosidade e ainda existir falta de informação no processo de como evitar filhos de maneira mais segura sem maiores danos para o corpo evitando uma complicações para os futuros papais e para a família de maneira geral.

Contextualização; A medida que surgiam as dúvidas e questionamentos
íamos fazendo uma ponte entre o saber popular e o científico, desmistificando e provocando a turma para maiores reflexões.

Construção conceitual; Pela própria contextualização fomos buscar conceitos nos livros de ciência, biologia, para maior segurança do que estava-mos tratando.

Qualidade das simulações; Ajudaram bastante a memorização, houve atenção redobrada, e maior atenção por parte dos jovens

Qualidade dos textos; Na realidade os debates foram empolgantes,e satisfatórios, todos se envolveram com bastante interesse e participação.

Qualidade dos feedbacks; Foi genial de ótima qualidade, já que o assunto foi proposto pelo próprio estudante, havendo assim muito interesse.

Adequação da duração da atividade ao tempo de aula; O tempo foi o suficiente para ser executado em duas aulas consecutivas;

A qualidade do design; Muito bom .

Facilidade de navegação; houve alguns contratempos por causa da falta de habilidade com as ferramentas de trabalho, que com certeza, serão superados.

Rondinele e Petrônio disse...

2º MOMENTO
OBJETO ESTUDADO: PROBABILADADE

A) INTERATIVIDADE

O objeto estudado tem uma boa interatividade, pois podemos simular algumas situações envolvendo o cálculo das probabilidades.

B)CONTEXTUALIZAÇÃO

Com relação a contextualização podemos afirmar que existe uma relação com a história da matemática que por sua vez, usa a história no seu contexto geral.

C) CONSTRUÇÃO CONCEITUAL

A construção conceitual é gerada a partir do conhecimento prévio da matemática desenvolvida na sala de aula pelo professor e tendo em vista um determinado evento.

D) QUALIDADE DE SIMULAÇÕES

O objeto estudado tem uma excelente qualidade de simulação, pois viabiliza diversas possibilidades de eventos e utiliza também uma calculadora como recurso didático.

E) QUALIDADE DOS TEXTOS

Com relação a qualidade do texto, podemos concluir que se utiliza uma linguagem simples e de fácil domínio para o nosso entendimento e compreensão.


ALUNOS: Rondinele F. Rangel
Petrônio Teixeira dos Santos

DISCIPLINA: MATEMÁTICA

João Batista Sous Costa disse...

A Química na Agricultura


O material utilizado como aula apresenta uma excelente interatividade com o aluno, pois vamos mexendo a mãozinha e aparece a informação necessária. A contextualização também é interessante, pois na agricultura está a chave para superar a fome da humanidade no planeta.
Mas no aspecto construção conceitual é necessário complementar o trabalho, pois ela é extremamente pobre em vários aspectos, seria interessante pegar a composição química das substancias envolvidas na agricultura e trabalhar diversos conceitos básicos na química. Poderíamos também utilizar análises químicas de diversos produtos para mostrar como a química atua no laboratório no setor da agricultura.
A qualidade de simulação é muito pobre, pois fica na mesmice e bastante tedioso. A qualidade dos textos muito simples e sem muita objetividade no processo ensino aprendizagem. Quanto ao Feedback não consegui entender. O tempo da atividade esta boa, é possível chegar esses objetivos dentro do tempo esperado. O designer é razoável e facilidade da navegação sendo no Windows .
Para concluir quero dizer que a aula se torna interessante usando esse recurso mas volto afirma que temos que melhorar no aspecto do objetivo quanto ao processo ensino aprendizagem pois a chave de tudo é o conhecimento significativo dos conceitos básicos da minha disciplina que é a química.
Professor João Batista

francisca de fatima menezes nunes disse...

FORÇA.
este assunto FOI trabalhado com os alunos, mais infelizmente não tinha esse conhecimento com o projeto RIVED, que vai enriquecer as aula de física. Mais analisando o conteúdo dentro do programa a minha opinião é a seguinte;
INTERATIVIDADE: ótimo para trabalhar o aluno e na escola de modo geral.
CONTEXTUALIZAÇÃO: está fácil com uma boa interpretação, uma linguagem clara.
CONSTRUÇÃO CONCEITUAL: está bem conceituada e com muita clareza.
QUALIDADES DAS SIMULAÇÕES: estão muito boas as simulações vai fazer com o aluno pense e analise cada pergunta e der sua resposta, ele pode construir mais conhecimento sem precisar da ajuda do professor.
QUALIDADES DOS TEXTOS: em relação aos textos eles estão muito bons e sua linguagem muito clara.
QUALIDADE DE FEEDBACKE: muito bom
ADEQUAÇÃO DA DURAÇÃO DA ATIVIDADE AO TEMPO DE AULA: nesse caso acho que precisa mais de hora/aula para fazer uma analise mais profunda juntamente com o aluno de modo haja uma melhor aprendizagem e um melhor ensinamento.
QUALIDADES DE DESING: está muito bom.
FACILIDADE DE NAVEGAÇÃO: mais ou menos facil só falta as escolas se adequarem .

João Batista disse...

A Química na Agricultura


O material utilizado como aula apresenta uma excelente interatividade com o aluno, pois vamos mexendo a mãozinha e aparece a informação necessária. A contextualização também é interessante, pois na agricultura está a chave para superar a fome da humanidade no planeta.
Mas no aspecto construção conceitual é necessário complementar o trabalho, pois ela é extremamente pobre em vários aspectos, seria interessante pegar a composição química das substancias envolvidas na agricultura e trabalhar diversos conceitos básicos na química. Poderíamos também utilizar análises químicas de diversos produtos para mostrar como a química atua no laboratório no setor da agricultura.
A qualidade de simulação é muito pobre, pois fica na mesmice e bastante tedioso. A qualidade dos textos muito simples e sem muita objetividade no processo ensino aprendizagem. Quanto ao Feedback não consegui entender. O tempo da atividade esta boa, é possível chegar esses objetivos dentro do tempo esperado. O designer é razoável e facilidade da navegação sendo no Windows .
Para concluir quero dizer que a aula se torna interessante usando esse recurso mas volto afirma que temos que melhorar no aspecto do objetivo quanto ao processo ensino aprendizagem pois a chave de tudo é o conhecimento significativo dos conceitos básicos da minha disciplina que é a química.
Professor João Batista

francisca edilene lopes de sousa/antonia cardoso disse...

ome do Professor: Francisca Edilene Lopes de Sousa/Antonia Cardoso
Disciplina: Química

Título do O.A. analisado: Os raios misteriosos

Interatividade
Tem uma boa interatividade, dando ao aluno a possibilidade de ver situações diferentes.

Contextualização
Está bem contextualizado

Construção conceitual
Face as diferentes situações o aluno pode interagir repetindo quantas vezes achar necessário até que possa construir o conceito.

Qualidade das simulações
São claras e bem adequadas a realidade dos nossos alunos.

Qualidade dos textos (diálogos ou não)
Os textos são bem explicativos e coerentes ao tema estudado.

Qualidade dos feedbacks
Estão bem claros aparecendo no momento oportuno.

Adequação da duração da atividade ao tempo da aula
O tempo ideal a ser aplicado é de duas aulas, onde este O.A. pode ou não preceder as explicações da sala de aula.

Qualidade do design
São adequadas, facilitando o entendimento do aluno.

Facilidade de navegação
Tem uma grande facilidade de navegação.

Anônimo disse...

Bastante interessante o OA sobre permutação.Esse objeto trata o assunto de forma bastante lúdica levando com isso,uma melhor percepção
do-conteúdo ministrado. Há uma interatividade e-contextualização a qualidade da simulação é boa, o aluno conseguirá construir os conceitos.Esse conteúdo foi trabalhado em sala de aula apenas com as ilustrações do livro didático com esse objeto o aluno compreenderá melhor a contextualização e verificará a presença da matemática no cotidiano. o tempo bem como o feedback e a qualidade de design foram positivos, acreditamos que a prática escolar do material contribua de fato, para o ensino-aprendizagem significativa...

Valéria, Silvio e Veralucia disse...

SOLUÇÕES

a) INTERATIVIDADE Existe; pois os alunos podem simular várias situações mudando-se as massas do solvente e os volumes encontrando diversas concentrações.
b) CONTEXTUALIZAÇÃO Essas experiências estão bastantes contextualizadas no dia a dia dos alunos, pois ele observa esses fenômenos dos diversos tipos de concentração, quando ele toma um café, soluto (açúcar) e o solvente (água), as concentrações em ppm e ppb observa-se na água da CAERN, nos remédios que ingerimos quando doentes e no próprio sangue que tem os nutrientes orgânicos.
c) CONTRUÇÃO CONCEITUAL Levar o aluno a entender a prática e o teórico no seu dia a dia.
d) QUALIDADE DE SIMULAÇÃO
Ótima, atraente e chamativa para os alunos.
e) QUALIDADE DOS TEXTOS Permite um bom diálogo com os alunos.
f) QUALIDADE DO FEEDBACK Excelente. Tem a oportunidade de visão mais ampliada.
g) BOM TEMPO DE AULA Nesta prática o aluno deverá responder os tipos de concentrações. Solução diluída, concentrada e super-saturada.

h) QUALIDADE DESIGN Excelente e criativa.
i) FACILIDADE DE NAVEGAÇÃO Muito boa e prática.


VALÉRIA REGINA GOMES ZILIO
SILVIO DA SILVA SEABRA
MARIAVERALUCIA DA SILVA

ines leal disse...

ANÁLISE DO CONTEÚDO DE BIOLOGIA



Professora ; INẼS LEAL

Título de O.A. analisado; TABELINHA


Interatividade ; Houve interatividade com os alunos por esse assunto causar curiosidade e ainda existir falta de informação no processo de como evitar filhos de maneira mais segura sem maiores danos para o corpo evitando uma complicações para os futuros papais e para a família de maneira geral.

Contextualização; A medida que surgiam as dúvidas e questionamentos
íamos fazendo uma ponte entre o saber popular e o científico, desmistificando e provocando a turma para maiores reflexões.

Construção conceitual; Pela própria contextualização fomos buscar conceitos nos livros de ciência, biologia, para maior segurança do que estava-mos tratando.

Qualidade das simulações; Ajudaram bastante a memorização, houve atenção redobrada, e maior atenção por parte dos jovens

Qualidade dos textos; Na realidade os debates foram empolgantes,e satisfatórios, todos se envolveram com bastante interesse e participação.

Qualidade dos feedbacks; Foi genial de ótima qualidade, já que o assunto foi proposto pelo próprio estudante, havendo assim muito interesse.

Adequação da duração da atividade ao tempo de aula; O tempo foi o suficiente para ser executado em duas aulas consecutivas;

A qualidade do design; Muito bom .

Facilidade de navegação; houve alguns contratempos por causa da falta de habilidade com as ferramentas de trabalho, que com certeza, serão superados.

vanusia disse...

PROFESSORA=vanusia leandro

Tema=sexo na cabeça

Interatividade:Levando em consideração um tema que envolve,bastante coerência para ser debatido em sala ,então o autor usa de muita interatividade para falar deste assunto.



CONTEXTUALIZAÇÃO:Boa,pois neste contexto levamos o aluno a interagi com conhecimento prévios e científicos.


CONSTRUÇÃO CONCEITUAL.É de bom contexto ,no qual passa para o aluno de forma clara e de bastante interação.


QUALIDADE DOS TEXTOS.Bom,passa objetividade e a realidade .

QUALIDADE DCE FEEDBACKS.Houve ,foi passado com clareza ,onde era utilizado uma linguagem bem objetiva.

ADEQUAÇÃO DA DURAÇÃO DA ATIVIDADE AO TEMPO DE AULA.Boa otempo era l evante com o conteúdo.


Qualidade do design.muito bom


FACILIDADE DE NAVEGAÇÃO.Facil navegação.

José Carlos Martins disse...

Observamos o Objeto que faz demonstração de um navio que ao sair de porto joga em seu reservatório água para fazer o equilíbrio nos movimentos no decorrer de sua viagem até o ponto de chegada. “ água de lastro”.

CARACTERÍSTICA PEDAGÓGICAS:

- O objeto observado é importante porque o que está sendo demonstrado tem tudo a ver com as poluições vivenciada por eles em córregos e lagos contaminados, sendo assim vai existir condições de interatividade dos alunos com o objeto vivenciado.

- O que foi visto no texto e no objeto possibilita ao aluno a buscar vário tipos de contaminações feito por microorganismo que viajam de um lugar para outro provocando contaminação na população.

- Os alunos têm condições de ao observar o objeto produzir conceitos sobre o exposto. Ao trabalhar sobre a água é um conteúdo muito propício para a sua construção conceitual.

- Pode-se com base no objeto fazer outras simulações para o enriquecimento do aprendizado.

- O textos exposto permite ao aluno a dialogar junto com seus colegas formando seus pontos de vista e interagindo com o grupo de colegas solidificando seu aprendizado.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

O OA estudado é “PROBABILIDADE”

Este AO possui interatividade, pois somos nós que escolhemos as opções no quadro de escolha.
Na parte da contextualização é muito legal para a vivência, inclusive para quem vive apostando na sorte, com os jogos de loteria.
Claro que devemos interagir com nossos alunos nos casos de conceitos, mas se eles prestarem bem atenção, já conseguirão formular algum.
A simulação é bastante interessante, pois se não conseguirmos na primeira tentativa, o OA nos dá algumas dicas e nos permite, tentarmos várias vezes.
Os textos são bem explicativos, em virtude disto, é que conseguimos tentar outras vezes e obter sucesso, mas também dá oportunidade dos professores interagirem (diálogo).
Com certeza existe a qualidade do feedback.
O tempo, nós que devemos planejar e observar, tomando com base, a quantidade de alunos, de micros, o desenvolvimento dos mesmos em outras atividades parecidas, na verdade devemos conhecer nossas turmas.
O design é bem legal, ilustrativo, interessante.
É fácil a navegação, inclusive o OA nos mostra exemplos antes de iniciarmos.


Mácia Regina Vieira de Morais.

nivanilde m p de lima disse...

A ATIVIDADE CRIANDO NA VARANDA
é uma atividade prazerosa, pois suas formas e cores atrai a atenção dos alunos.
Com o estudo de ângulos, polígonos,vértices com seus encaixes faz-se necessário uma retomada dos conceitos já estudados anteriormente. A atividade permite o diálogo, pois ele é de movimento e dinamismo, atraindo os olhares sempre atentos dos que gostam de investigar de descobrir novos objetos de estudos.

Demostenes disse...

O objeto de estudo Hidrostática está baseado nas propriedades de imersão e submersão de um submarino, analisando através das densidades do submarino e da água. Considera a densidade da água igual a 1 e para densidades do submarino maiores que este valor ele afunda, aumentando sua pressão e velocidade. Sendo que este objeto apresenta uma boa interatividade com o aluno através deste recurso virtual. Boa contextualização. O aluno pode participar diretamente, se envolvendo com o experimento, podendo repetir varias vezes, tendo um bom tempo ser trabalhado na aula. O aluno pode acessar facilmente, desde que haja a presença do professor orientando este trabalho.

Conceição Costa disse...

REPENSANDO A EDUCAÇÃO (CESAR NUNES)

A avaliação é um processo que historicamente tem angustiado a maioria dos profissionais de educação; muitas idagações tem surgido durante os tempos e as perguntas que não querem calar é: como vou avaliar o meu aluno? o que vou avaliar? segundo Cesar tem-se super valorizado da avaliação, porém,avaliação e processo educativo devem ser duas parceiras inseparaveis,portanto,torna-se necessário repensar as práticas educacionais,bem como, as práticas pedagógicas,os objtivos que pretendemos alcançar junto aos nossos alunos; para tanto faz-se necessário que conheçamos as dificuldades de aprendizagem do aprendente;fazer um monitoramento do processo;quem compreendeu totalmente, parcialmente ou não compreendeu; questiona-se por que não compreendeu; este é uum processo que só pode ser realizado se estivermos convencidos de que a educação de sucesso precisa de um planejamento flexível,onde tehamos objetivos claros,que desenvolva competências e habilidades que auxiliem nossos alunos a compreenderem o porque da necessidade de adquirirem os conhecimentos de sala -de -aula.

Clovis Monte disse...

Clovis Monte.
Comentário sobre o" Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional".
É inegável a importância do uso da tecnológia atrelada aos modelos de proggramas elaborados com os objetivos citados abixo:
* facilitar a aprendizagem em diferentes( exploração do cognitivo e contexto educacional) meios;
* oferecer oportunidades de acordo com o nível do aluno para que ele possa adquirir os conhecimentos e avançar para uma próxima etapa do processo educacional;
Mas, é de suma importância que tenhamos toda uma estrutura(além do material, pessoal qualificado), voltados para esses objetivos.

Maria da Luz de Medeiros Dias disse...

Desenvolvimento de materiais multimidias e o seu no contexto educacional

TEXTO: Cesar Nunes.

Segundo o texto trabalhar com multimidias, faz com o professor e o aluno desenvolva multiplas atitudes perceptivas, solicita constantemente a imaginação, reinveste a afetividade, desenvolve mais o rigor, a absorção e a analise logica.
O professore também desafiado a assumir uma postura de aprendiz ativo, critico e criativo, articulador do ensino com a pesquisa, constante investigador sobre o aluno, sobre seu nivel de desenvolvimento cognitivo, social e afetivo. No texto se fala que a tecnologia pode tambem facilitar a auto-avaliação e outras atividades meta-cognitivas dos estudantes em parte fornecendo retorno constantemente, são ferramentas colaborativas de comunicação podem promover a reflexão e a aprendizagem como atividades sociais,maximizando o potencial de mudanças conceituais.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Turma 1,2,3 - Francisco Leido.

O OA escolhido foi GEOMETRIA NA CIDADE.

Carga horária: 2 horas/aula
Objetivos:
• Os alunos deverão reconhecer as figuras planas e espaciais nas arquiteturas;
• Deverão saber que juntando várias figuras planas, iguais ou não, forma;rão os primas;
• Deverão saber que os primas estão no espaço e não no plano;
• Deverão relembrar os elementos e as propriedades das figuras.
Metodologia:

Pretendo desenvolver o OA - Geometria na Cidade, para facilitar a absorção dos tipos de primas, suas características, propriedades e elementos. Para dá o ponta pé inicial na parte de GEOMETRIA ESPACIAL.
Conduzirei a turma para o laboratório de informática, acessaremos http://rived.proinfo.mec.gov.br e iniciaremos nossa aula. De preferência em dupla, para dá mais oportunidade dos todos observarem as figuras e executarem as tarefas.
Pretendo que na primeira tentativa da tarefa eles consigam, por outro lado, se não conseguirem entrarei na jogada para explicar alguma coisa e eles deveram continuar tentando, está é a primeira parte desta aula.
Na parte restante, faremos um grande círculo onde se pronunciarão sobre as perguntas que irei fazer, tais como: o que acharam da aula? O que eles conseguiram entender e o que não conseguiram? Já haviam observados os prédios da cidade ou outros monumentos com os olhos que observaram as figuras hoje? Deverão esclarecer ou tentar,a diferença entre figura plana e espacial?
Me pronunciarei sempre que preciso para esclarecer alguma dúvida.
Depois de esclarecer as perguntas, os alunos farão um relatório sobre tudo que foi visto e comentado nesta aula.
Avaliação:

A avaliação será feita pelo desenvolvimento de cada um pela tarefa feita, discutida e análise do relatório.

Mácia Regina Vieira de Morais.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Turma 1,2,3 - Francisco Leido.

O OA escolhido foi GEOMETRIA NA CIDADE.

Carga horária: 2 horas/aula
Objetivos:
• Os alunos deverão reconhecer as figuras planas e espaciais nas arquiteturas;
• Deverão saber que juntando várias figuras planas, iguais ou não, forma;rão os primas;
• Deverão saber que os primas estão no espaço e não no plano;
• Deverão relembrar os elementos e as propriedades das figuras.
Metodologia:

Pretendo desenvolver o OA - Geometria na Cidade, para facilitar a absorção dos tipos de primas, suas características, propriedades e elementos. Para dá o ponta pé inicial na parte de GEOMETRIA ESPACIAL.
Conduzirei a turma para o laboratório de informática, acessaremos http://rived.proinfo.mec.gov.br e iniciaremos nossa aula. De preferência em dupla, para dá mais oportunidade dos todos observarem as figuras e executarem as tarefas.
Pretendo que na primeira tentativa da tarefa eles consigam, por outro lado, se não conseguirem entrarei na jogada para explicar alguma coisa e eles deveram continuar tentando, está é a primeira parte desta aula.
Na parte restante, faremos um grande círculo onde se pronunciarão sobre as perguntas que irei fazer, tais como: o que acharam da aula? O que eles conseguiram entender e o que não conseguiram? Já haviam observados os prédios da cidade ou outros monumentos com os olhos que observaram as figuras hoje? Deverão esclarecer ou tentar,a diferença entre figura plana e espacial?
Me pronunciarei sempre que preciso para esclarecer alguma dúvida.
Depois de esclarecer as perguntas, os alunos farão um relatório sobre tudo que foi visto e comentado nesta aula.
Avaliação:

A avaliação será feita pelo desenvolvimento de cada um pela tarefa feita, discutida e análise do relatório.

Mácia Regina Vieira de Morais.

Alexandrina Suassuna disse...

REFLEXÃO SOBRE O TEXTO DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS MULTIMÍDIAS E SEU USO NO CONTEXTO EDUCACIONAL: A utilização dos objetos virtuais é uma ferramenta importante para o professor em sala de aula, pois facilita a aprendizagem dos alunos, tornando estes mais motivados para a aprender, visto que o aluno pode “navegar nos objetos” e dessa forma facilitar o entendimento sobre os conteúdos trabalhados. OBRIGADA.
TURMA: 3 - ATENEU - PROFESSOR FRANCISCO lEIDO DOS SANTOS

Anônimo disse...

Os recursos multimídia em termos gerais são de grande valia para auxiliar o professor na sala de aula, pois o aluno tem uma visão prática do conteúdo como também torna-se uma atividade lúdica. Porém, partindo da nossa realidade enquato apoio pedagógigo na escola, vemos as dificuldades da maioria dos professores em não saberem lidar com essas ferramentas de trabalho, o PC. Mesmo diante de um curso desse porte que é muito rico em informações dentro das especificidades, mas não fornece subsídios necessário para uma aprendizagem mais ampla para aquele professor que tem pouca ou nenhuma habilidade com o computador e internet, no caso da nossa escola.

Rondinele, Severino e Petrônio disse...

PLANO DE AULA



TÍTULO – TANGRAN


PÚBLICO ALVO: 1ª Série do Ensino Médio


OBJETIVOS:
• Proporcionar o aprendizado dos polígonos, utilizando o jogo de “quebra cabeça”
• Desenvolver e resolver problemas utilizando o tangran


METODOLOGIA:

As atividades serão realizadas em duas aulas de 50 min cada, sendo a primeira aula em sala de aula e a outra aula no laboratório de informática.

1ª aula(sala de aula): Os alunos irão usar uma cartolina grande para desenhar o tangran, depois os alunos irão recortar as figuras para reconhecer, denominá-las e classificar as figuras como: Polígonos regulares e irregulares.

2ª aula(laboratório de informática): Os alunos irão utilizar o objeto de aprendizagem tangran ou tangrama para formar polígonos, encaixando as peças como se fosse um quebra cabeças. Depois, usando as peças recortadas em sala de aula, o aluno irá formar figuras usando a sua criatividade.

AVALIAÇÃO:

• Sugerir aos alunos um relatório de suas atividades realizadas em sala de aula e no laboratório de informática.
• Verificar quais as figuras que os alunos criaram no estudo do tangran.


TURMA 1,2 e 3
Professor Francisco Leido
Alunos: Rondinele Figuerêdo Rangel
Severino Nunes da Silva
Petrônio Teixeira dos Santos

Francisca , Roberto e Genicleand Freire disse...

Desenvolvimento de materiais de multimídias
e no seu contexto educacional.
TEXTO: CESAR NUNES
turma: 1,2,3

É de muita eficácia de tecnologia aaos modelos de objetivos pautados.
Segundo o texto trabalhar com multimídia faz com que o professor e o aluno se identifique e desenvolva atitude a serem pecebidas e que use constantemente a imaginação do modo que a reinvensão, que desafie o professor de obter uma postura de aprendiz ativo, critico e criativo, articulador de ensino e aprendizagem significativa, usando a pesquisa desenvolvendo o cognitivo, o social e o afetivo, onde a auto-avaliação e atividades sejam ferramentas colaborativas e reflexão sobre o ensino e a aprendizagem para uma mudança de conceito sobre o ensinamento cotidiano.

Anônimo disse...

Conteúdo:Microorganismo.
Objetivo: O aluno deverá no final da aula diferenciar conceitos dos diferentes microorganismos e comentar sobre os mesmos,reconhecendo assim suas causas e efeitos no seu dia -a -dia.
Metodologia: Aula expositiva e laboratório de informática.
Atividade: O aluno no laboratório ativou as atividades,reconhecendo assim as diferenças entre os microorganismos...
Avaliação:o aluno foi avaliado quanto o ao conhecimento e diferenciação , causas e efeitos do microorganismo no meio ambiente.

vanusia disse...

PLANO DE AULA:BIOLOGIA
PROFESSORA: VANUSIA
CONTEÚDO:queimad
0BJETIVO;mostrar o prejuizo para o solo com as queimadas;
METODOLOGIA PRIMEIRA PARTE;aula expositiva;
secunda parte ;observar o objeto de estudo em laboratório;
ATIVIDADE:ANALISE E DEBATE EM GRUPO;
AVALIAÇÃO:SERÁ ATRAVÉS DA INTERAÇÃOI DA PRATICA COM A TEORIA,COM ATIVIDADE ESCRITA.

Anônimo disse...

plano de aula
50 minutos de aula
1 ano do ensino médio

professora; inês leal.

assunto; queimadas

objetivos; levar o aluno a refletir sobre as queimadas para o solo.

metodologia; aulas teóricas em sala de aula sobre o solo, e depois a prática e
observação do objeto de estudo;

atividade; analisar o objeto de estudo e fazer comentário sobre a análise no computador e exercício escrito com debates.
avaliação; o aluno será analisado satisfatoriamente se souber comparar a atividade no computador ou seja no laboratório, com o nosso meio cultural principalmente na zona canavieira.

VANUSIA disse...

A REFLEXÃO SOBRE O TEXTO MULTIMIDIA É MUITO IMPORTANTE,POIS FACILITA MUITO A VIDA DO ALUNO,TORNANDO ESSE MAIS MOTIVADO PARA APRENDER,VISTO QUE HOJE EM DIA OS ALUNOS ESTÃO CADA VEZ MAIS PESQUISANDO.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Atividdade presencial 2º momento - 4º encontro, turma 1,2,3 - Francisco Leido.
PLANO DE AULA

OA - PONTOS EM BATALHA.
Assunto: O PONTO
Público alvo: 3ª série do ensino médio
Objetivos:
• Através do OA, despertar o interesse do aluno e auxiliar na resolução de problemas;
• Participação dos alunos no conteúdo;
• Permitir a investigação matemática;
• Trabalhar com dados reais;
• Atribuir significados onde iremos utilizar o conteúdo na prática, isto é, no dia-a-dia;
• Discutir como localizar um ponto no plano cartesiano;
• Saber ler, interpretar o gráfico e identificar as coordenadas de um ponto;
• Identificar a localização dos pontos em diferentes quadrantes;
• Usar a noção de distância na resolução de problemas;
• Proporcionar ao aluno condições de descobrir, com a mediação do professor, a fórmula que permite calcular a distância entre dois pontos, sendo dadas suas coordenadas.
Tempo previsto:
Deverão ser utilizadas três aulas, sendo a primeira para a introdução dos conteúdos, a segunda para exploração do OA e a terceira para a discussão sobre os resultados obtidos por partes dos alunos.
Conteúdos:
• Marcação de pontos no plano cartesiano;
• Distância entre dois pontos;
• Distância entre ponto e segmento de reta.
Metodologia:
Em primeiro lugar deverei introduzir sobre localização de ponto, distância entre dois pontos e distância entre ponto e segmento de reta.
Questionar sobre: Qual a distância da escola em que estuda para sua residência? Como calcular o menor caminho ou trajetória para chegar na casa de algum amigo?
Na aula seguinte deveremos conduzir os alunos até o laboratório de informática, de preferência, distribuí-los em dupla, para melhor entendimento do OA e consequentemente do conteúdo.
Todos os alunos deverão levar papel e caneta para possíveis anotações e/ou questionamentos.
O professor deverá fazer uma breve explanação de como os alunos deverão interagir com o OA, explicando a maneira de jogar, de com obter informações sobre o conteúdo, as curiosidades, etc.
A partir daí o professor fica na observação, interagindo, se for o caso.
Na terceira aula, faz-se um grande grupo para discutir sobre o aprendizado dos alunos.
Avaliação:
• Observação do professor durante as aulas, OA e a discussão;
• A participação dos alunos na discussão do grande grupo;
• Relatório final para atividade.

Mácia Regina Vieira de Morais

cláudio carvalho de souza disse...

DINÂMICA POPULACIONAL

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Conhecer como os organismos agem de forma interdependente em um determinado ecossistema.
• Identificar os diferentes fatores ambientais e biológicos que influenciam na dinâmica populacional.
• Reconhecer algumas atividades antrópicas que alteram o dinamismo dos ecossistemas.

CONCEITOS EXPLORADOS
População, comunidade, ecossistema, teia alimentar, hábitat, nicho ecológico, mortalidade, natalidade, imigração e emigração.


METODOLOGIA E ESTRATÉGIAS:
• Aula expositiva: primeiramente, fazer um levantamento das concepções alternativas dos alunos antes da introdução dos conceitos científicos.

• Aulas Experimentais:
Uso do laboratório: exploração da Atividade 2 do Objeto de Aprendizagem Dinâmica Populacional para que entenda o dinamismo dos ecossistemas através da simulação, analisando alguns eventos dentre inúmeros possíveis.
Aula de campo: fazer um levantamento das principais espécies de vegetais e animais de um determinado ecossistema lacustre e pedir aos alunos que façam simulações de eventos naturais e de atividades antrópicas que alteram o seu equilíbrio.

RECURSOS DIDÁTICOS:
• Livro didático
• Computador/Programa Rived

AVALIAÇÃO:
• Argüição oral
• Exercícios
• Relatóro das atividades de laboratório
• Relatório da aula de campo

magna barreto disse...

Conteúdo:Microorganismo.
Objetivo: O aluno deverá no final da aula diferenciar conceitos dos diferentes microorganismos e comentar sobre os mesmos,reconhecendo assim suas causas e efeitos no seu dia -a -dia.
Metodologia: Aula expositiva e laboratório de informática.
Atividade: O aluno no laboratório ativou as atividades,reconhecendo assim as diferenças entre os microorganismos...
Avaliação:o aluno foi avaliado quanto o ao conhecimento e diferenciação , causas e efeitos do microorganismo no meio ambiente.

inês leal e francisca edilene disse...

É NOTÓRIO AS MUDANÇAS EM TODO O CONTEXTO EDUCACIONAL , PRECISAMOS DE NOVAS FERRAMENTAS PARA TENTAR GARANTIR A PERMANÊNCIA DO ALUNO EM SALA DE AULA, A ESCOLA DEVE SER ATRATIVA PARA PRENDER ESSE ALUNO, POIS A RUA TEM MUITO MAIS SABOR COM AS FUN HOUSE DA VIDA. E O PROFESSOR TENDO ESSA VISÃO DE MUDANÇAS DEVE TAMBÉM MUDAR, POIS ESSAS MUDANÇAS SÃO ACELERADAS E É PRECISO ACOMPANHAR A TECNOLOGIA.
MAIS NÃO SE DEVE DESPREZAR O VELHO EM DETRIMENTO DO NOVO, O QUE SE DEVE FAZER É, UNIR O NOVO COM O VELHO PARA PODER PROPORCIONAR MAIOR FACILIDADE NO ENSINO APRENDIZAGEM.
AINDA EXISTE MUITA RESISTÊNCIA POR PARTE DE ALGUNS PROFISSIONAIS, PRINCIPALMENTE AOS QUE ESTÃO EM FIM DE CARREIRA. DEVEMOS ATENTAR QUE O MERCADO DE TRABALHO SELECIONA NÃO APENAS POR CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS MAIS TAMBÉM POR HABILIDADES E DOMÍNIO COM AS TECNOLOGIAS
RESUMINDO TUDO ESTA ACONTECENDO DE FORMA ACELERADA, PRECISAMOS ACOMPANHAR O DESENVOLVIMENTO , FAZENDO UMA GRANDE PARCERIA ENTRE O QUE FOMOS E O QUE PRECISAMOS SER. O QUE NOS PRECISAMOS É DE MAIOR DISPONIBILIDADE E FAMILIARIDADE PRINCIPALMENTE COM O COMPUTADOR PARA APLICARMOS AS ATIVIDADES COM MAIOR SEGURANÇA. SEGUE AQUI UMA SUGESTÃO; QUE TAL DIMINUIR A CARGA HORÁRIA EM SALA DE AULA E AUMENTAR ESSA CARGA PARA O PROFESSOR PODER MANUSEAR O COMPUTADOR NO LABORATÓRIO.

francisca edilene lopes de sousa disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO

Dentro do processo ensino-aprendizagem, a avaliação sempre teve um papel importante, mas que nem sempre contemplou pontos relevantes.
Hoje vários itens são considerados na hora de avaliar, têm-se como base habilidades e competências. Já temos exames como PISA e ENEM que muito têm contribuído, mas segundo Cesar Nunes há a necessidade de instrumentos mais efetivos. É preciso conscientizar os estudantes de seu papel no mundo globalizado.
Em sala de aula existe a dificuldade de alguns professores avaliarem pois nem sempre é possível uma situação que leve o aluno a uma visão geral do assunto, mas sim, fragmentada. O uso da multimídia em muito pode auxiliar, no entanto exige uma preparação dos professores( que devem estar cada vez mais capacitados) e permite uma avaliação na postura tanto de professores como de alunos.

Conceição Costa disse...

PLANO DE AULA

ESCOLA ESTADUAL DOM NIVALDO MONTE
DISCIPLINA:BIOLOGIA
ASSUNTO: ECOLOGIA
TEMA :O PLANETA PEDE SOCORRO
OBJETIVO:
Sensibilizar os educandos sobre a importância da preservação do equilíbrio entre os ecossistemas, conscientizando-os sobre as conseqüências do desequilíbrio ambiental.

HABILIDADES A SEREM ALCANÇADAS:

 Expressar-se oralmente;
 Trabalhar em grupo;
 Conhecer a importância de cada ecossistema na natureza
 Vivenciar rotinas laboratoriais:
 Reconhecer a ligação entre os ecossistemas;
 Discutir a interferência do homem nos ciclos naturais e suas conseqüências;
 Propor alternativas a ação do homem.


CONCEITOS ABORDADOS


 Ciclo da água
 A crise mundial no abastecimento de água
 Chuva ácida
 Respiração
 Efeito estufa
 Energias alternativas
 Reciclagem da água

PRÉ-REQUISITOS

 Descrever, analisar e construir esquemas, gráficos e diagramas;
 Verbalizar as explicações e crenças que lhe permitem explicar seu mundo;
 Elaborar hipóteses e propor alternativa de soluções;
 Relacionar as mudanças climáticas ao desequilíbrio dos ecossistemas;
 Compreender a idéia de impacto ambiental.

PROCEDIMENTO/ ESTRATÉGIAS

 Diagnóstico dos conhecimentos prévios do aluno sobre o tema abordado;
 Pesquisa sobre o significado dos conceitos abordados;
 Vídeo: pobres e sujos ricos e poluidores
 Debates (fala garoto)
 Trabalhos utilizando reportagens de revistas, jornais ou documentários.
 Aula de campo onde o aluno terá oportunidade de observar, coletar dados e informações do impacto da ação do homem na natureza.
 Textos informativos
 Seminários
 Apresentação de slaids onde de forma que o aluno possa fazer a comparação entre os ambientes antes e depois da ação do homem e como seria se o desenvolvimento tivesse ocorrido de forma sustentável.

 Pesquisa sobre:
 O uso da água;
 Efeito estufa;
 Chuva ácida;
 Energias alternativas



LEITURA

 Pedir que os aluno tragam artigos de revista e jornais que abordem os fenômeno que serão discutidos;
 Texto emboscada: o aquecimento do mundo

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA


 Observação do processo de construção dos conceitos abordados;
 Coletou de dados;
 Relacionou;
 Interpretou;
 Elaborou hipóteses;
 Pesquisou seguindo os direcionamentos do professor;
 Interesse;
 Produção de textos;
 Construção de maquetes;
 Organização
 experimentos
 Jogo (seguiu regras)

PRODUTO FINAL:

OS ALUNOS SERÃO ORIENTADOS A :


 Produzirem textos e enviarem a concursos
 Apresentarem suas descobertas em outras turmas e escolas
 Produzirem experimentos para a feira de ciências.

Anônimo disse...

Os recursos multimídia em termos gerais são de grande valia para auxiliar o professor na sala de aula, pois o aluno tem uma visão prática do conteúdo como também se torna uma atividade lúdica. Porém, partindo da nossa realidade enquanto apoio pedagógico na escola vê as dificuldades da maioria dos professores em não saberem lidar com essas ferramentas de trabalho, o PC. Mesmo diante de um curso desse porte que é muito rico em informações dentro das especificidades, mas não fornece subsídio necessário para uma aprendizagem mais ampla para aquele professor que tem pouca ou nenhuma habilidade com o computador e Internet, no caso da nossa escola.

Carlos Henrique disse...

Objetivos
Ilustrar a destilação fracionada e a evaporação, processos importantes para a produção de insumos que usamos diretamente no dia a dia, como combustíveis, gases hospitalares e até adubos.


Fixar a idéia de que, em qualquer separação de misturas, há uma "força" de separação e alguma diferença nas propriedades das substâncias a separar.


Fixar ou apresentar conceitos como polaridade de moléculas e interações intermoleculares.

Ponto de partida
A separação de misturas geralmente é estudada no início do primeiro ano, quando os alunos têm pouca experiência com a química. Nesse sentido, a aula deve funcionar como um estímulo ao estudo das propriedades da matéria, de forma a explicar os "porquês" da destilação e da evaporação. No entanto, este tema é excelente para ilustrar o tópico "geometria e polaridade de moléculas", visto mais à frente no 1º ano, ou até o tema "tabela periódica". Se as atividades sugeridas puderem ser conduzidas em um laboratório ou como aula demonstrativa, será ainda mais interessante.

Estratégias
1) Peça aos alunos que leiam com antecedência o texto Gases nobres,
o texto Identificando substâncias pelo tipo de mistura, e o texto Forças intermoleculares, do UOL Educação, ou outros textos que você considere interessantes.


2) Peça aos alunos que trabalhem em duplas ou trios, por um ou dois minutos, e que um deles conceitue os termos "evaporação" e "ebulição". Os outros devem ajudar a definir o conceito, através de perguntas.


3) Trabalhe com os alunos definições para evaporação e ebulição. Peça, agora, a eles que enumerem fatores que facilitam ou dificultam a ebulição de uma substância pura. Podem aparecer os fatores "calor latente" ou entalpia de vaporização, temperatura, massa molecular, polaridade, pressão, entre outros, dependendo da turma - se de iniciantes ou de revisão.


4) Trabalhe rapidamente os fatores que surgirem, discutindo quais os que tem maior importância (temperatura, polaridade e massa) e deixe de lado outros (como pressão e entalpia), para manter o foco. Esses outros fatores poderão ser discutidos em outra aula.


5) Como fica a ebulição em misturas? Será que moléculas de diferentes substâncias interagem? Claro que sim, mas isso não altera o raciocínio geral do item 6, a seguir.


6) Dadas as misturas de etanol (pe = 78°C) e água (pe = 100°C), de água e sal (1413°C), propano (-42°C) e butano (-0,5°C), ou outras, qual a substância que sai "antes"? Para fazer essa análise, uma boa idéia é, em, mais ou menos, uns 5 minutos:


Listar as substâncias sem os pontos de ebulição e pedir que os alunos dêem seus palpites, com base nas substâncias que conhecerem;


Ainda antes de dar a resposta correta, mostrar como é a estrutura de cada uma das moléculas, desenhando no quadro e indicando quando houver polaridade, especialmente para as moléculas orgânicas. Novos palpites aparecerão.


Finalmente, escrever os pontos de ebulição das substâncias. Nesse ponto ficará claro para os alunos como as pontes de hidrogênio de uma molécula pequena como a da água são importantes.


Analisando os dados, os alunos inferirão, corretamente, que a substância com menor ponto de ebulição em cada par é a que sai "antes" da mistura.


1) Dada a mistura de gases que é apresentada no texto "Gases nobres", qual a ordem provável de "fervura" de cada gás?


2) Explique que a destilação é uma operação antiga, desenvolvida ainda na Idade Média, e de grande utilidade. Peça exemplos, (álcool e petróleo são os mais comuns).


3) Faça o mesmo com a evaporação - também uma operação muito antiga, cujo exemplo mais comum é a extração do sal da água do mar.


4) Para fazer em casa ou no laboratório: peça aos alunos que preparem uma solução saturada de sal e deixem-na cristalizando - essa simples prática mostra a evaporação e a formação de estruturas organizadas do sal. Como fazer uma solução saturada:


Coloque água em um copo - um pouquinho só de água, senão a evaporação completa será muito demorada.


Adicione sal, agitando. Se todo o sal for dissolvido, adicione mais. Se depois de um minuto de agitação ainda houver sal no fundo do copo, a solução está "saturada".


Transfira a solução para outro copo limpo (copos de cafezinho funcionam muito bem). Deixe evaporando em um local ventilado. A evaporação pode levar de algumas horas a alguns dias, dependendo do clima.


É bem mais difícil fazer essa prática com açúcar; o sal de cozinha funciona muito bem.

Antonia Cardoso, Carlos Henrique e Francisca Edilene disse...

Enzimas na cozinha

Objetivos
Mostrar aos alunos um exemplo de reação enzimática, comum no dia-a-dia. Para alunos de níveis básicos de química (ensino fundamental e início do médio), é um tema que instiga a curiosidade e ajuda a gostar de química; para níveis mais avançados, é uma forma interessante de reforçar os conceitos de catálise, reagentes e produtos.


Ponto de partida

Não há necessidade de conhecimentos prévios formais de química, embora haja vários desdobramentos interessantes que podem ser abordados nos tópicos de reações, cinética química, bioquímica e funções orgânicas. Ver "sugestões e dicas".
Estratégias
1) Corte uma maçã e peça aos alunos que observem, com olhos "investigativos" o que ocorre com a fruta. A área exposta ao ar escurecerá em alguns minutos. Batatas também funcionam, mas leva mais tempo.

2) Especule com os alunos o que ocorreu. Há outros exemplos de fenômenos semelhantes em alimentos? Ainda não explique o que ocorre.

3) Como se pode evitar que ocorra o escurecimento? Certamente haverá sugestões. Eis algumas que funcionam, da menor para a maior eficiência:

# Salgar ou adoçar o vegetal (+).
# Pingar suco de limão ou vinagre sobre o vegetal cortado (++).
# Manter o vegetal cortado imergido em água (+++).
# Escaldar (imergir em água quente, por 30s a 2 minutos) (++++)
# Molhar com uma solução de antioxidante (ácido ascórbico, por exemplo) (++++)


4) Peça aos alunos que, sozinhos ou em grupos, especulem sobre o que ocorre. Informe a eles que o processo é chamado de "pardamento enzimático"; a partir desse nome ("pardamento" = escurecimento, e "enzimático" = que envolve enzimas), muitas boas idéias podem aparecer.


5) Finalmente, explique que, nas maçãs e em alguns outros vegetais, alguns compostos sofrem oxidação ao ar, e essa oxidação forma produtos que, por sua vez, polimerizam (formam cadeias longas) que apresentam cor cada vez mais escura.

Não se preocupe em discutir a natureza dos compostos envolvidos (a não ser que os alunos já tenham boa base de química), mas sim o que são os reagentes e produtos, e o que é uma enzima.

Explique que enzimas são proteínas com propriedades de catálise. Essas proteínas podem ser "desnaturadas" (de modo simples, deformadas) usando calor ou outras condições.


6) Agora que você explicou o que ocorre, peça aos alunos para explicarem por que os métodos do item 3) funcionam mais ou menos. Importante mesmo é entender a imersão em água e o escaldado.


7) Para finalizar, peça aos alunos para pesquisarem mais alguns exemplos de reações enzimáticas no dia-a-dia.
Sugestões e dicas
# Se os experimentos com frutos forem feitos em uma cozinha ou cantina, o "material" pode ser comido após lavagem; se feito em laboratório, não pode - mesmo que pareça limpo.

# Os alunos podem observar o pardamento em casa, como tarefa prévia à aula.

# Uma maçã cozida (por 30 min. a 60°C) e cortada ao mesmo tempo que uma maçã crua, pode ser usada para comparação do pardamento.

# Caramelização (geração de cor por aquecimento, por exemplo em caldas de açúcar ou em torradas) não é pardamento enzimático. Há ainda mais um tipo de pardamento não-enzimático, que ocorre por exemplo aos assar carnes, as reações de Maillard.


Para níveis avançados e curiosos de plantão:

# A polifenol oxidase usa como co-fator o cobre (é, os íons Cu+ e Cu2+). Assim, uma outra forma de evitar pardamento enzimático é com a adição de um "seqüestraste", que se liga ao metal, impedindo que ele participe do processo; EDTA é um exemplo.

# Nas reações de pardamento enzimático, compostos monofenólicos como a tirosina são convertidos a 1,2 difenóis e, em seguida, a 1,2 diquinonas. Esses dois passos de oxidação são enzimáticos. Em seguida, as diquinonas formadas podem polimerizar formando melaninas, polímeros coloridos.

AVALIAÇÃO
- O aluno será avaliado de forma prática (com experimentos), com apresentação oral e atividades escritas (provas, testes, sabatinadas e exposição de cartazes).
- As aulas práticas serão ministradas em laboratório e na casa do aluno com orientação do professor.

Professores:
Antonia Cardoso
Carlos Henrique
Francisca Edilene

Carlos Henrique disse...

Professor, o plano de aula feito pela manhã pela turma de química faltou um componente: Carlos Henrique Bezerra de Oliveira (Soluções). OBRIGADO

Francisca Cardoso, Carlos Henrique e Francisca Edilene disse...

Desenvolvimento de materiais multimída.

O desenvolvimento da multimídia tem sido de grande valor para o ensino tanto no contexto cognitivo como o de ensino, pois facilita a aprendizagem do aluno através das atividades propostas e oferece um grande auxílio ao professor, inclusive nas simulações. No contexto cognitivo vimos que a aprendizagem se dá em diferentes situações. o desenvolvimento da multimídia amplia também a forma de avaliação e não apenas das aulas a serem ministradas. O texto nos apresenta quatro focos para o planejamento. Não há limites bem definidos entre esses quatro focos, possibilitando ao professor fazer mesclas entre as diversas áreas.

Ione Francinete disse...

Os recursos multimídia em termos gerais são de grande valia para auxiliar o professor na sala de aula, pois o aluno tem uma visão prática do conteúdo como também torna-se uma atividade lúdica. Porém, partindo da nossa realidade enquato apoio pedagógigo na escola, vemos as dificuldades da maioria dos professores em não saberem lidar com essas ferramentas de trabalho, o PC. Mesmo diante de um curso desse porte que é muito rico em informações dentro das especificidades, mas não fornece subsídios necessário para uma aprendizagem mais ampla para aquele professor que tem pouca ou nenhuma habilidade com o computador e internet, no caso da nossa escola.

José Carlos - t123 disse...

Plano de aula



Conteúdo: Regulação neuro-endócrina do ciclo menstrual.


Objetivo: Levar ao aluno à compeender alterações no ciclo menstrual como também entender o controle hormonal no ciclo menstrual avaliando, os métodos conceptivos


Competência a desenvolver:

- Condicionar o aluno a formular questões a partir de situações reais sobre o ciclo menstrual das pessoas do seu meio familiar;
- Fazer com que o aluno possa julgar ações sobre prevenção da saúde feminina de forma individual, coletiva e ambiental;
- Identificar as relações entre conhecimentos científicos e desenvolvimento tecnológico considerando a melhoria da saúde da mulher.

Avaliação:

- Promover atividades de levantamento de dados familiar sobre as condições de saúde durante o ciclo menstrual ;
- Realizações de atividades com seminários para exposições de gráficos sobre os ciclo menstrual partindo de situações reais.

Lourdete e Adriana disse...

Plano de Aula

Conteúdo: Seres vivos


Objetivo: Permitir que os estudantes imaginem a dimensão dos organismos que estão estudando, usando como referenciais seres de proporções conhecidas e o sistema métrico;

Competências que pretendemos desenvolver:
• Analisar qualitativamente dados representados gráfica ou algebricamente, relacionados aos contextos socioeconômicos, científicos ou cotidianos;
• Descrever processos e características do ambiente ou de seres vivos, observados em microscópio ou a olho nu.


Na sala de aula:
a) O professor deve perguntar aos estudantes quais são as noções de proporções microscópicas que esses têm. Utilizando elementos de comparação do universo dos educandos (uma pulga, a cabeça de um alfinete, um grão de areia), o professor pode avaliar a percepção de tamanho que esses jovens têm de microorganismos como os vírus, bactérias e protistas;
b) Feita essa atividade de sondagem das percepções dos estudantes, inicia-se o trabalho no computador.

No computador:
a) Solicite que formem duplas para utilizar o computador;
b) Na primeira tela do computador, aparece um ambiente que pode ser uma casa, o mar, um lago ou uma mata;
c) Os alunos devem explorar com o mouse o ambiente que estiver aberto. Nesse ambiente aparecerão alguns microorganismos;
d) Clicando sobre o microorganismo, aparece, embaixo da paisagem, uma ficha de identidade do organismo, descrevendo algumas características gerais do reino onde esse se encontra e informações específicas do organismo em questão;
e) Os alunos lêem à informação e devem ser desafiados a escolher corretamente o melhor instrumento para observar o organismo;

f) Os alunos devem arrastar instrumentos de observação mais adequados para observar determinados organismos (olho nu, lupa, microscópio);
g) Toda vez que o aluno acerta o instrumento, essa foto preenche um álbum de figurinhas encontrado na segunda tela;

A idéia do álbum de figurinha é desafiar os estudantes a explorar o ambiente e conhecer as medidas mais comuns utilizadas para descrever microorganismos. Assim, seria interessante que o professor estimulasse a competição entre os participantes ao mesmo tempo em que valoriza a participação de todos no jogo.
h) Os alunos intercalam-se na identificação dos organismos: ora um, ora outro escolhe um organismo;
i) Toda vez que o estudante acerta o instrumento de observação, abre-se um esquema demonstrando qual a relação do tamanho do organismo com 1 metro;
j) Identificados todos os organismos de uma paisagem, os estudantes abrem outra paisagem, que estava diminuída;

Uma das idéias da atividade é que à medida que os estudantes se familiarizam com as grandezas mais comuns usadas para discriminar micróbios, vão descobrindo que esses se encontram em muitos lugares, e muitos não são causadores de doenças.
k) Ao final da atividade, o professor pode pedir que os estudantes procurem identificar produtos industrializados que utilizam microorganismos como alimentos e remédios ou levem em conta à importância ecológica dos micróbios. São comuns, em revistas e jornais, artigos que abordam essas questões, principalmente sobre o uso de microorganismos na Engenharia Genética.

Avaliação: Será realizada de forma prática, onde o aluno realizará experimentos através de simulações no site do Rived, com apresentação oral e atividades escritas (provas, testes e exposição de cartazes).
- As aulas práticas serão ministradas em laboratório e na sala de aula com orientação do professor.

Mácia Regina Vieira de Morais disse...

Profº Leido, li e analisei o mapeamento de Matemática, que é a disciplina que leciono, gostei bastante, agora pergunto: existe um OA para cada módulo abordado? Outra coisa, será que vcs, professores do curso, poderiam nos apresentar uma lista dos filmes que nós, professores do ens. Médio, poderíamos passar para complementar os módulos no que diz respeito aos vídeos?
Sim, em relação ao módulo de Sistemas Lineares, Determinantes e Matrizes, eu costumo aplicar no 2º ano do ens. Médio, porém na seqüência apresentada na apostila encontra-se para o 3º ano, é bastante interessante, pelo fato da quantidade de conteúdos do 2º ano ser extensa.
Apesar da seqüência de ensino apresentada na apostilha ter sido elaborada por vcs do curso, gostaria de saber se posso adotá-lo na escola onde trabalho? Conversarei com as coordenadoras, os outros professores e a equipe gestora, caso vcs autorizem.
O curso já está chegando na fase final, mas foi bastante proveitoso, conheci muitas maneiras de como poderemos melhorar nosso dia-a-dia na escola, em sala de aula.

Obrigada por tudo,

Mácia Regina Vieira de Morais.

Clovis Monte Silva disse...

ESCOLA ESTADUAL DOM NIVALDO MONTE
Seqüência Ensino
 Assunto: Seqüências, progressão aritmética
E Progressão geométrica
Objeto de Aprendizagem:Seqüências e progressões.

 Público Alvo – 2 º Ano -Noturno


• reconhecer uma sucessão e identificar sua lei de formação;
• reconhecer o termo geral de uma P.A.;
• utilizar os conceitos de P.A. e soma de seus termos na resolução de problemas;
Objetivos:
• reconhecer o termo geral de uma P.G.;
• somar termos de P.G. finitas e infinitas;
• resolver situações problema a partir dos conceitos de progressões.




 Metodologia/Estratégias
Aulas expositivas (quadro branco) explorando situações relacionadas aos fenômenos físicos, sociais, aos esportes e outras situações do cotidiano.
Uso de outros softwares além do RIDEV, data show.
Avaliação.O aluno será avaliada de acordo com o seu desempenho apresentado nas resoluções das várias situações propostas nos problemas apresentados.
Turma 1-Fcº Leido

Clovis MOnte Silva disse...

Análise:
Mapeamento por disciplina.
Disciplina analisada: Matemática
Após a leitura dos tópicos concluí que todos seguem uma seqüência na qual o aluno precisa dominar os conteúdos anteriores. Os objetivos e habilidades são todos voltados para uma aprendizagem não só cientifica, mas também considerando o cotidiano do aluno.
Finalmente,lamento não poder aplicar na prática todos os objetos de estudo, devido algumas dificuldades de operacionalidade.
Turma 1 Fcº Leido

Da luz, Roberto e Francisca disse...

Mapeamento da disciplina de física.

O curso RIVED mostra uma nova forma de reorganizar os assuntos de física, visando assim facilitar o desenvolvimento dos conteudos, numa perspectiva de interdisciplinaridade e contextualização.
As competências e habilidades propôe-se o desenvolvimento das capacidades de pesquisar,buscar, analisar,selecionar e apreender informações, de criar e formular estrategias de resolução para problemas, em vez de realizar exercicios de tecnicas de memorização.
O mapeamento cria estimulos para o ensino experimental da física, usar a experimentação na construção do conhecimento,famializa o e studante com novas tecnologias didaticas diversas, trata de forma articulada os temas: conceitos, principios, num contexto pratico e ou prático laboratorial.
Desenvolve capacidades de observação, experimentação, avaliação, abstração e generalização.
Neste mapeamento que obsevamos mostra também competêcias a serem atindida em organização e planificação, resolver problemas,raciocinio critico adaptação a novas situações, aplia na prática os conhecimentos teóricos, competência em comunicação oral e escrita,trabalhar em grupo, auto critica e auto-avaliação.

Francisco Leido disse...

Olá, Márcia, bom dia. Tudo bem?
Parabéns pelo seu trabalho e participação. Realmente o mapeamento é excelente, mas é apenas um caminho, uma sugestão, a qual o processor poderá adotá-la em parte ou no todo, fica a seu critério. Olha, não existe um OA específico para cada módulo, mas sempre é possível encontrar algum que possa ser utilizado em determinado assunto. Em relaçao aos filmes não tenho, de pronto, sugestões a te dar, mas vou anotar sua solicitação e farei uma pesquisa e colocarei no blog o resultado, ok? Olha, o mapeamento é livre, pode adotá-lo como melhor lhe convier. Um abraço e até mais.

Anônimo disse...

Avaliação do uso dos objetos de a prendizagem:
critérios : navegação pelos obj. de aprend. :bom
visão crítica: excelente
visão sobre os textos :bom
acreditamos que os OAS possam de fato , contribuir para um melhor desenvolvimento de nossas práticas pedagógicas. obrigado a todos que colaboraram para a efetivação desse CURSO. PROFESSORES :JOILSON FRANCISCO E GERALDO MARREIROS