O que é o Rived?

RIVED é um programa da Secretaria de Educação a Distância - SEED, que tem por objetivo a produção de conteúdos pedagógicos digitais, na forma de objetos de aprendizagem. Tais conteúdos primam por estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes, associando o potencial da informática às novas abordagens pedagógicas. A meta que se pretende atingir disponibilizando esses conteúdos digitais é melhorar a aprendizagem das disciplinas da educação básica e a formação cidadã do aluno.

1ª Atividade a Distância /8 horas

LEITURA DO TEXTO: O cursista ao ler o texto deve direcionar o olhar para o argumento de Spinelli e refletir sobre outras situações de aprendizagem vivenciadas, que tenham sido favorável ao aluno ascender e atingir o cume da pirâmide.

2ª Atividade a Distância/8 horas

LEITURA DO TEXTO: "Repensando a avaliação" de César Nunes, refletindo aspectos importantes de teorias e práticas educacionais como exemplo: um grupo da Faculdade de Educação Harvard, em que o objetivo maior do ensino oferecido por eles deve ser o "Ensino para Compreensão" (WISKE, 1998).
Para nós, educadores temos clareza dos objetivos de aprendizagem em nossas disciplinas? Será que refletimos sobre o comportamento do aluno que compreende totalmente, parcialmente, ou não compreende o que estamos vivenciando com ele?

3ª Atividade à Distância/8horas

LEITURA DO TEXTO: “Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional” de César Nunes, versão para o curso “Como Usar Objetos de Aprendizagem”, fazendo reflexão sobre os contextos para desenvolvimento de multimídia, como: O contexto cognitivo e o contexto de ensino.
Navegação no site: http://rived.proinfo.mec.gov.br para escolha de um objeto na sua disciplina.
Elaboração de um plano de aula de acordo com o Objeto escolhido, orientando-se pelo Guia do Professor. Alternando sala de aula e laboratório para a exploração do objeto, atentando para a construção do conhecimento do aluno.
Enviar pelo e-mail do grupo.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

NTE ATHENEU - Turma:7, 8, 9 Selma Márcia Pontes Teixeira

Caros Colegas, sejam bem vindos ao curso “Como Usar Objetos de Aprendizagem”. Vamos navegar e explorar o ambiente RIVED (Rede Interativa Virtual de Educação), espero que possamos trocar bastantes experiências, talentos, idéias criativas e criar, sem dúvida, vínculos afetivos dentre todos.
Temos certeza de contar com sua participação ativa nessa rede de interação!
Só assim o curso poderá ser interessante e significativo, ajudando-os a contribuir para que a escola brasileira se torne mais rica e motivante para o aprendizado de alunos, educadores e reponsáveis por aspectos administrativos.
Sucesso!!!


Caros Professores Publicar Contribuições

118 comentários:

Kívia Kecia Barbosa de Queiroz disse...

O objeto do Rived "preciso de oxigênio" é muito criativo e rico pois explora diversos conceitos ao mesmo tempo, além disso permite a análise prática da ação antrópica, realizando a interpretação conjunta de conteudos que muitas vezes são dados de maneira fragmentada dificultando o aluno associar o conhecimento adquirido na escola ao seu cotidiano.

Maria da Conceição Xavier de Lima disse...

QUÍMICA - USINA NUCLEAR
Os procedimentos e ilustrações estão muito bons. Com certeza será um excelente material de apoio didático. Supriu as informações quanto ao funcionamento da USINA NUCLEAR e suas vantagens em relação aos demais tipos de usinas. Embora também ofereça seus riscos ao ser humano(GEOGRAFIA) e ao meio-ambiente(BIOLOGIA). Mas NÃO forneceu informações quanto a sua economia em relação aos outros tipos de produção energética. Somente ressaltou o BAIXO uso do potencial hídrico e a DIMINUIÇÃO da poluição em relação a Termoelétrica.

Danielly Ferreira Torres disse...

O objeto de aprendizagem "Preciso de Oxigênio" apresenta diversos conteúdos com didática clara e em um contexto que mesmo alunos com realidades distintas podem problematizá-lo.
A visualização das mudanças ambientais facilita o questionamento e a consolidação das temáticas apresentadas.
O "Guia do Professor" sugere uma abordagem interessante e é um bom norteador para a motivação e atividades a serem desempenhadas pelos alunos.
O objeto analisado desenvolve competências necessárias ao estudo da Biologia: observar o ambiente, notar as mudanças existentes, levantar questões, formular hipóteses e tentar respondê-las.

Carlos Antonio Viana do Nascimento disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – 6ª DURED – MACAU/RN

Comentário sobre o Tangram.

O trabalho com o tangram é importante tanto no sentido matemático, através de conceitos e representações geométricas, quanto no sentido lúdico e criativo.
O tangram como jogo e/ou quebra – cabeça, desperta no aluno o censo competitivo em relação ao mercado (mundo) e os desperta habilidades e criatividades, Vygotsky, já dizia isso. No meu ponto de vista deve ser muito trabalhado no Ensino Fundamental I e II.
SOBRE O TEXTO:
Resumo: Além de propositar um aprendizado sobre área, perímetros e polígonos, desperta o raciocínio lógico do aluno. Deve ser aumentada mais aula para que o aluno construa o seu próprio...Eu acrescentaria nos pré-requisitos que o próprio trabalho com o tangram já proporcionaria conhecimentos prévios, eu entendo que falar de áreas e perímetros deve ser procedimentos didaticamente posteriores.
O processo virtual é muito bom e atrativo.
No entanto, acredito que essa proposta é muito boa, basta cada professor aplicar tanto em sala, quanto no laboratório.

Francisco de Assis Muniz disse...

Já trabalhei com o Tangran em sala de aula (7º e 8º anos) do ensino fundamental. Apesar do tempo de sua criação ainda é um instrumento de grande valia no ensino das sérias citadas. O estudo da geometria no tocante a medidas de area, perimétro e figuras planas, bem como o desenvolvimento do raciocinio perpectivo. Na minha opinião tenho quase com certeza, que com o uso do OA o aprendizado e o raciocinio usando estas figuras milenar será bem maior.

Renato Dantas de Medeiros disse...

QUÍMICA - USINA NUCLEAR
Excelente material didático e os procedimentos e ilustrações estão coerentes com a temática. Informando quanto ao funcionamento da USINA NUCLEAR e suas vantagens em relação aos demais tipos de usinas. Embora também ofereça seus riscos ao ser humano(quanto a posição geográfica) e ao meio-ambiente (armazenamento de resíduos radioativos). Mas NÃO forneceu informações quanto a sua economia em relação aos outros tipos de produção energética. Somente ressaltou o BAIXO uso do potencial hídrico e a DIMINUIÇÃO da poluição em relação a Termoelétrica.

Laércio Soares de Araújo Filho disse...

PRECISO DE OXIGÊNIO

Aula com essa característica,ainda mais em computador,ganha de goleada das tradicionais e enfadonhas que temos.Faz despertar a curiosidade do aluno e o remete a questionamentos e depois a gerar hipóteses.Digo mais, para o turno noturno,será uma ferramenta poderosa para atraí-lo e conservá-lo na escola,pois não há nada mais chato do que passar o dia todo trabalhando chegar na sala de aula e encontrar:prfessor,quadro,giz,desinteresse...Assim façamos nossa parte para fazermos a dele.

ERIKA TELLES BARBOSA DE OLIVEIRA disse...

Consciente de que se faz necessário e urgente conhecer e saber usar os recursos tecnológicos para atendermos as necessidades da atual sociedade,o objeto que nos foi apresentado com posterior análise nos proporcionou uma reflexão sobre a nossa prática, do que realmente estamos oferecendo aos nossos alunos que estão muitos deles fascinados com os atrativos do mundo que o cercam. Portanto, a motivação para professores e alunos servirá como "fermento", para tornar as aulas mais interativas.

Francisco de Assis Freire Morais disse...

pxO tangran é um instrumento muito importante para trabalhar as aulas praticas com os nossos alunos.

José Edson de Souza disse...

O programa mostra uma forma inteligente e criativa utilizada por Aristotenes para o cálculo do raio da terra. Baseado no conceito que a luz se propaga em linha reta e utilizando conceitos de geometria plana ele mostra que a inteligência humana pode superar grandes dificuldades tecnológicas.
A simulação pode ser utilizada também como um instrumento para explicar os fenômenos dos eclipses.

Janaina Carla Cunha de Lima Silva disse...

O recurso didático proporcionado pelo projeto RIVED é uma ferramenta mediadora do professor que oferece melhorias significativas a aprendizagem do aluno, pois explorando os objetos de aprendizagem, estimula-se mutuamente alunos no que tange o aprender e ao professor por oferecer de uma maneira dinâmica e lúdica um guia, com melhores condições de visualização, explicação, questionamentos e qualidade de respostas. Objeto de aprendizagem de biologia "Preciso de Oxigênio" exemplifica isto, quando ao estudar o componente oxigênio pode-se abordar varios conteúdos do cotidiano e suas aplicações, oferecendo aos alunos suporte para uma melhor compreensão sobre a axplicação do professor e propondo questionamentos coletivos importantes para toda sala de aula de maneira mais objetiva e instigadora.

NASARENO IGINO DA SILVA disse...

O TANGRAN
Este é um objeto de estudo muito interessante para ser utilizado no dia a dia da sala de aula e um instrumento muito importante para estimular a curiosidade e a forma de raciocinar dos alunos se sentindo mais estimulados e confortaveis na hora de forçarem mais a mente para entender a lógica na disciplina matematica, como profissional da matematica vou buscar intensificar um pouco mais o uso deste instrumento nas aulas diarias.

Keila Rosania de Lima disse...

E interessante a forma como o conteúdo poderá ser repassado para os alunos, já que para a maioria é um assunto sem muito atrativo quando repassado de forma teórica. Dessa forma vai-se conhecendo passo a passo o processo da produção de energia nuclear, bem como as consequências provocadas ao meio ambiente, quando o manuseio ocorrer de forma inadequada.

Adriano Barboza de souza disse...

É muito legal trabalhar com tangran, pois os alunos adoram quebra cabeça além do que podemos explorar vários assuntos da geometria plana, que sem dúvidas é a base para a geometria espacial.
Podemos explicar aos alunos com sua visualização e participação direta como compor ou decompor uma figura plana grande com várias figuras menores; explorar o estudo dos ângulos e lados de um polígono que venha facilitar sua classificação.

Maria Edilza de Oliveira Dantas disse...

O objeto de estudo preciso de oxigênio é um tipo de atividade que irá tornar as aulas de Biologia mais dinâmicas,podendo atender o segundo e terceiro anos do ensino médio,levando em conta que a temática abordada também atende as séries iniciais do fundamental II.Esse tipo de atividade dinamiza as aulas tornando-as menos monótona e permite que os alunos sintam-se motivados a participar,levando-os por meio do questionamento a formularem sua própria resposta.A visualização e animação das imagens são itens importantes para que a construção desse conhecimento aconteça.

nne Eveline da Cruz Soares disse...

Com essa nova ferramenta "O RIVED" vamos poder colocar com clareza para os alunos alguns assuntos como o funcionamento da Usina Nuclear que tem seu lado positivo e também negativo, com isso fazendo o aluno pensar mais um pouco.
Com esse material quanto o aluno como o professor vai poder explorar cada assunto com mais clareza e poder assimilar com mais facilidade.

Leonardo França de Moraes disse...

Inicialmente, parabenizo o curso de informática voltado para a aprendizagem em sala-de-aula, pois esta ferramenta irá nos dá uma contribuição bastante interessante para o aprendizado do aluno nas áreas de seu interesse. Tornará as aulas mais dinâmicas, atrativas e interativas. Muito interessante o objeto do rived sobre o cálculo do raio da terra, que nos leva a criar e imaginar uma viagem no tempo... Portanto, espero uma grande contribuição nas minhas atividades de sala-de-aula.

gilssimar costa oliveira disse...

o objeto " raio da terra" mostrou-se de imediato uma forte ferramenta no aspecto visual, o que muitas vezes a falta deste recurso dificulta o entendimento do tema abordado em sala de aula, com esta ferramenta podemos fazer previsões otimistas. Merece destaque a primeira tela que traz uma simulação dos movimentos da terra (rotação e translação), o material é muito detalhado. Entendemos que este mesmo objeto pode ser explorado em outras áreas da física o que comprova a interação entre as áreas da física.

sorley audrey dantas de melo disse...

O OA- tangran apesar de ser muito ultilizado no ensino fundamental, também poderá ser aproveitado no ensino médio como introdução de geometria espacial; as competencias que podem ser comtempladas seriam: perímetro, área e decomposição de figuras planas. Como: se usarmos o triângulo menor como unidade de medida de área e perimetro, veremos que todas as outras figuras podem ser composta por esse triângulo menor; dessa forma podemos usar esse OA como um excelente atividade lúdica para tais competencias.

Aline Cristina Lessa da Fonseca disse...

O objetivo da aula Preciso de oxigênio é uma ferramenta que proporciona o alunado a construção de hipóteses visando responder as situações observadas. As situações propostas são concretas, reais e que simulam todo o processo que ocorre mediante atividades antrópicas esquematizadas.
Através desse material é possível despertar no alunado a busca de respostas, ou seja, posicionamento crítico quanto à ação do homem sobre os ecossistemas, bem como evidencia e facilita o entendimento de inúmeros conceitos que são observados.

marcelo de sales farias disse...

A aula referente a usina nuclear é bastante interessante, pois proporciona aos educando melhores recursos visuais e abordagem de conteúdos, um melhor entusiasmo e interação com a realidade, além de estimular a não evasão escolar.

Vanuza Gonçalves de Sousa disse...

O objeto de Aprendizagem " A Usina nuclear, é um rico material de apoio, será de grande relevãncia para o enriquecimento dos conhecimentos dos alunos. Apresenta de forma clara e simples os procedimentos para a geração de energia, claro que o professor deverá explorar com mais detalhes e precisão o assunto, no entanto, a maneira como foi apresentado o OA, contribuirá para que o conceito se consolide e a aprendizagem acorra de forma significativa e prazerosa.

zelia izabel fonseca disse...

Estou bastante entusiasmada com essa porta tecnológica, além de rica, criativa, e interessante, que se abre para inovar as aulas, que muitas vezes são repetitivas e cansativas tendo como auxílio o uso de quadro, giz e a imaginação.
Quero aproveitar para felicitar-lhe por um curso que consegue unir informática a ciência da natureza de forma simples e prática.
Dependendo de mim, a utilização deste curso na sala de aula, será um sucesso
w

Cleone Medeiros de Lemos disse...

O objeto de aprendizagem "Preciso de Oxigênio" é muito criativo, as ilustrações são interessantes e com certeza tornará as aulas para os nossos educandos mais interativas e colaborativas.O OA com certeza estimulará os alunos a participarem melhor das aulas, com mais intusiasmo,incentivando-os a buscarem maiores conhecimentos,possibilitando assim uma aprendizagem significativa e consolidada.

Sorley Audrey Dantas de Melo disse...

Por várias vezes tenho tentado através das convencionais situações de aprendizagem, alcançar resultados mais significativo, porem algo me dizia que eu estava um pouco fora de sintonia, por mais bem elaborada que a fosse.
Tudo que acreditava ter superado o tradicional para o sucesso educacional no que se refere aos esforços para atingir o topo da pirâmide educacional através de tais situações de aprendizagem, está superado pelo avanço tecnológico.
Com isso, segundo Walter Spinelli, o objeto virtual de aprendizagem vem como o eureca da pedagogia moderna, da pra ver que é mais que um simples aplicativo, é também a tentativa de tornar os saberes mais significativos possibilitando um melhor feedback e redimencionalisando e inibindo pobres idéias como: “ o computador e a net por trazer tudo pronto só atrapalha” ; Através da RIVED podemos, até agora, experimenta que o uso inteligente dos instrumentos de tecnologia favorece o exercício da criatividade dos nossos alunos e os motivando a atingir o topo de tal pirâmide.

Carlos Antonio Viana do Nascimento disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – Matemática/Macau. RN

Comentário sobre o texto “Os objetos virtuais de aprendizagem”



Sabemos que o aprendizado é resultado de esforços, organizações, aplicabilidades e outros fatores correlatos. Todos esses fatores relacionados, se acontecer de ambas as partes professor e alunos, geram resultados satisfatórios, só que nos nossos dias atuais tem que partir do professor a proposta de inovação, de mudanças e essas mudanças requerem muito trabalho, muitas pesquisas se você quiser ver resultados profissionais didáticos-pedagódicos.
Os recursos na atualidade são inúmeros, desde o mais simples, ao mais avançado, como é o caso do computador interligado a rede internacional (Internet). Infelizmente, para que seja aplicado alguns desses recursos, ainda deixa muito a desejar na educação do nosso país. Quando em algumas escolas não tem nem mesmo o computador e outro item muito triste é que também é encontrada muita resistência de profissionais da área, à mudança, pois boa parte é completamente leiga quando se fala de tecnologia.
Mas mesmo com toda essa realidade, existem já iniciativas e uma delas é esse curso o qual estamos fazendo sobre os ambientes virtuais de aprendizagem. Tenho certeza que o trabalho sendo executado com intenções realmente pedagógica, torna a prática docente e discente agradável e nesse sentido, acontecerá o feedback, ou seja, haverá um aprendizado dinâmico, produtivo e significativo, saindo da mesmice.
No entanto, com o uso do computador, de mídias e da Internet, à qual estão conectados milhões de pessoas em todo o planeta, e é justamente com a internet, que o computador deixa de ser um acessório, e se transforma numa ferramenta por meio da qual se faz a troca de idéias e são compartilhado projetos de pesquisa que colabora e muito em estudos escolares como um todo. O computador com a Internet e seus ambientes virtuais de aprendizagem não educa, ensina. Compreendemos também que a tecnologia pode ser uma poderosa ferramenta para facilitar o aprendizado, mas não pelas razões que muita gente acredita.

Danielly Torres disse...

Spinelli mostra a importância das considerações das informações prévias que os alunos possuem nas situações de aprendizagem na escola. Apresenta com destreza a influência das informações do senso comum e vinculada pelos diversos meios tecnológicos que estão disponibilizados atualmente. Demonstra que informação não significa conhecimento, pois este último atributo requer uma posição crítica em relação a diversos aspectos do ouvinte.
A categorização em pirâmide apresentada no texto resume bem a gradação entre informação e os processamentos cognitivos mais elaborados, além das mudanças atitudinais e de valores que se tornam possíveis quando o indivíduo é orientado, estimulado e capacitado a desenvolvê-los.
A escola não deve atuar como apenas na transmissão de informações, e sim, no patamar da compreensão e análise de teorias para que após esse processo estimule uma postura crítica e leve o aluno a conseguir abstrair e projetar novos desafios.
Para permitir e facilitar as etapas que levam ao conhecimento citadas acima, além dos recursos didáticos mais comuns, aparece no cenário os objetos virtuais de aprendizagem que se mostram como uma alternativa que desperta a curiosidade, respeita as informações prévias dos alunos, permite a interação e apresenta questionamentos que levam a projeção de novas questões.
Particularmente, gostei bastante do texto de Spinelli e acredito que esses novos objetos serão uma ótima ferramenta para as escolas.

ERIKA TELLES BARBOSA DE OLIVEIRA disse...

O texto:"Os objetos virtuais de aprendizagem: Ação, Criação e Conhecimento",(de Walter Spinelli), nos leva a refletir sobre a prática docente(Professor e Instituição Escolar) e ao mesmo tempo procurar adotar uma postura coerente(com a nossa realidade)que permita a concretização efetiva dos seus objetivos (conhecimento) no decorrer do processo de ensino (coletivo) e aprendizagem(individual), fazendo uso dos objetos virtuais de aprendizagem, proporcionando a estimulaçao da criatividade e a imaginaçao do estudante (ser crítico) a partir de um trabalho pedagógico(projeto) que englobe a inter, a trans e a multidisciplinaridade. Portanto, o objeto virtual de aprendizagem pode e deve favorecer a concretização da aprendizagem discente, dependendo da forma como é explorada a contextualização e a funcionalidade do conteúdo trabalhado. Fazendo-se assim, necessário incluir os estudantes no mundo tecnológico....

Anne Eveline da Cruz Soares disse...

Os objetos virtuais de aprendizagem: Ação, criação e conhecimento

Autor Walter Spinelli


O texto de Spinelli nos tras informações valiosas sobre como sistematizar a aprendizagem do aluno. Como o professor expor qualquer matéria para que o aluno possa compreender de forma mais clara.
Para que isso aconteça, precizamos de qualidade nas escolas, apesar de estarmos na era da tecnologia, nossos alunos,a grande maioria não tem acesso a internet faz com que nosso trabalho não progrida.
para que nossos alunos atinga o cume da pirâmide de "Machado" é necessário que nosso aluno tenha mas conhecimento a informatização.
Espero que essa ferramenta de aprendizagem facilite a vida do professor e que ele possa transmitir de forma mais simples o seu conteúdo para o aluno.












3

RENATO DANTAS DE MEDEIROS disse...

TEXTO DE SPINELLI
O texto de Spinelli é bem esclarecedor e coloca os OBJETOS DE APRENDIZAGEM como um auxílio ao docente e ressalta a importância de que é preciso que o professor aproxime os “conhecimentos” ao “dia-a-dia” do aluno. No contexto da escola que eu ensino já fiz uso de alguns objetos de aprendizagem. Numa feira de cultura do ano de 2007 a escola aceitou uma proposta minha para fazermos uma abordagem de assuntos da problemática social do município de Lajes e realizarmos atividades que envolvessem todos os alunos da escola de forma interdisciplinarisada. Então eu, Prof. de Química me associei com profs de Biologia, Educação Física e Português e montamos peças que seriam apresentadas nos bairros falando sobre prostituição e aborto. O resultado foi incrível tanto para os alunos - que se envolveram totalmente e apresentaram seminários sobre assuntos relacionados, como: drogas, precariedade na educação, pobreza, falta de geração de empregos e etc – , a escola que experimentou uma nova abordagem social e para a população dos bairros que receberam a escola em suas quadras e prestigiaram grandemente o evento. Também faço uso de experimentos laboratoriais em sala de aula e algumas que envolvem a vida deles, por exemplo: quando estou ensinando sobre Propriedades Coligativas peço aos alunos que coloquem dois copos de alumínio no freezer e um contendo somente água e outro colocando água e uma colher de sopa de sal, então a cada hora eles observem como ocorre o congelamento dos copos e façam anotações, a cada hora, e façam sua conclusões. È surpreendente que eles depois experimentam com outros tipos de soluções, feitas em casa mesmo, e como eles exploram esse conhecimento, colocando colher de alumínio dentro do copo e por aí eles seguem, cada ano tem um grupo com algo novo.

Aline disse...

Spinelli destaca que diante as inúmeras fontes de informação (internet, rádio, jornais, revista e Tv) o alunado já é detentor de conhecimento prévios do mundo. Entretanto, apesar dessa grande quantidade de informações que se têm facilmente, elas não garantem base sólida para a construção do conhecimento crítico e motivador. Em função dessa nova face, a escola tem que acompanhar essas mudanças de forma a utilizar essas fontes, como ferramentas para construção de aprendizagem relevante, tendo por base as informações pré-existentes como objeto instigador na busca pelo aprofundamento do conhecimento de forma interdisciplinar.
Os objetos virtuais de aprendizagem é um recurso digital que auxilia, estimula e desenvolve as capacidades pessoais. Esses objetos devem ser utilizados para favorecer o exercício da criatividade e da construção seqüenciada de uma informação que será útil na vida dos alunos.

Francisco Assis Muniz disse...

Francisco de Assis Muniz

O texto de Spinlli traz toda importância do educador prestar mais atenção aos conhecimentos trazidos pelos alunos da sua vida fora escolar.
Mostra as diversas maneiras da utilização da tecnologia na sala de aula levando o educador e o aluno a uma integração bem maior e mais sólida.Juntando tecnologia e vivência pode-se desenvolver um trabalho bem mais proveitoso.Spinelli mostra que o conceito de escola apenas transmissora de conhecimento esta ultrapassada e sua integração com a sociedade é de fundamental importância, principalmente para acompanhar o desenvolvimento do aluno no seu ambiente familiar e social.
Outra importância trazida pelo texto é no tocante a interligação entre as disciplinas o que torna o aprendizado mais objetivo e mais prazeroso.A utilização da tecnologia e objetos virtuais estimula o raciocínio e a criatividade, fazendo uma grande diferença no modo de aprender.

Leonardo França de Moraes disse...

Segundo, Walter Spinelli, no texto: "Os Objetos Virtuais de Aprendizagem: ação, criação e conhecimento" diz que um objeto ... pode contribuir para uma situação favorável do aluno em alcançar o topo da pirâmide informacional, criada por Machado. Este argumento de Spinelli procura apresentar seu ponto de vista sobre como entender determinados termos que envolvem as concepções do conhecimento, hoje. Com diz, Spinelli, no texto: "Partindo da leitura dos dados, geramos informações; da informação, analisando-as, criticando-as, relacionando-as, construímos conhecimento; é preciso administrá-los no sentido de aceitar novos desafios; é preciso buscar dados, gerar informações e criar conhecimentos numa direção anteriormente determinada; é preciso projetar. Essa tarefa está resguardada ao último patamar da pirâmide, o mais elevado, o da inteligência". Devemos ter sempre como objetivo a alcançar em qualquer atividade educacional o topo da pirâmide informacional, ou seja, a inteligência. Teremos que olhar, também, do cume para a base da pirâmide, onde os dados são observados à luz dos projetos. Para a construção do conhecimento é importante que se construa um leque de significados do conceito com base na seleção de "contextos significativos" para o desenvolvimento de determinado bloco de conteúdos, usando a tecnologia na composição dos objetos virtuais de aprendizagem. Diante do exposto vemos que o aluno através do uso de um objeto virtual de aprendizagem interage com o programa, mediante feedback. Portanto, segundo o autor - "O uso inteligente dos instrumentos de tecnologia, como a produção de objetos virtuais de aprendizagem, amplia o campo de possibilidade para o desenvolvimento da capacidade criativa dos alunos".

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Silvia Groto disse...

Texto: Os objetos Virtuais de Aprendizagem.
O texto enfatiza a idéia de que os obtivos do educador e da escola devem ser os últimos degraus da Pirâmide Educacional; o CONHECIMENTO é obtido através da compreensão das informações que chegam aos alunos e é a INTELIGÊNCIA que possibilita a criação à partir do conhecimento internalizado. Considerando ainda o avanço tecnológico e o acesso que nossos alunos tem à Rede Mundial de Computadores, cabe a nós, educadores, utilizarmos essa fonte de informações em nossa prática pedagógica, principalmente através do domínio dos Objetos Virtuais de Aprendizagem, facilitando o alcance do topo da Pirâmide Educacional atráves de um método que faça parte do dia a dia de nossos alunos. Silvia (aluna das 3as feira, frequentando
as 4a feiras)

Maria Edilza de Oliveira Dantas disse...

O texto permite que o educador faça uma reflexão sobre sua metodologia,pois ele mostra como é possível dinamizar as aulas com o uso do computador,vito que a informática pode ser utilizada de forma positiva onde auxilia na aprendizagem de algum conceito e, também estimula o desenvolvimento de capacidades pessoais, como a imaginação e a criatividade.
Segundo Spinelli é possível visualizar uma maneira de mobilizar a maior gama possível de estratégias mentais, de ascender na pirâmide informacional para atingir seu cume;buscar uma nova situação de aprendizagem que,reconhecendo por um lado a limitação do computador sob o ponto de vista cognitivo,transfira para o aluno a tarefa de imaginar, criar e, construir saberes.

Adriano Barboza de Souza disse...

Com o advento das diversas formas de meios de comunicação, a tecnologia avança cada vez mais e as formas de comunicação também. Hoje é bem mais acessível fazer uma pesquisa sobre determinado assunto, pois com essa rede mundial de computadores, através as internet a pesquisa fica mais fácil e rápida.
O professor que sistematiza as atividades desenvolvidas com o seu aluno, auxiliando os mesmos na aprendizagem, tem uma gama de variedade de situações aprendizagem. Os nossos alunos hoje estão munidos de uma quantidade maior de informações, com isso o desenvolvimento das atividades educativas fica mais completo; porem nem sempre o acesso as informações garante base mais sólida para a construção do conhecimento.
A Pirâmide Informacional de Machado é uma idéia que deve ser adotada com o sentido de melhor trabalhar a informação com professor e aluno, fazendo com que os nossos alunos sejam estimulados na leitura e interpretação de dados ate saber criticá-los.
A realização de projetos na escola deve ser prioridade, com isso o olhar se volta do topo(projetos) para a base (dados) da pirâmide. É preciso fazer com que os nossos alunos aprendam a criticar com o intuito de dar possibilidade de construírem seus próprios saberes.
A tecnologia é uma grande ferramenta para a construção do saber do ser humano. Com o surgimento do computador e internet você consegue obter uma variedade considerável de informações sobre qualquer assunto, isso torna a pesquisa mais completa.Vale salientar que existe vantagens e desvantagens a respeito desse veiculo de informação.
Uma vantagem imediata seria a facilidade e agilidade da pesquisa e uma das desvantagens é o usuário não se dar o trabalho de pensar, criar e construir saberes próprios.
Em um contexto geral, um objeto virtual de aprendizagem é um recurso importante e deve ser utilizado, mas a maneira de como utilizá-lo tem que ser trabalhada para que o aluno desenvolva a capacidade de imaginação e criatividade, ou seja, o mesmo (aluno) deve pensar, criar e produzir.
O sucesso para a realização da atividade de pende de quem o idealiza e de quem ira realizar; os devem trabalhar juntos (professor e aluno) para que os resultados alcançados seja o esperado.
Usar estratégias de trabalho que favoreçam a criatividade por parte dos nossos alunos sempre será valido para a formação do saber.

Kívia Kecia Barbosa de Queiroz disse...

Na escola nos deparamos com várias situações que podem ser utilizadas para promover a aprendizagem, dentre elas considero bastante relevante as "aulas de campo".Nessas situações o aluno pode adquirir conhecimentos e informações sobre os conteudos vivenciando a própria realidade e estabelecendo informações anteriormente obtidas a fim de alcançar um patamar superior da piramide mencionado pelo autor do texto. Na escola em que trabalho realizamos o projeto dengue, essa situação de aprendizagem nos rendeu bons resultados. Resumidamente a mesma realizou-se da seguinte maneira: inicialmente os alunos realizaram uma pesquisa sobre todas as informações sobre a dengue em diversas fontes, em seguida os professores as analisaram, comentaram e discutiram, a parti deste momento realizou-se a produção de material para esclarecimento da população,após a realização dos trabalhos os alunos acompanhados pelos professores sairam casa a casa prestando informações, entregando o material confeccionado e recolhendo latas, garrafas e etc que encontravam no caminho. Essa situação de aprendizagem foi realizada no ensino fundamental II, porém achei importante relata-la pelo fato da mesma ter envolvido os alunos na compreensão de uma temática da própria realidade deles, além de ter envolvido os conteudos de várias disciplinas e ao meu ver ter estimulado a compreensão e a construção do conhecimento.

keila rosânia disse...

O texto é bastante interessante quando Spinelli relata que professor e instituição escolar deve ter como objetivo alcançar o patamar superior da pirâmide informacional,a inteligência .Então se faz necessário que busque no aluno a capacidade de questionar, ler e interpretar, organizar, elaborar e criticar as diversas situações ocorridas no contexto educacional para que possa de forma criativa concretizar sua aprendizagem.
O professor portanto deve explorar as diversas situações de aprendizagem utilizando-se do acesso a dados, buscando informações através de elementos de comunicação, mesmo que sirva apenas de ponto de partida.
È quando os objetos virtuais de aprendizagem assumem sua importância, pois com o crescimento dos recursos tecnológico a facilidade com que se realiza determinadas tarefas é bem maior em relação a outros meios.
Através da tecnologia, o professor deve estimular a criatividade e imaginação do aluno, fazendo-o compreender que é capaz de desenvolver diversos trabalhos relacionados ao seu cotidiano.
No entanto conhecer e usar os recursos tecnologicos deve fazer parte de nossa pratica docente, já que a sociedade urge em busca de inovação e exige de nós criatividade e imaginação, a fim de que possamos ter como fruto, uma melhoria no processo de ensino aprendizagem.

Janaina Carla Cunha de Lima Silva disse...

Janaina Carla Cunha de Lima Silva

O texto de Walter Spinelli fala sobre uma nova atitude do profissional da
educação, o professor hoje sistematiza as atividades para auxiliar o aluno em
determinado conteúdo, mas devido a rotina escolar do professor este não
enquadra-se mais no contexto atual da tecnologia da informação. O acesso a
informação não é mais garantia da construção do conhecimento, e mostra
que a
imagem de uma pirâmide informacional onde os dados são a base, as
informações
são estes dados articulados, sendo o foco não a quantidade de informação,
mas
sim como compreende-las e relaciona-las, tendo o conhecimento como
estabelecedor de conexões entre as informações coletadas, analizando-as e
relacionando-as, e por fim como ponto culminante da ação da inteligência
estão os projetos. O objetivo é estimular os alunos a leitura e a
interpretação de contéudos de forma crítica, com um olhar projetista,
mostrando a importância de estabelecer relações entre os vários componentes
curriculares. A importância desta teia de significados é o que chamamos de
objetos virtuais de aaprendizagem, onde os computadores podem ser utilizados
como via importante para a concretização de nossos projetos individuais e
coletivos. Um objeto virtual de aprendizagem constitui uma situação do
aprendizado que estimula a criatividade, este recurso digital auxilia as
atividades conceituais e estimula o desenvolvimento de capacidades pessoais
podendo contemplar um único conceito ou um corpo conceitual. O objeto virtual
não funciona apenas como uma simulação de um experimento real, mas uma
situação em que o aluno percorre etapas , sendo necessário a compreensão de
algum contexto científico possibilitando assim o desenvolvimento da
capacidade criativa dos estudantes.

Verônica Senra da Silva disse...

A Pirâmide Informacional apresenta claramente a compreensão do conhecimento em nossos dias. O alunos utilizam muito a informática, para pesquisa, bate papos, têm acesso a muitos dados (fatos, imagens, sons) que muitas vezes não são úteis na sua formação, precisando de um agente transformador que oriente-os a coletar os dados de forma a se tornarem aplicáveis a determinado fim, ou seja que tenham significado. Podemos dizer que Informação = dados + significado. Já o Conhecimento = informação internalizada + capacidade para utilizar a informação, enquanto que a Inteligência = o conhecimento sintetizado e relevante que permite projetar.
O recurso digital é muito importante, na medida em que ele é usado como objeto de aprendizagem, que leva o aluno a construir seu conhecimento de forma significativa, principalmente se for utilizado de forma interdisciplinar. Infelizmente, minha experiência profissional neste aspecto é nula, e por isso fiz tanta questão de participar do curso. Espero adquirir competência para introduzir este objeto de aprendizagem em minhas aulas, como espero também, que a escola nos dê condições para tanto, tendo em vista que há dois anos a internet não funciona.

20 de Julho de 2008 09:11

NASARENO IGINO DA SILVA disse...

NASARENO IGINO DA SILVA

OS OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM:
AÇAO CRIAÇAO E CONHECIMENTO


Analisando o texto em destaque observa-se que, é cada vez mais necessária a utilização de métodos que sirvam de parâmetros para uma melhor compreensão e aprendizagem dos educando de uma forma geral, no entanto para isto acontecer é de suma importância à dedicação e o envolvimento dos educadores no sentido de melhorar e aprimorar a cada dia, os métodos e a forma mais eficaz de repassar ou transmitir estes conhecimentos e informações aos seus alunos.
Na atualidade, o desafio de todos nós, que tomamos a decisão de se envolver de alguma forma, com as funções ligadas ao magistério, seja por vocação ou conseqüências naturais de oportunidade que a vida nos oferece, temos um desafio muito grande para mudarmos esta realidade a qual se encontra a educação Brasileira, e neste momento a gama de informações, a disposição nos meios de comunicação em geral, se fizermos uma filtragem, de toda informação que nos chega, separando de forma seletiva aquilo que nos é benéfico e que interessa para transmitirmos aos nossos educando, mostrando e orientando os mesmos a também buscarem estas informações principalmente através da internet, que é um meio muito bom para a busca da informação atualizada.
Com os avanços tecnológicos, principalmente o uso do computador e a internet, os recursos de aprendizagem podem ser aprimorados e se tornarem mais eficaz em prol do aluno que este o principal desafio do sistema educacional, buscar melhoria para a pratica do ensino/aprendizagem, e neste contexto estão incluídos os objetos virtuais de aprendizagem, ligados evidentemente a cada disciplina.

zelia izabel disse...

O texto de Walter Spinelli mostra que os alunos quando chegam à escola trazem um número considerável de informações e cabe à escola intervir possibilitando à análise, a organização, a crítica para que eles possam construir conhecimento.
Outro dado muito importante é em relação ao tema próprio de cada disciplina, pois não se resume apenas a ela, acaba extrapolando e se ramificando em outras disciplinas.
E o ponto máximo é quando o autor explica que a construção do conhecimento se dá quando há reflexão por trás da atividade intelectual, quando os alunos são levados a imaginar e criar enredos, contextos e projetos, isto é desenvolve sua capacidade criativa utilizando ou não a tecnologia.

José Edson de Souza disse...

No texto, Walter Spinele chama a atenção para o uso das novas tecnologias como um recurso para o desenvolvimento da aprendizagem. Mostra que apesar de avanços significativos na forma de transmitir o conhecimento sistematizado, o professor tem que considerar que os alunos de hoje chegam a escola munidos de uma gama de informações que conseguiram através dos instrumentos de comunicação, como por exemplo, radio TV, revistas, internet.

Na era da informação em que vivemos a rede mundial de computadores é um recurso imprescindível para se transmitir o conhecimento, é um meio rápido e eficaz de se conseguir informações. O grade desafio do professor de hoje não é mais só transmitir conteudos, mas criar métodos para que o aluno possa aprender a lapidar as informações que está disponível pelos meios de comunicação. Com esse pensamento cabe ao professor auxiliar o aluno a trabalhar as informações, partido de um pressuposto que ele deve aprender a obter, organizar, compreender e formar a sua opinião sobre tais assuntos para que assim esse conhecimento adquirido seja um objeto para formação e não somente de imformação.

Silvia Groto disse...

Sobre O Milagre da Vida - Biologia
As 05 atividades são muito interessantes, pois possibilitam ao aluno obter informações sobre um tema muito polêmico que é a sexualidade. Auxilia muito também aqueles professores que se sentem constrangidos para tratar de aŕeas mais "polêmicas" da sexualidade humana, neste sentido, este objeto auxilia muito a prática pedagógica.
Observações: na atividade 5, que trata do tema da tabelinha, o período fértil da mulher, na minha opinião é muito curto ( apenas 2 dias antes e dois dias depois da ovulação), acredito que esse espaço deva ser aumentado ( 4 dias antes e 4 dias depois) pois trará um maior intervalo de segurança.No final da atividade fica claro que a tabelinha não é um método seguro, porém devemos ter muito cuidado com as informaçoes que passamos aos nossos alunos, principalmente num tema como esse, em que um mal entendido pode afetar para sempre a vida de 2 jovens. ( Silvia Groto, aluna das 3as feiras, cursando nas 4a feiras)

Carlos Antonio Viana do Nascimento disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – Macau - Matemática


Comentário sobre o Objeto Geometria da cidade – 23/07/2008

A percepção da Matemática no nosso cotidiano, é de fundamental importância para uma significante compreensão de determinados conteúdos curricular trabalhado com o aluno em sala de aula e fazer esse trabalho de forma atrativa e satisfatória é o grande desafio da educação hoje, até porque, vejo que a educação é o único ramo institucional que ainda deixa muito a desejar quanto a utilização de recursos tecnológicos que é o caso da proposta do nosso curso, infelizmente. Mas...
Trabalhar com Geometria é uma maneira de deixar as aulas de Matemática atrativa, pois é muito completo, trabalha-se: O criativo, o numérico, o algébrico e habilidades.
Quanto ao nosso objeto de estudo que é Geometria da cidade, fica ainda mais prazeroso e outro fato importantíssimo é o aluno perceber o conteúdo vivo e real. Como exemplo as formas geométricas.
Tenho certeza que até mesmo para avaliar há um diferencial.

gilssimar costa oliveira disse...

O objeto analisado “conservação da quantidade de movimento I”, faz uma abordagem de várias situações de movimento, onde o entendimento dos conceitos de massa e velocidade são de fundamental importância para compreensão do funcionamento do sistema. Vejo a possibilidade de aplicação deste objeto brevemente, pois, como mencionado no guia do professor é necessário conhecimentos prévios de força, velocidade e massa, conceitos em que estou trabalhando atualmente. A interatividade e a variação das situações problemas tornarão estas aulas, certamente, mais atrativas.

francisco de assis freire morais disse...

Ao analisar os objetos, pude perceber que em uma cidade pode se trabalhar geometria e também fração. o aluno irá perceber que a geometria está ao seu redor e através das formas observadas ele será capaz de construir novos conceitos geométricos.

José Edson de Souza disse...

Essa simulação é uma ferramenta de grande importância para o professor explicar a quantidade de movimento de um corpo.Diferente da forma tradicional utilizada em sala de aula, onde o professor pede que o aluno visualize mentalmente a situação.Nesse caso o aluno pode visualizar a situação pedida de forma clara e agradável chegando a conclusão, quase de imediato, que os fatores que influenciam no calculo da quantidade de movimento são a massa e a velocidade.

Kívia Kecia Barbosa de Queiroz disse...

o objeto de aprendizagem " O milagre da vida- sexualidade humana" é muito criativo e interessante para trabalhar com nossos alunos pois através dele podemos explorar temas que fazem parte do cotidiano e trabalhar além dos conceitos biológicos, fatores sociais e culturais relacionados a sexualidade que quando mau interpretados geram graves problemas individuais e coletivos.

Sorley Audrey Dantas de Melo disse...

Já fiz alguns sólidos de cartolina guache para me auxiliar nas aulas de geometria espacial nas turma de ensino médio, porem estou convencido de que o OA analisado, não só por ser realizado em um outro ambiente como o laboratório de informática mas também pela própria interface e movimentos de interação multimídia, ele favorece a visualização e o estudo das características de cada sólido acelerando de forma lúdica pratica e eficiente o entendimento a compreensão e o aprendizado de nossos alunos de maneira mais sólida, reduzindo o tempo utilizado em sala de aula com esse assunto

Danielly Ferreira Torres disse...

O módulo sexualidade do guia do professor e os objetos RIVED sobre o tema são bastante interessantes para abordar esse tema que causa muitas vezes certo constrangimento entre os alunos. Tanto o objeto como o guia amplia a discussão além dos aspectos biológicos, passando por questões sociais, culturais e psicológicas; fundamentais na realidade atual.
Os objetos podem ser adequados à realidade escolar e da comunidade em que serão utilizados, ampliando os debates sobre a problemática a cerca da opção de métodos anticoncepcionais, estereótipos e preconceitos que podem levar a estigmatização sexual e esclarecer as freqüentes dúvidas sobre a regulação neuro-endócrina (muitas vezes o professor não possui recursos didáticos eficazes para a apresentação desse conteúdo).
Trabalhei esses temas durante o dia dos namorados com a preocupação sobre os diferentes aspectos, não apenas os disciplinares (Biologia). Acredito que nessa situação os objetos RIVED e a sugestão dos guias seriam muitos eficientes para facilitar a interação e assimilação desse tema.

Janaina Carla Cunha de Lima Silva disse...

Janaina Carla Cunha de Lima Silva

O objeto de aprendizagem "O milagre da vida" é uma ferramenta diferente e inovadora para abordar na escola um tema tão instigante e complexo que são as questões relativas ao prazer e ao sexo, este objeto estimulará no aluno através de sua vivência, a capacidade crítica e argumentativa, fazendo com que estes discentes produzam relatos argumentativos, abordando tanto questões biológicas, como culturais e psicossocias, pois o tema é demonstrado em vários enfoques utilizando-se linguágens, códigos e imágens necessários a biologia, dispertando a curiosidade de todos, principalmente dos adolescentes, desenvolvendo nos mesmos responsabilidade e autonomia com a sua sexualidade e a dos outros.

Anônimo disse...

O Objeto de Aprendizagem "O M ilagre da vida:Sexualidade Humana" de forma lúdica cria várias possibilidades de uso na sala de aula.A forma como é tratada deixa,acredito, os mais tímidos à vontade,facilitando,assim,a inclusão com os demais da turma e conseqüntemente uma melhora no geral.Quanto mais amigos maiores as possibilidades.As atividades vão além do sexo que eles tazem na cabeça.Vai mostra que existe sentimento bons e ruins dependendo tudo que eles interpretamdesmitifica mitos,derruba preconceitos,quebra velhos tabus acelera a conciência consigo e com os outros.Nós professores também temos que quebrar velhos pensamentos...Se não...

Anne Eveline da Cruz Soares disse...

1º encontro
Tema: Na casa e na farmácia.

As atividades mostradas no RIVED, oferece para o professor novos recursos didáticos para a melhoria da aprendizagem do aluno.
Com as atividades no computador o aluno tem a liberdade e a curiosidade de observar o conteúdo que estamos estudando.
E com isso podemos avaliar o progresso do aluno individualmente.
A atividade analizada com o tema em casa e na farmácia vai fazer com que o aluno estabeleça uma discurssão na sala de aula de determinado medicamento, e assim possamos discutir em sala de aula..

Gilssimar Costa Oliveira disse...

O texto nos convida inicialmente a refletir sobre o universo de informações a que nosso alunado, tem no momento a sua disposição, e nos alerta sobre a necessidade de repensarmos sobre os recursos utilizados por nós professores em sala de aula. Segundo o autor as chamadas situações de aprendizagem devem acompanhar os avanços tecnológicos ocorridos na área da informação. No, entanto, fica evidente que estas informações necessitam ser ordenadas, de modo que sejam enriquecidas e adquiram valores significativos.
Uma proposta para tal ordenação pode ser vista através da Pirâmide Informacional, que propõe um modelo de analise de construção de conhecimentos embasados em fases e etapas, que consiste na identificação e escolha de uma situação inicial, e que esta, possibilite a integração de vários componentes curriculares, até que se alcance o nível mais elevado da pirâmide. É diante deste contexto que o autor sugere a utilização dos objetos virtuais de aprendizagem, que se apresenta como uma ferramenta capaz de estimular a imaginação e a criação de saberes concretos, diferente da prática de buscar conteúdos prontos e acabados, e que na maioria das vezes não se permite realizar uma simples leitura, muito menos uma analise crítica. Acreditamos no argumento do Spinelli quando se afirma que estes objetos virtuais de aprendizagem são capazes de promover o desenvolvimento do raciocínio lógico, investigativo e crítico das situações simuladas nos objetos.

Maria da Conceição Xavier de Lima disse...

O texto:"Os Objetos Virtuais de Aprendizagem: Ação, Criação e Conhecimento" de Spinelli, retrata a necessidade de uma mudança na postura da escola quanto ao tratamento dado aos alunos, no tocante a construção do conhecimento.Uma vez que os mesmos chegam a escola munido de uma quantidade de informação maior do que vinham em outros tempos. A responsabilidade da escola agora é, sistematizar, depurar tais informações segundo critérios de relevância para que o aluno atinja o cume do patamar da pirâmide informacional.
Atualmente novas situações de aprendizagem nos tem sido concebidas por meio do crescimento dos recursos tecnológicos. Hoje é possível o aluno imaginar, criar e construir saberes mais significativos através de um objeto virtual, mediante a interação que há no momento em que ele está navegando.
O autor finaliza o texto mostrando que o uso inteligente dos objetos virtuais de aprendizagem, ampliam as possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criativa do estudante.
Diante da leitura que realizei, concluo que na prática de sala de aula, ainda falta muito para que o aluno chegue ao cume da pirâmide informacional.

Aline Cristina Lessa da Fonsêca disse...

O objeto de aprendizagem “O milagre da vida: sexualidade humana” é um tema muito inquietante para o alunado em função da fase de mudança que estão vivendo e principalmente pelo fato de ser um assunto pouco discutido no âmbito familiar. Ficando assim a escola como responsável por discutir as questões relacionadas à sexualidade.
Esse objeto virtual facilita a compreensão e retira dúvidas que os alunos possuem e não perguntam. Através dele é possível compreender como seu corpo funciona, o tipo de métodos contraceptivos que se pode usar, bem como, perceber que as questões relacionadas ao sexo não estão restritas ao aspecto fisiológico/ anatômico, mas também ao social, cultural, sexual entre outros. Esse material virtual utiliza-se de uma linguagem de fácil entendimento para os adolescentes, proporcionando um nível de aprendizagem baseado na curiosidade dos mesmos.

zelia izabel disse...

Podemos aproveitar esse objeto de aprendizagem para trabalhar movimento mas encontrei dificuldade nos exemplos dos movimentos, principalmente na atividade 2,diz que vao aparecer de vermelho os erros e as repetições e isto não acontece como também na atividade 4 que vc marca a questão e não surge a identificação. Será que é isto ou eu mesma fiz confusão?

Renato disse...

Química - Em casa e na farmácia -
Este objeto de aprendizagem estudado tem uma capacidade imensa de fazer com que o aluno possa imaginar e aprender sobre várias situações no seu dia-a-dia. Vejo que na parte de propor uma medicação, na atividade 1, para um paciente o Objeto não informa se foi o correto ou não. Ressalto que nas outras atividades funcionou muito bem, inclusive na parte de cálculos. O que me servirá para fazer um trabalho avaliativo com eles em sala.

Verônica Senra da Silva disse...

O objeto do Rived para o estudo dos sólidos geométicos (Geometria espacial) foi bastante interessante. Os alunos tem acesso a um aprendizado lúdico, concreto, tendo em vista que alcançando os objetivos de cada desafio, ele tem acesso aos conceitos de forma clara, além de ter a oportunidade de analisar resultados. A todo momento o aluno está construindo o seu saber. O interessante da atividade também, é o aluno passar a ver a arquitetura de sua cidade com outro olhar, identificando formas e sólidos geométricos em toda a sua volta.

Maria Edilza de Oliveira Dantas disse...

A sexualidade é um tema que requer uma certa cautela ao ser trabalhado em sala de aula pelo educador devido alguns alunos ainda não se sentirem totalmente abertos para falar sobre o assunto. Dessa forma deve haver uma conversa antes para que os alunos fiquem mais seguros a respeito da sexualidade. Com a utilização das atividades propostas no objeto de estudo analizado "O milagre da vida:sexualidade humana",permitirá que o conteúdo seja visto com descontração e claresa,evitando a censura que muitas vezes é um dos itens que bloqueia o aluno de falar sobre o assunto.

nasareno igino da silva disse...

NASARENO IGINO

OBJETOS DE APRENDIZAGEM
Os objetos de aprendizagens analizados até o presente momento nos uma pespectiva de que as aulas podem ser apartir do ponto de vista da apredizagem e do interesse dos educandos pelos conteudos, mais interessantes e diversificadas, trazendo novas possibilidades e novos horizontes tanto para o aluno para os professores no sentido de aproximar mais os alunos dos conteudos e da real aplicaçao dos mesmos no dia a dia de cada um, as figuras geometricas analisadas vai com certeza nos auxilar muito nas aulas da matematica, pois apartir das quais os alunos terao mais interesse e curiosidade,fazendo assim da praticaensino/aprendizagem
uma atividade satisfatoria.

Paulo F. Costa disse...

Analizando o objeto de apremdizagem Geometria da Cidade- Matemática. È possivel fazer com que o aluno(a) perceba as formas geométricas nas construçoes da sua cidade, tornando-o capaz, consciente e apto à avaliar o seu pensamento.
A tecnologia utilizada em sala de aula serve como um instrumento importante e muito valioso na resolução de situação-problema no dia-a-dia porque é através da visualização que o aluno(a) assimila a teoria a pratica, possibilitando uma aprendizagem rápida e segura.

keila Rosania disse...

Química: em casa e na farmácia-(Keila Rosânia)
O objeto de aprendizagem analisado nos textos 1 e 2 proporciona ao aluno uma fácil compreensão acerca do uso de medicamentos, prática tão aplicada cotidianamente pelas pessoas e que muitas vezes de forma irregular.Possibilita também o entendimento das diferenças entre os genéricos, similares e os de referência, bem como os grupos terapêuticos existentes.
O texto 3 apresenta uma maneira mais interessante de trabalhar as soluções,fazendo com que o aluno sinta curiosidade em descobrir como se prepara determinados produtos utilizados por ele em seu dia-a-dia ,e ainda, conhecer as medidas necessárias para o preparo das mesmas, através das expressões de concentração em um ambiente virtual.

HELAINE MIRNA J. ALBUQUERQUE RIBEIRO disse...

EM RELAÇÃO A ANÁLISE DOS OBJETOS DE APRENDIZAGEM PROPOSTOS PARA ESTE MOMENTO, CONSIDERO DE EXCELENTE FERRAMENTA DIDÁTICA PARA USO EM SALA DE AULA, PORÉM É PRECISO LEMBRAR QUE SUA UTILIZAÇÃO REQUER UMA ESTRUTURAÇÃO TEÓRICA PARA QUE ESSE SEJA INSERIDO A DE MANEIRA COMPREENSIVA,DINÂMICA E INTERPRETATIVA.
TENDO POR INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE O COMPONENTE DE QUÍMICA, AVALIO DE GRANDE IMPORTÂNCIA, POIS EXPLORA DE FORMA DINÂMICA E PRAZEROSA OS CONCEITOS QUÍMICOS, UTILIZANDO SITUAÇÃO DO COTIDIANO E INDUZINDO O DESENVOLVIMENTO DESTES CONCEITOS E COMPROVANDO QUE A QUÍMICA ESTÁ AO NOSSO REDOR, BASTA OBSERVAR OS FENÔMENOS COM UM OLHAR CRÍTICO DE UM QUÍMICO.
É CADA VEZ MAIS URGENTE DESENVOLVER OS CONCEITOS DE FORMA PRÁTICA, PARA QUE ASSIM MOSTREMOS AOS EDUCANDOS QUE É PRAZEROSO APRENDER E OS CONHECIMENTOS TRABALHADOS EM SALA DE AULA TAMBÉM OCORREM EM ATIVIDADES DO NOSSO DIA-A-DIA.

Nerisvaldo Valdivino disse...

A atividade de geometria é bastante interessante, mas acho que precisa de mais clareza, pois é fundamental para melhor aprofundamento do assunto no item estudado.

Adriano Barboza de Souza disse...

GEOMETRIA DA CIDADE

Passeando na cidade observa-se que a geometria está em todo lugar, com isto podemos explorar e classificar a fígura plana e a fígura espacial e os corpos redondos. O aluno vivenciando um passeio real ou virtual ele irá assimilar melhor os conceitos das geometrias.

cleone medeiros disse...

O objeto 0 milagre da vida: Sexualidade humana tem como finalidade inovar as aulas através das atividades digitais proposta pelo programa. as ilustrações são interessantíssimas, tenho certeza que será um valioso material de apoio para os alunos do ensino médio.

Maria de Fátima O. Silva disse...

Estou entusiasmada com esse projeto, pois através desses recursos visuais,o educando tem a oportunidade de melhorar sua aprendizagem com maior interesse e se inserir no mundo tecnológico.
O estudo sobre geometria espacial foi muito importante comparar as figuras geométricas com o meio onde vivemos.
Além de proporcionar ao educando um melhor aprendizado sobre faces, vértices e arestas. E também as diferenças entre objetos regulares, objetos irregulares e figuras arredondadas.

Leonardo França de Moraes disse...

Após a observação e manipulação dos objetos de aprendizagem das disciplinas: biologia (O Milagre da vida: Sexualidade Humana); física (Conservação da Quantidade de Movimento I); química (Em casa e na farmácia); e matemática (Geometria da cidade) achei bastante interessante, pois saímos daquela aula tradicional e passando a envolver de forma mais motivadora o aluno, onde este, antes de receber as informações dos assuntos passados pelo professor, é desafiado a entendê-lo bem antes do professor explicar o mesmo. Especificamente, em relação ao OA da disciplina de física - Conservação da Quantidade de Movimento I, este procura enfatizar a idéia de conservação da quantidade de movimento, mostrando que ela depende das massas e das velocidades dos corpos envolvidos. O Guia do Professor, diz que neste OA, os alunos irão analisar qualitativamente situações de colisões e empurrões entre patinadores: ora com massas e velocidades iguais; ora com massas e velocidades diferentes; ora com massas iguais e velocidades diferentes; e com massas diferentes e velocidades iguais. Estas relações(simulações) são feitas através da velocidade e através da quantidade de movimento. No referido OA foi colocado, também, situações do cotidiano para os alunos solucionarem. Concluo dizendo que uma das coisas que observei neste OA é que o autor não teve aquela preocupação em usar de imediato fórmulas matemáticas para a exposição desse conteúdo.

marcelo de sales farias disse...

Diante da leitura e observações feitas, referente a quimica:Em casa e na farmácia. Os objetos de apendizagem analizados é de fundamental importância na construção da aprendizagem; porque atualmente os alunos são sacinados por aulas informatizadas, deixando um pouco de lado aquela aula tradicional. Na ATIVIDADE 1- CADA CASO É UM CASO. O docente pode utilizar os rótulos de diversos produtos, discutir em grupo e comparar os nutrientes presentes em cada alimento, verificando o mais saudável em sua dieta. ATIVIDADE 2- NO TEMPO CERTO. o discente tem que compreender a origem, a função, a importância, a composição dos medicamentos e o valor comercial, e o não uso destes. ATIVIDADE 3-SOLUÇÕES. O professor pode levar para sala de aula algumas substâncias muito utilizadas pelos alunos e construir várias soluções juntos, e calcular as concentrações de cada uma, podendo também trabalhar outros cálculos estequiométricos. É também interessante por parte do docente que realmente se aplique esses conhecimentos na sua escola. Vale apenas salientar que muitas não possuem laboratório de informática.

vanuza gonçalves de sousa disse...

O texto estudadodo autor Walter Spinelli explicita de forma simples a importância do uso do recurso tecnológico na escola como instrumento facilitador da aprendizagem, o seu bom uso permite a ampliação dos conhecimentos dos educandos. O autor ainda ressalta que o acesso a a informação não significa a apropriação de conhecimento, necessário se faz sistematizar as informações para que os conceitos sejam compreendidos, para isso deve - se levar em consideração os conhecimentos prévios dos alunos, oferecer dados que amplie, e enriqueça essas informações.

O objeto virtual não é o único meio para obtenção da aprendizagem, mas um dos veículos que auxilia na aprendizagem, capaz de promover uma aprendizagem eficaz, desde que as metas a serem alcançadas sejam bem definidas e planejadas.

Charles Clayton Galvão Soares disse...

A atividade Geometria das Cidades é muito interessante, porém precisamos fazer uma análise mais criteriosa, para podermos repassar aos nossos alunos,mas com certeza as aulas ficarão bastante atrativas e produtivas, pois os alunos terão um contato visual com as figuras espaciais e assim reforçando o que foi trabalhado em sala de aula.

Janaina Carla Cunha de Lima Silva e Kívia Kécia Barbosa de Queiroz disse...

Janaina Carla Cunha de Lima Silva e Kívia Kécia Barbosa de Queiroz.

Sobre o objeto de aprendizagem o milagre da via - sexualidade, poderíamos relacionar as seguintes atividades:
- Atividade 1: Solicitaríamos aos alunos que acrescentassem outras figuras no caderno virtual que também se relacionam com a sexualidade e classifiquem-se nas categorias citadas no objeto virtual. Produzir um pequeno texto utilizando as músicas "como nascem as crianças" e "Sexo" com o tema sexualidade.
- Atividade 2: Realizar uma discursão sobre os preconceitos existentes em relação a esteriótipos como: gays, lésbicas, metrosexuais e etc.
- atividade 3: Os alunos podem realizar uma pesquisa e sugerir outros métodos anticoncepcionais demonstrando sua utilização e eficácia.
- Atividade 4: Simular um calendário com diferentes ciclos mestruais, identificando todos os períodos da mesma maneira do objeto de aprendizagem.

Laércio Soares de Araújo Filho disse...

No texto Spinelli agente ler o que sente na escola.O aluno chega cheio de conhecimentos mas,não raro,não consegue assimilar toda essa gama de dados.É aí que nós professores temos que atinar para o quanto precisamos no mínimo saber o básico do que a tecnologia pode nos proporcinar e assim juntar o nosso conhecimento acadêmico com os dados tecnológicos trazidos por eles.

Carlos Antonio Viana do Nascimento e Nerisvaldo Valdivino disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – Macau - Matemática
Nerisvaldo Valdivino – Tibau do Sul – Matemática.

Simulação de uma atividade conforme o objeto de aprendizagem “ Geometria da Cidade”.

Construir uma maquete do bairro onde mora, usando material de sucata como: caixinhas de remédio, de creme dental, de diversos formatos, palitos de picolé, de fósforo, pedras, e outros. Utilizar também cartolinas, cola, tinta e outros.
O principal objetivo é fazer com que o aluno pratique sobre o que foi entendido do objeto de aprendizagem “Geometria na cidade” e a partir daí, ser explorado nomes específicos, área, volumes e outros conceitos que se fizer necessário ao entendimento geométrico. podendo também ser trabalhado a idéia de orientações, à direita, à esquerda...

Laércio Soares de Araújo Filho disse...

O Objeto de Aprendizagem "O M ilagre da vida:Sexualidade Humana" de forma lúdica cria várias possibilidades de uso na sala de aula.A forma como é tratada deixa,acredito, os mais tímidos à vontade,facilitando,assim,a inclusão com os demais da turma e conseqüntemente uma melhora no geral.Quanto mais amigos maiores as possibilidades.As atividades vão além do sexo que eles tazem na cabeça.Vai mostra que existe sentimento bons e ruins dependendo tudo que eles interpretamdesmitifica mitos,derruba preconceitos,quebra velhos tabus acelera a conciência consigo e com os outros.Nós professores também temos que quebrar velhos pensamentos...Se não...

Silvia Groto disse...

Silvia Groto - Biologia - Tibau do Sul Considerando que minha escola ainda não tem laboratório de informática, resolvi adaptar uma das atividades para ser realizada em sala de aula: Anatomia e Fisiologia Humana faz parte do conteúdo do 2o ano do ensino médio, e uma aula muito interessante relacionado ao tema seria as diferenças entre o sistema anato-fisiológico mascSulino e feminino. Geralmente essas diferenças são vistas apenas do ponto de vista anato-fisiológico e não do ponto de vista psicológico-social. Como na atividade 2, seriam distribuídas revistas com assuntos diferentes como Super interessante, playboy, Claudia, Capricho, Placar, Vogue. Cada aluno escolheria as revistas que mais lhe atraísse á partir da análise das reportagens que cada uma contenha. Após essa análise provavelmente seria possível observar que aqueles assuntos ditos apenas masculinos ( como placar, plaboy) interessam também ao público feminino e que revistas tipicamente femininas também são procuradas pelo público masculino, que o interesse pelo sexo não é apenas do sexo masculino, as mulheres também tem curiosidades sobre esse tema e assuntos como moda também fazem parte do universo masculino, principalmente nos dias de hoje onde "os homens se cuidam cada vez mais" . A partir dessas diferenciações poderíamos discutir temas como a escolha de profissões, opções sexuais e preconceitos.

Considerando minha escola como possuindo laboratório de informática, inicialmente seria dada uma aula teórica a respeito das diferencas anato-fisiológicas entre homens e mulheres, posteriormente iríamos ao laboratório de informática onde os alunos fariam a atividade número 2, após a atividade seria feito um debate sobre os resultados da atividade dando ênfase a questão do preconceito sexual.
(aluna das 3as feiras cursando as 4as feiras)

Maria da Conceição/Amauri disse...

eSIMULAÇÃO DE ATIVIDADE COM OS OBJETOS DE APRENDIZAGENS

TEMA:QUÍMICA NO DIA-A-DIA
OBJETIVO:RELACIONAR OS CONCEITOS QUÍMICOS EM SALA DE AULA COM DETERMINADOS MEDICAMENTOS, PRODUTOS DE LIMPEZA E HIGIENE USADOS NO DIA-A-DIA EM SUA CASA.
1. MOMENTO: COLETAR EMBALAGENS DE PRODUTOS E BULAS DE MEDICAMENTOS;
2. MOMENTO:IDENTIFICAR NESTAS EMBALAGENS A QUÍMICA EXISTENTE EM CADA PRODUTO, A POSOLOGIA E O MODO DE USAR;(EX.ÁCIDO CLORÍDICO, ÁGUA DESTILADA, ETC.)
3. MOMENTO: PESQUISAR EM LIVROS,E INTERNET OS CONCEITOS, FÓRMULAS QUÍMICAS, ELEMENTOS QUÍMICOS, ETC.
4. MOMENTO: SOCIALIZAÇÃO DE TODOS OS DADOS COLETADOS PELOS ALUNOS, CULMINANDO COM UM SEMINÁRIO EM SALA DE AULA;
5. MOMENTO E ÚLTIMO: COM TODOS OS CONCEITOS OBTIDOS, OS ALUNOS IRÃO UTILIZAR O OBJETO VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: QUÍMICA - EM CASA E NA FARMÁCIA, PARA SIMULAR A POSOLOGIA DE MEDICAMENTOS E MODO ADEQUADO DE UTILIZAR OS PRODUTOS DE LIMPEZA E HIGIENE NA CONCENTRAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO ADEQUADA.

Francisco Assis Muniz/Fatima Oliveira Silva/Paulo F.Costa e Nazareno Igino disse...

Aula - Sólidos Geométricos

Objetivos – Levar o aluno a conhecer as formas de sólidos geométricos, verificando em sua cidade/comunidade as diferentes formas apresentadas em sala de aula.

Metodologia – Através de construção e planificação dos sólidos geométricos apresentados em sala, com material concreto encontrado em sua própria comunidade. Utilizando para isso a visualização das animações apresentadas no módulo “Geometria da Cidade”.

Explicação - Em sala de aula cabe ao professor mostrar os diferentes elementos e tipos de sólidos geométricos como: (Vértice, arestas, face, poliedros regulares, poliedros irregulares e sólidos redondos).
Esse estudo possibilita levar o aluno à aprendizagem do cálculo de área e volume, fazendo a comparação entre os mesmos.

Maria Edilza,Cleone Medeiros e Lenoir de Oliveira disse...

Levar o aluno ao laboratório de informática para conhecer e analisar o objeto de aprendizagem o milagre da vida: Sexualidade humana.Para ampliar seus conhecimentos sobre os métodos anticoncepcionais como: camisinha feminina e masculina, laquiadura, vasectomia, diafrágma, DIU e tabela.Após a visita ao laboratório será produzidos planfetos informativos sobre os métodos estudados anteriormente.

VANUZA GONÇALVES DE SOUSA disse...

O objeto de aprendizagem de Química, Em casa e na farmácia, tem um bom conteúdo a ser explorado pelos alunos, pois além de ter informações importantes, possibilita-os realizarem experimentos com materiais utilizados em seu cotidiano. O professor desse modo poderá ampliar consideravelmente o nível de entendimento dos alunos uma vez que terá diferentes maneiras de abordar o tema estudado, promovendo assim uma aula que despertará o interesse e a curiosidade dos educandos.

HELAINE (TOUROS) E VANUZA (PENDÊNCIAS) disse...

Simulação de Aula sobre o objeto de aprendizagem: Química em casa e na farmácia

Mediante a análise do tema abordado e discussão em sala de aula sobre o assunto, levar os educandos a sala de informática e direcionar as seguintes atividades:

Em grupos, no computador desenvolva usando o site da ANVISA:
- Pesquisar o nome de alguns medicamentos de Marca e seus respectivos genéricos, observando as vantagens da substituição (apresentação e valor).

- Investigar qual a função terapêutica dos medicamentos analisados na questão anterior.

- Pesquisar quais as desvantagens de se utilizar os medicamentos similares.

Ainda no site, busque na opção CIDADÃO, a Cartilha de Genéricos e vá a Perguntas Frequentes. Faça leitura e análise destas perguntas e suas respostas e, descreva os aspectos terapêuticos e econômicos do uso destes medicamentos.
Ou ainda, dividindo a turma em grupos, oriente-os que analisem três questões por equipe e ao final realizam uma socialização destas informações.

Poderá ainda ocorrer como culminância, a realização de um Júri simulado em que as equipes decidam sobre o uso e eficácia do medicamento de referência e o Genérico.

Relacionado a Proporções entre a concentração das substâncias, desenvolver od conceitos de solução, soluto e solvente, concentração, a Lei de Proust e a análise dos produtos de limpeza que utilizamos em nossa casa, avaliando seu poder ativo e econômico, e analisando os cuidados a serem observados no caso de seu uso e me eventual ingestão, inserindo por consequência os conceitos de ácidos, bases, óxidos, entre outros.

Anne Eveline, Keila Rosânia e Marcelo. disse...

Depois de trabalharmos no laboratório virtual com o assunto de solúções com o exempolo da Água sanitária (NaOCl)+ água: Poderíamos passar para o laboratório e mostrar a função de cada componente e a reação.Bem como o princípio ativo da água sanitária que é o hipoclorito de sódio tão usado no dia a dia.

Adriano; Francisco de Assis e Maria das Graças disse...

A partir da geometria da cidade os alunos irão construir uma maquete de seu bairro associando o conhecimento adquirido no laboratório de informática. Com isto será explorado novos conceitos e propriedades de fíguras semelhantes, proporcionalidade, planificações, perímetros, áreas e volumes das fígura geométricas.

Francisco Assis Muniz disse...

Seria de suma importância se toda tecnologia aqui apresentada chegasse o mais breve possível as nossas escolas. Quanto ao material apresentado em nosso encontro de hoje (23/07) “Geometria das Cidades” é de grande importância e de fácil assimilarão pelo aluno do conteúdo apresentado, possibilitando ao mesmo tomar conhecimento dos elementos geométricos que os circunda.
Tentarei dentro do possível ainda este ano aplicar em sala de aula quando formos estudar sólidos geométricos (Geometria Espacial 3º Ano do Ensino Médio).
Este estudo seria realizado com a construção dos principais sólidos geométricos e sua planificação utilizando as animações apresentadas durante o curso.

ERIKA TELLES BARBOSA disse...

As orientações contidas no guia do professor, são de suma importância para orientar o educador na elaboração das suas aulas(projetos), que deverão enfatizar não só aspectos quantitativos como qualitativos do conteúdo trabalhado, procurando facilitar a compreensão do educando de forma interativa, dinâmica...
Quanto ao objeto de aprendizagem: Origem dos Movimentos: Conservação da Quantidade de Movimento I é muito interessante, pois as simulações retratam situações cotidianas vivenciadas por todos(docente e discente) que muitas vezes passam desapercebidas por ambos no processo de ensino aprendizagem, tornando as aulas desprovidas de significados cognitivos. Portanto, cabe principalmente ao professor rever a sua prática, reelaborando suas aulas, partindo da análise(simulações) claras evidenciando a importância da massa e da velocidade para conservação do movimento de um corpo, como também relacioná-lo ao seu contexto histórico.

Aline e Laércio disse...

“O milagre da Vida: sexualidade Humana”

Simulação de aula

A turma será dividida em 06 grupos, os mesmos receberam textos evidenciando situações de riscos vivenciadas pelo adolescente no seu dia-a dia. Tais como:
• Planejamento familiar;
• Doenças sexualmente transmissíveis;
• A primeira vez;
• Responsabilidade da mulher;
• Gravidez na adolescência.

Esses textos serão analisados e discutidos pelos alunos no grande grupo. Após as conclusões obtidas, os mesmos iram utilizar o objeto de aprendizagem “Sexo ou não”, onde eles iram conhecer os principais métodos contraceptivos. Ao final utilizando-se das informações colhidas com objeto de aprendizagem e outras fontes (revistas e livros) , os alunos iram construir uma tabela evidenciando os métodos, suas vantagens e desvantagens.

Gilssimar Costa Oliveira e zelia izabel fonseca disse...

Simulando a aplicação do objeto da aprendizagem referente a quantidade de movimento I, levando-se em consideração que nossas escolas possuem o laboratório de informática. Etapas do trabalho:
- A princípio faríamos um levantamento prévio dos conhecimento dos alunos referente as conceitos físicos envolvidos através de questionamentos.(na sala de aula)
- Em seguida faria um roteiro levando ao aluno um direcionamento das principais questões a serem analisadas, inclusive com observações dentro do objeto de aprendizagem.(na sala de aula)
- Na sala de informática o aluno faria uso do objeto em questão analisando e executando todas as simulações.
- De volta a sala de aula promoveria um debate onde os alunos apresentariam suas conclusões baseadas em suas observações do objeto de estudo. Neste momento, nós professores esclarecíamos as dúvidas e reforçaríamos os conceitos e leis físicas presentes no tema abordado.
- Para conclusão desta atividade relacionava vários exercícios para aplicação da expressão matemática da quantidade de movimento, fazendo a resolução deste.

Charles, Sorley e Verônica disse...

Atividade envolvendo Geometria Espacial
Usando OA – Geometria na Cidade

1º momento: Professor dará uma aula inicial mostrando a diferença entre figura plana e sólido geométrico.
Dividir a turma em grupos de quatro com a tarefa de cada grupo trazer na aula seguinte objetos que representem sólidos geométricos.

2º momento: Os grupos receberam uma folha com duas colunas (antes / depois) onde farão uma análise dos objetos que trouxeram, relatando as particularidades de cada um na coluna (antes) e entregarão ao professor devidamente identificada com o nome do grupo.

3º momento: O professor entregará um questionário com perguntas que deverão ser respondidas durante ou depois de manusear o OA que deverá ser entregue.

4º momento: O professor entregará a folha antes/depois de cada grupo e estes farão na coluna (depois) sua observações com relação aos objetos analisados no (antes).

O objetivo é que eles percebam a diferença nas nomenclaturas usadas e conceitos.

Sorley Audrey Dantas de Melo disse...

Analise do texto:
REPENSANDO A AVALIAÇÃO de César Nunes
Pelo prof° Sorley Audrey da E. E. Olímpia Teixeira - São Miguel do Gostoso/RN

Segundo o César Nunes, o processo de repensar a avaliação deverias ser indissociável do processo de repensar a educação; que o primeiro e tão importante quanto o segundo, e que atualmente aceitamos (apesar da sensação de impotência diante da realidade) o fato de nosso sistema avaliativo tem interpretado e avaliado dados mais quantitativos do que qualitativos por não haver ferramentas que nos auxiliem quanto professores e que percebemos assim como o autor a ineficiência de tais instrumentos avaliativos.
Hoje temos muito ouvido sobre a aprendizagem baseada em resolução e interpretação de problemas fechados, porem o autor sugere que sejam usados problemas “abertos” que permitem aos alunos diferentes interpretações e soluções; são os que mais se aproxima do mundo real onde um passo na direção errada da resolução de um problema gera uma situação mais complicada ou converge a simplificar a resolução se ele for na direção certa.
O uso da tecnologia nesse processo poderia até ser a saída para algumas inquietudes com relação a falta de ferramentas avaliativas, porem segundo o autor o acesso a tais ferramentas ainda é restrito pelo alto custo e a demora em sua criação. O que mais me chamou atenção durante o estudo do texto foi a percepção de que nós professores, também, precisamos desenvolver a nossa metacognição para pensar de maneira produtiva e satisfatória as nossas ferramentas avaliativas, precisamos entender e aceitar a idéia de que as avaliações que fazemos cobrando apenas memorização de conteúdos e procedimentos, fala para os nossos alunos que os outros objetivos da aprendizagem estão em segundo plano ou foram descartados, quando nós sabemos que não é bem assim, e que o problema está na falta de critérios justos e objetivos e ferramentas adequadas para o uso dentro do pouco tempo que dispomos.
Precisamos superar essas dificuldades tendo clareza dos objetivos de aprendizagem de nossas disciplinas e aceitar a idéia de que não pode ser uma só atividade ou um só tipo de atividade que permitirão desenvolver e avaliar esses objetivos, cada atividade desenvolverá um conjunto dessas qualidades e mais, cada aluno atingira um nível diferente quanto a essas qualidades. Um exemplo de instrumento que tem auxiliado nesse processo são as rubricas instrucionais com quatro níveis (ANDRADE, 2003) e as ferramenta para a criação dessas rubricas como a Rubric Machine (THINKINGGEAR, 2004). O interessante nas rubricas é que elas não so avaliam a criação de alguns produtos (um ensaio, uma peça teatral, um objeto físico, um software, etc...) mas também avaliam o processo. Por fim, o autor também ressalva a capacidade do trabalho colaborativo como uma qualidade muito falada mais pouco avaliada e da idéias de suporta-los com tecnologia para usa-los como um excelente instrumento de avaliação.

Danielly Ferreira Torres disse...

O texto “Repensando a avaliação” de César Nunes, faz vários questionamentos sobre o objetivo do ensino, da necessidade de repensar as avaliações, etapas e métodos a serem desenvolvidos para otimizar o processo de aprendizagem.
Com base na reflexão desenvolvida a partir desse texto, acredito que o objetivo de qualquer disciplina deve ser permitir a relação com a realidade local e de amplitudes maiores, possibilitar uma visão holística dos temas propostos e promover a formação cidadã dos alunos.
Os objetivos de aprendizagem em Biologia são bastante amplos, pois permite o conhecimento do próprio corpo e suas necessidades; apresenta as características dos outros seres vivos, as relações intra e interespecífica e com o ambiente; a importância do equilíbrio ambiental para a sobrevivência da vida no planeta. Além desses aspectos disciplinares, contribui para a formação cidadã, uma vez que desmistifica questões de ordem histórica, social e de saúde, como por exemplo, superioridades raciais, justificar o desenvolvimento de certas doenças ou anomalias como castigos divinos... Como ciência, também deve formar os alunos com base crítica para questionar e opinar sobre as decisões éticas que cercam as atividades de pesquisa.
A diferença de compreensão ente os alunos, no caso especial do turno noturno, está atrelada ao fato de trabalharem (chegam à sala de aula bastante cansados), ao acesso a outras fontes de informações fora do ambiente escolar, a dificuldade de abstração (necessário em alguns conteúdos) decorrente da formação no ensino fundamental, recursos didáticos (principalmente visuais) escassos. Acredito que essa última dificuldade poderá ser sanada ou amenizada com a utilização dos objetos de aprendizagem, como sugere César Nunes, recursos tecnológicos podem ser um facilitador de aprendizagem, além de contribuir para possibilidades de avaliações mais qualitativas.

Carlos Antonio Viana do Nascimento disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – Macau – Matemática


“Uns fazem que ensinam, e outros, fazem que aprendem” (Antunes).

Essa é a verdadeira realidade, infelizmente. Eu vejo que a educação é um ramo de segmento social onde tudo é feito de formas arbitrárias, sem nexos, afinal de contas é educação. Vejamos: O uso de tecnologias no mundo e nosso país por diversos setores acontecem há muito tempo, hoje é que está chegando à educação e num ritmo muito lento que faz até medo. Como exemplo temos a China, tudo que vai ao mercado de trabalho tem que ser trabalho primeiramente na escola, para que seja valorizado estudar, e não só ir ao colégio. Esta é uma avaliação de minha parte de como funcionam as coisas na educação.
Avaliar, ainda não tem conceitos fechados, próprios. Algum colega sabe conceituar o que é avaliação?
Hora! Temos já mais de quinhentos anos de nascimento e muitas coisas ainda são absurdas, principalmente na educação.
O governo dá uma educação de má qualidade e quer cobrar uma educação de qualidade. Ex.: Começa pela prova Brasil, ENEM, OLIMPÍADAS, VESTIBULARES, CONCURSOS,... Como você avalia isso?
A Secretaria de Educação propõe um treinamento para professores da rede estadual de ensino, onde boa parte de algumas escolas não tem se quer um computador. Como você avalia isso?
Sim, vamos repensar a avaliação! Realmente tem que ser repensado presenciamos muitos absurdos ainda, do tipo “5 pontos para quem me mostrar o caderno organizado para eu dar o visto”. Veja só, 5 é 50% da nota máxima do bimestre. Isso é um absurdo! Mas...

Carlos Antonio Viana do Nascimento disse...

Carlos Antonio Viana do Nascimento – Macau – Matemática


“Uns fazem que ensinam, e outros, fazem que aprendem” (Antunes).

Essa é a verdadeira realidade, infelizmente. Eu vejo que a educação é um ramo de segmento social onde tudo é feito de formas arbitrárias, sem nexos, afinal de contas é educação. Vejamos: O uso de tecnologias no mundo e nosso país por diversos setores acontecem há muito tempo, hoje é que está chegando à educação e num ritmo muito lento que faz até medo. Como exemplo temos a China, tudo que vai ao mercado de trabalho tem que ser trabalho primeiramente na escola, para que seja valorizado estudar, e não só ir ao colégio. Esta é uma avaliação de minha parte de como funcionam as coisas na educação.
Avaliar, ainda não tem conceitos fechados, próprios. Algum colega sabe conceituar o que é avaliação?
Hora! Temos já mais de quinhentos anos de nascimento e muitas coisas ainda são absurdas, principalmente na educação.
O governo dá uma educação de má qualidade e quer cobrar uma educação de qualidade. Ex.: Começa pela prova Brasil, ENEM, OLIMPÍADAS, VESTIBULARES, CONCURSOS,... Como você avalia isso?
A Secretaria de Educação propõe um treinamento para professores da rede estadual de ensino, onde boa parte de algumas escolas não tem se quer um computador. Como você avalia isso?
Sim, vamos repensar a avaliação! Realmente tem que ser repensado presenciamos muitos absurdos ainda, do tipo “5 pontos para quem me mostrar o caderno organizado para eu dar o visto”. Veja só, 5 é 50% da nota máxima do bimestre. Isso é um absurdo! Mas...

LENOIR DE OLIVEIRA FELIPE disse...

Comentário do texto de Walter Spinelli - O texto fala sobre as informações que os nossos alunos adquirem no seu dia a dia.Esses conhecimentos são repassados através dos meios de comunicação como: televisão, jornais, revistas, rádio, internet, etc. O acesso a essas informações não garante uma base sólida do conhecimento,pois muito conhecimento sem um planejamento torna-se inválido. Se faz necessário buscar dados, gerar informações e criar conhecimentos numa direção anteriormente determinada, é preciso projetar. Pensar sobre a possibilidade de integrar conteúdos e significados remete à idéia de que a construção de determinado conceito ocorre na medida em que se amplia a compreensão de seus significados. É possível visualizar uma maneira de mobilizar a maior gama possível de estratégias mentais, de ascender na pirâmide informacional para atingir seu cume, buscando assim uma nova situação de aprendizagem que, reconhecendo por um lado a limitação do computador sob o ponto de vista cognitivo, transfira para o aluno -usuário- a tarefa de imaginar, criar e, em essência, construir saberes.

LENOIR DE OLIVEIRA FELIPE disse...

Os conteúdos contido no projeto RIVED oferece ao professor recursos didáticos para melhorar a aprendizagem dos alunos em sala de aula. Os guias, além de fornecer dicas decomo usar as atividades do módulo, também são criados como fonte de enriquecimento do mesmo, vale salientar que você tem que adequar os conteúdos a realidade do seu educando. O guia do professor servirá de subsídio para o planejamento do professor.

Francisco Assis Muniz disse...

Francisco de Assis Muniz

Repensando a Avaliação

Quando se fala em avaliação muitas vezes pensasse em nota como se o saber pudesse ser medido por um único número.Várias são as reuniões entre educadores para tratar do assunto e muitas vezes os resultados desses estudos chegam aos professores através de uma cartilha como métodos e regras de com avaliar seus alunos, sendo que ele que se encontra na sala de aula no dia-a-dia com os mesmo quem teria a melhor condição de estabelecer estas regras.
O texto de César Nunes faz um passeio pelas diversas modalidades de avaliação, fazendo referência a vários educadores, mas sem estabelecer a maneira ou método mais adequado para melhor aferir o educando.Ele sita o ENEM e PISA como método inteligente, eu já discordo, pois acho as provas do ENEM longas e cansativas e que fogem em muito a realidade dos alunos das escolas públicas, visto os resultados.
Analisando o texto sou favorável a uma avaliação continua, onde o professor acompanhe o aluno desde que ele entre na sala de aula até seu desenvolvimento escolar, porque não dizer social também, mas para isso não podemos ter salas com sessenta alunos, pois além de não ser possível ter um acompanhamento do aluno não se pode transmitir qualquer tipo de ensinamento com aproveitamento. A inclusão digital (quando for acessível a todas as escolas) facilitara muito o acompanhamento do aluno pelo professor e talvez teremos uma avaliação mais criteriosa e justa. Alguns colegas usam a avaliação com método de coação para intimidar os alunos, fugindo completamente ao principio básico de liberdade.
Muito ainda ouviremos falar sobre métodos e maneiras mirabolantes de avaliação, mas a maneira correta no meu pensar e dar liberdade e condição ao professor de acompanhar seu aluno através de uma ficha individual e em grupo, podendo assim melhor prepará-lo intelectualmente para torná-lo um cidadão enquadrado dentro da sociedade.
No final do texto o professor César Nunes é muito feliz na sua conclusão, onde mostra que sem ambiente colaborativo não será possível chegar a uma avaliação satisfatória, onde as idéias, as coletas de dados, a elaboração de hipótese e construção de teorias e de fundamental importância para realizarmos um trabalho avaliativo criterioso.

nasareno igino da silva disse...

Nasareno Igino da Silva

REPENSANDO A AVALIAÇAO

É valida e pertinente a preocupação de todos nós e de todas as pessoas que lidam com o meio educacional, na situação que se encontra atualmente a educação publica é evidente que algo tem que ser feito urgentemente e reconheço perfeitamente, que este tipo de estudo que estamos realizando, vem de encontro a esta realidade, mas também é importante que nos preocupemos não apenas com a avaliação, mas principalmente com a qualidade de do ensino para que possamos estar capacitando melhor os nossos educando, porque não basta apenas, buscarmos métodos diferentes e mais eficazes de avaliar, mais principalmente mostrar aos nossos alunos a necessidade e a importância deles darem também um pouco de si, no sentido de estarem mais preocupados atentos ao momento em que estão na sala de aula, pois entendo que eles são os atores principais desta novela de personagens reais, só com esta busca constante esta preocupação de cada um é que se vai chegar ao ponto comum na pratica do ensino aprendizagem.
Então, apartir de todo este contexto, podemos sim repensar em métodos mais eficazes para avaliar nossos alunos, assim como cita CESAR NUNES, o processo de repensar a educação deveria sem duvida ser dissociado do processo de repensar a avaliação, porque sem duvida são duas coisas diferentes, dentro deste processo tão complexo que se encontra educação, texto fala de varias tentativas mudanças na questão da avaliação e que nenhum deste n meu modo de entender, não surtiu o efeito desejado ate em algumas situações só contribuiu para fracassar ainda mais um processo educacional já, bastante defasado e caótico, o autor fala do plano decenal lançado e multo discutido em anos anteriores inclusive com seus PCNs, que os parâmetros curriculares nacionais lançados naquela época, como salvação da educação nacional e foi um verdadeiro fracasso e só piorou infelizmente o processo educacional.

Silvia Groto disse...

Repensando a avaliação

Tenho consciência de que devemos realizar uma avaliação qualitativa da aprendizagem (até porque é o que é recomendado pelos PCNs). No entanto eu e a maioria dos educadores ainda realizamos, na maioria dsas vezes, a tradicional avaliação quantitativa. Devemos efetivamente refletir sobre essa questão e encontrar maneiras de abandonar os métodos avaliativos tradicionais pois não refletem a capacidade de aprendizagem dos alunos.
O texto enfatiza o uso da tecnologia como um dos meios para se chegar a essa avaliação qualitativa, acho que realmente a tecnologia pode ser uma ferramenta para nos auxiliar, porém devemos tomar cuidado para não tornar a avaliação um processo impessoal, devemos utilizar a tecnologia a nosso favor mas não podemos achar que ela resolverá todos os nossos problemas, principalmente porque grande parte dos educadores desse país nunca sequer sentou à frente de um computador.

Silvia Groto- (aluna das 3a feiras frequentando nas 4a feiras)

Leonardo França de Moraes disse...

Comentários sobre o texto:
Repensando a Avaliação de César Nunes.

O texto é bastante interessante e oportuno, pois faz uma reflexão em relação ao processo de avaliação dentro da educação. Segundo o texto: “A sobrevalorização de testes e exames de larga escala com seus objetivos testes de conteúdo tem impedido uma maior disseminação de práticas educacionais que trabalhem valores, competências e habilidades”. Pelo que vemos, ainda existe, e vai perdurar por muito tempo, uma atenção muito grande a testes e exames de conteúdos, e pouca ênfase a valores, habilidades e competências. A falta de instrumentos que permitam interpretar e avaliar dados qualitativos, dificulta o uso desse processo avaliativo. Atualmente, essa forma de avaliar dá muita ênfase ao resultado e não ao processo - que é o mais importante na avaliação.
A avaliação da capacidade de resolver problemas pode ser adotada, para isso partimos de problemas abertos, onde estes têm enunciados definidos de modo “não rígido”, que permitem diferentes interpretações, permitindo, assim, diferentes soluções. Neste caso, estaríamos explorando formas de entendimentos diversas. Poderemos, ainda, utilizar a tecnologia para avaliar a capacidade de resolver problemas, tais como: “problemas dinâmicos”- problemas que vão se abrindo, tornando-se mais complexos, ou ao contrário, convergindo e simplificando-se conforme os passos que o aluno dá; “desenho centrado em evidências” - nessa abordagem criam-se “modelos de alunos” e as ações realizadas pelo usuário na resolução do problema no computador são analisadas pelo programa de avaliação como evidências do usuário corresponder mais a um ou outro “modelo de aluno”; “análise semântica latente” - nesse caso o programa “aprende” coletando e organizando informações de textos de referência, ou seja, sendo calibrado, e depois usando esses dados para analisar grandes quantidades de textos; “mapa conceitual” - alunos criam mapas conceituais partindo de um conjunto de conceitos e palavras de ligação disponíveis na tela do computador e depois, navegando numa “web restrita”, porém um grande número de páginas, fazem ligações dos conceitos do mapa com páginas que ilustrem ou expliquem os conceitos e sua posição no mapa conceitual. Como vemos, temos diferentes formas do uso da tecnologia no processo avaliativo.
A metacognição que é a conscientização do próprio aluno sobre o que sabe e o que não sabe, sobre como sabe, sobre como aplica o que sabe, sobre como otimiza o que sabe e sua aplicação. Para utilizá-la é importante que se faça durante as atividades a realizar, paradas estratégicas para a reflexão sobre a relação realizado/planejado, para a avaliação da qualidade de soluções e produtos gerados, para a auto-avaliação. Mais que isso, é necessário desenvolver um vocabulário (NUNES; DAVIS, 2001).
Na sala de aula os instrumentos avaliativos que utilizamos em nossas disciplinas são, geralmente, provas cobrando memorização de conteúdos. Com isso damos a entender, ao aluno, da pouca importância dos valores, habilidades e competências dentro do processo avaliativo. Daí a importância de se ter clareza dos objetivos de aprendizagem que temos em nossas disciplinas, definindo quais as qualidades que demonstram que esses objetivos foram atingidos total ou parcialmente.
A capacidade de trabalhar colaborativamente é outra qualidade muito falada mas pouco
avaliada. Uma das possibilidades é definir papéis sempre que um grupo for se reunir para desenvolver os trabalhos. O uso desse tipo de instrumento demonstra a preocupação e valorização da colaboração.
Em relação aos comentários acima devemos ter a convicção de que o processo avaliativo deve ser usado para a construção do conhecimento e não apenas para a obtenção de resultados, notas.

KÍVIA KECIA disse...

o texto de Cesar Nunes é muito interessante porque trata do processo de avaliação com base no desenvolvimento de habilidades e competencias e não somente como uma analise quantitativa, defende a ideia de que o aluno possa ser capaz de resolver problemas e mostra a importancia da tecnologia como recurso de parendizagem e avaliação.Acredito que todos nós professores nos preocupamos em alcançar os objetivos da disciplina que lecionamos etambém com os niveis de apredizagens dos nossos alunos, mas devido a falta de tempo muitas vezes tentamos iguala os nossos alunos ao mesmo nivel de aprendizagem avaliando-os quantitativamente sem levar em conta as competencias e habilidades que eles adquiriram durante o processo.

Renato disse...

REPENSANDO A AVALIAÇÃO

Realmente é bastante questionável a maneira comum de avalição de um conteúdo ministrado em sala de aula, e o que dizer para uma turma com mais de 40 alunos. São poucos os destaques dentro de uma sala de aula tão numerosa e pela enorme quantidade de conteúdos que eles tem que assimilar a cada dia. O próprio texto j´´a enfatiza que esse método de cobrar as decorebas já não supri mais para a exigência do conhecimento atual. É preciso desenvolver no aluno um senso crítico e fazê-lo repensar, criticar e aplicar os conhecimentos de uma forma mais pessoal, em seu dia-a-dia. Algumas vezes a situação se torna frustrante para o professor, que tem certeza que ensinou, e também para o aluno, que tem certeza que não aprendeu.

Maria Edilza de Oliveira Dantas disse...

Em comentário oa texto "repensando a avaliação" de César Antunes a utilização de novas tecnologias e ferramentas de ensino se faz necessário levando em consideração que alguns professores não tem preparo para,juntamente com o desenvolvimento de sua disciplina trabalhar estratégias de pensamento, transferência,etc. Dessa forma o computador pode ser um instrumento valioso.
O uso de situações problemas permite avaliar posturas de alunos e professores e também é importante ter clareza dos objetivos de aprendizagem que temos em nossas disciplinas. De acordo com o texto o instrumento de avaliação é importante porque avalia o aluno e também leva o educador a se auto avaliar e refletir sobre sua metodologia.

Paulo F. Costa disse...

Refletindo e analisando o texto: Os objetos virtuais de aprendizagem: ação, criação e conhecimento. É verdade que os alunos de hoje chegam à escola com muito mais informações que há anos atrás, mas o acesso a essas informações não significa a construção do conhecimento. O desafio segundo Machado (2002) que utiliza a imagem da pirâmide informacional para apresentar suas idéias sobre como compreender alguns termos que rodeiam atualmente as concepções do conhecimento. A meta principal tanto do professor como da instituição escolar é alcançar o patamar superior da pirâmide informacional estimulando os alunos na leitura e interpretação de dados como objetivo principal, convidando-os a analisar, organizar, relacionar e criticar esses dados, transformado-os em informações, compreender e relacionar essas informações para a construção do conhecimento. O aluno deve atingir o patamar elevado da pirâmide (a inteligência) através da capacidade de projetar os dados que estão La na base da pirâmide.
É preciso refletir e analisar os temas do cotidiano, possibilitando aos alunos a construção dos seus saberes próprios, onde os mesmos devem utilizar os objetos virtuais de aprendizagem para a concretização dos seus projetos individuais e coletivos, desenvolvendo e estimulando a capacidade pessoal de cada um.

Anne Eveline da Cruz Soares disse...

REPENANDO A AVALIAÇÃO : Cesar Nunes

Segundo o autor o processo de avaliação, embora possa parecer óbvio não aconteceu no primeiro instante.A sobrevalorização de teste e exames de larga escala com seus objetos e testes de conteúdo tem impedido uma maior disseminação de práticas educacionais que trabalhem valores.Que são: a capacidade de resolver prblemas, autonomia, pensamento crítico, etc.Concordo com o autor, mais não podemos ser quantitativos e sim qualitativos.
Para que possamos superar essa deficiência e ter clareza dos objetos de aprendizagem que podemos organizar em quatro dimensões.
Com isso proporcionamos aos alunos uma capacidade de se qualificar e não quantificar.
E a chegada de um instrumento de avaliação pela internet, podemos trazer o aluno para que ele possa elaborar seu próprio trabalho e assim ter a responsabilidade de levantar sua dúvida para que possamos entrar em discurssão.
E para que as atividades que propomos aos nossos alunos atinjam os melhores objetivos.E possamos utilizar as rubricas que funcionam como um instrumento de avaliação.

Verônica disse...

O texto “Repensando a avaliação” de César Nunes, nos faz refletir sobre o objetivo do ensino, da necessidade de repensar as avaliações, e o que pode ser feito para desenvolver e otimizar o processo de aprendizagem.
Fazendo uma reflexão desse texto, e de nossa realidade em sala de aula, percebemos como é difícil discutir métodos de avaliação. Dentro do tempo que dispõe, os professores têm muita dificuldade em avaliar de forma justa e objetiva, sem lançar mão das provas, cobrando memorização de conhecimento.
Na Educação, nossa vida acadêmica nos enche de sonhos e planos, mas quando partimos para a prática, percebemos que não é fácil. Avaliar continuamente um aluno, ou avaliar a qualidade do aprendizado do aluno é o ideal, mas quase impossível se mudanças não forem feitas na Educação. Temos que antes de tudo repensar a educação.
Qual é a nossa realidade na Escola:
- Turmas de cinqüenta e poucos alunos, onde muitas vezes o professor não consegue saber sequer o nome do aluno. Como avaliá-lo qualitativamente?.
- Currículos extensos, massacrantes.
- Alunos acostumados desde o início de sua vida escolar a estudar em véspera de prova, e quando deparam com professores que tentam mudar essa prática, rejeitam.
- Alunos, que em sua maioria, chegam ao Ensino Fundamental II e muitas vezes no Ensino Médio, com dificuldades de ler, escrever e fazer as quatro operações.
- Alunos que se preocupam na maioria das vezes em passar de ano, sem entender que passar de ano não é objetivo, é conseqüência de um aprendizado eficiente.
- Escolas sem estrutura, e quando se fala em laboratórios, seja de biologia, matemática, física ou química, é coisa de outro mundo. E laboratório de informática? Quando existe, são dez, doze computadores, com dez doze cadeiras para cinqüenta alunos, onde na maioria das vezes a internet não funciona.
- Professores que se desdobram em duas, três escolas, três turnos, e ainda assim, têm que arrumar tempo para planejar, organizar, ser criativo e se reciclar.
- Professores que fazem trabalhos e provas em grupo para diminuir o seu trabalho de correção, e quando se deparam com colegas professores de idéias novas e atitudes novas, fazem questão de rotulá-los.
- Pais que acham que a escola é depósito de alunos. Não acompanham o desenvolvimento de seus filhos e nem cobram deles atitudes em relação ao aprendizado.
- O Estado que se preocupa apenas com estatística.
Sem contar os modelos de vestibular que temos.
Vocês podem até dizer: “Temos que parar de reclamar e sermos agentes de transformação”. Só que uma andorinha só não faz verão, e políticas públicas eficientes tem que ser discutidas de forma concreta para mudar o modelo de nossa educação, por que se assim continuar, não adianta discutir avaliação.

Paulo F. Costa disse...

Nós professores, na sua maioria não utilizamos métodos de avaliação adequada em sala de aula, temos dificuldades de avaliar os alunos, usando critérios justos e objetivos na aprendizagem, não temos preparos suficiente para trabalhar estratégias de pensamento, transferências, generalizações junto aos alunos.É preciso verificar, refletir se os alunos atingiram seus objetivos com clareza, se esses objetivos foram atingidos total ou parcialmente. É necessario que nos professores dármos mais importância as diferentes nuances da aprendizagem, não fazendo apenas provas cobrando memorização do conteúdo. O professor deve definir quais são as qualidades que demonstram que esses objetivos foram atingidos total ou parcialmente, para isso deve desenvolver atividades com qualidades e que, cada aluno atinja um nível diferente quanto a essas qualidades.

ERIKA TELLES/ EDSON/LEONARDO disse...

Objeto virtual de aprendizagem - Conservação da Quantidade de Movimento/Física. Nesta atividade é importantíssima a necessidade do trabalho cooperativo, partindo de relatórios e análises de regularidades (frequência) de fenômenos naturais, observando os pré-requisitos, como noção de: grandeza escalar e vetorial, massa, força, velocidade, etc. Simulando situações reais a partir de roteiros com questionamentos para ajudar na compreensão do conteúdo em estudo, como: Qual é a minha massa? Qual a massa do meu colega? Em seguida, promover um debate com a turma onde cada irá expor seus relatórios, dúvidas e concluindo o professor iria reforçar e esclarecer dúvidas sobre conceitos relacionados ao conteúdo: A Conservação do Movimento. Concluiria com exercícios propostos, onde o aluno iria demonstrar a compreensão (entendimento) de tais fenômenos estudados.

Keila Rosania disse...

O texto Repensando a Avaliaçao nos faz refletir acerca do nosso preparo para desenvolver no aluno estratégias de pensamento, dentre elas um pensamento crítico e reflexivo que leve este aluno a ter uma visão mais ampla do conhecimento. É necessário portanto, que o professor tenha clareza nos objetivos de aprendizagem de sua disciplina,os quais deverão ser atingidos.
Um trecho bastante interessante do texto apresenta um exemplo de um grupo da Faculdade de Harvard que acredita ser a COMPREENSÂO, o objetivo maior do ensino.
No entanto, é importante observar o nível de compreensão do aluno ,a forma de avaliá-lo,para que ossamos alcançar de forma mais precisa,nossos objetivos.

José edson de Souza disse...

O texto traz uma reflexão sobre a forma com que o professor avalia o processo de ensino aprendizagem,mostra que é importante repensarmos tais avaliações pois com as movas diretrizes curriculares, devemos avaliar o processo e não o resultado.

Renato Dantas disse...

Desenvolvimento de matérias multimídia e seu uso no contexto educacional.
Autor: César Nunes

O texto em análise além de ser bastante rico nas suas conclusões também nos oferece uma outra variedade de recursos para enriquecer mais a nossa metodologia em sala de aula. Mas percebo que ao utilizarmos objetos visuais é importante que trabalhemos conteúdos observando os níveis dos alunos. Pois a metodologia educacional utilizando-se dos recursos de multimídia nos permite manter um projeto flexível, uma vez que passamos a avaliar o aluno de acordo com seu desenvolvimento no uso dos objetos. Por isso é importante que os alunos saibam como utilizar e desenvolver suas faculdades cognitivas para que sejam capazes de desenvolver estratégias corretas para a transformação do seu conhecimento e para aplicação no seu cotidiano. Sendo assim o desenvolvimento desses materiais de multimídia tem uma importância gigantesca para o aperfeiçoamento da educação e assim elevar em todos os níveis tanto do real ensino como do real aprendizado.

Aline Cristina disse...

Desenvolvimento de matérias multimídia e seu uso no contexto educacional.
Autor: César Nunes
Na busca da melhoria do modelo de ensino, a multimídia vem para melhorar a educação. A mesma consiste em uma ferramenta que proporciona uma aprendizagem significativa, já que estimula e libera o aluno a construir e ampliar o seu conhecimento. Entretanto, essa ferramenta deve ser adotada segundo as características sociais e culturais do público em questão. É sabido, que o alunado é o foco principal para o desenvolvimento da aprendizagem, entretanto, para que as tecnologias proporcionem uma aprendizagem motivadora e prazerosa os alunos e professores devem dispor de suporte para o uso e aplicação desses instrumentos.
As tecnologias desenvolvidas e aplicadas na forma de projeto buscam proporcionar a disponibilidade e a construção de conhecimento de forma globalizada e comum a todas as classes sociais. Os objetos de aprendizagem devem ser usados, segundo o objetivo que se visa obter de forma a maximizar a construção de habilidades necessárias para formação e atualização do conhecimento construído.

Aline Cristina disse...

"""O texto Repensando a avaliação de César Nunes, faz uma reflexão sobre a problemática do modelo de avaliação. Ele destaca que a avaliação deve ser feita baseado em dados qualitativos dando indicações sobre o desenvolvimento das habilidades de ordem mais alta, de modo a proporcionar uma aprendizagem mais eficiente para o aluno, bem como o acompanhamento do professor.
Nunes evidencia que o uso de tecnologias, como aula simulada, proporciona e estimula o aluno a construir as suas próprias hipótese e soluções mediante as situações problemas propostas. Essa associação entre situação problema e tecnologia ele chama de “Problemas dinâmicos”, estes por sua vez juntos vão abrindo e construindo a aprendizagem conforme os passos do aluno. """

Francisco de Assis Muniz disse...

Francisco de Assis Muniz

Desenvolvimento de materiais Multimidia

texto rico em informações ,trazendo bastante recursos e ensinado de maneira pratica como usar um laboratório de informática.os objetos virtuais sugeridos são de fácil assimilação pelo aluno tornando a maneira de ensinar mais prazerosa .Este texto deveria ser levado ao conhecimento de todos os professores do ensino medio ,independendo da disciplina que lecione, pois baseado no mesmo o desenvolvimento ensino/aprendizagem seria bem mais dinâmico.

Francisco de Assis Muniz disse...

Francisco de Assis Muniz

Desenvolvimento de materiais Multimidia

texto rico em informações ,trazendo bastante recursos e ensinado de maneira pratica como usar um laboratório de informática.os objetos virtuais sugeridos são de fácil assimilação pelo aluno tornando a maneira de ensinar mais prazerosa .Este texto deveria ser levado ao conhecimento de todos os professores do ensino medio ,independendo da disciplina que lecione, pois baseado no mesmo o desenvolvimento ensino/aprendizagem seria bem mais dinâmico.

Gilssimar e Fernando disse...

O texto ¨Repensando a Avaliação¨é bem claro na sua introdução quando destaca a necessidade de modernização na área educacional, infelizmente aqui no Brasil ainda falta muito para se atingir um nível satisfatório.
Com relação ao parágrafo Ävaliação da capacidade de resolver problemas, vejo com satisfação o aluno que consegue resolver os problemas de forma holística, sinal que o que viu anteriormente não foi em vão; muito pelo contrário, está colocando em prática o seu conhecimento previamente adquirido, e não que está preparado só para aquele momento.
Na Ävaliação de posturas e desenvolvimento da metacognição, faço ressalvas no tocante as transformações que devem ocorrer em professores que participam de cursos, no meu caso só faço mudanças quando acredito nelas. Já os alunos como bem diz no parágrafo depende da sua prévia experiência, o que hoje em dia é muito difícil.
No sexto parágrafo de Ïnstrumentos de avaliação para a sala de aula¨, o trabalho colaborativo relativo é muito interessante, mas para a nossa realidade por diversos fatores, como por exemplo, o número de alunos por sala, inviabiliza sua aplicabilidade.

Gilssimar/Fernando



O texto ¨Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional¨, segundo projeto do governo federal, equipar todas as escolas com laboratório de informática( e internet)isso já era suficiente em termos de subsídios para colocar os alunos de baixa renda em condições de igualdade com alunos de situações financeira melhor. E, otexto mostra isso em diversos pontos. Da sua escola se tem acesso a todo tipo de informações(jornalística,pesquisa,etc...)e mesmo onde não haja internet, o software, os CD-ROMs ajudam en muito os alunos. Hoje não dá mais para pensar em escola dissociada dos recursos multimídia.



Gilssimar/Fernando

Gilssimar e Fernando disse...

O texto ¨Repensando a Avaliação¨é bem claro na sua introdução quando destaca a necessidade de modernização na área educacional, infelizmente aqui no Brasil ainda falta muito para se atingir um nível satisfatório.
Com relação ao parágrafo Ävaliação da capacidade de resolver problemas, vejo com satisfação o aluno que consegue resolver os problemas de forma holística, sinal que o que viu anteriormente não foi em vão; muito pelo contrário, está colocando em prática o seu conhecimento previamente adquirido, e não que está preparado só para aquele momento.
Na Ävaliação de posturas e desenvolvimento da metacognição, faço ressalvas no tocante as transformações que devem ocorrer em professores que participam de cursos, no meu caso só faço mudanças quando acredito nelas. Já os alunos como bem diz no parágrafo depende da sua prévia experiência, o que hoje em dia é muito difícil.
No sexto parágrafo de Ïnstrumentos de avaliação para a sala de aula¨, o trabalho colaborativo relativo é muito interessante, mas para a nossa realidade por diversos fatores, como por exemplo, o número de alunos por sala, inviabiliza sua aplicabilidade.

Gilssimar/Fernando



O texto ¨Desenvolvimento de materiais multimídia e seu uso no contexto educacional¨, segundo projeto do governo federal, equipar todas as escolas com laboratório de informática( e internet)isso já era suficiente em termos de subsídios para colocar os alunos de baixa renda em condições de igualdade com alunos de situações financeira melhor. E, otexto mostra isso em diversos pontos. Da sua escola se tem acesso a todo tipo de informações(jornalística,pesquisa,etc...)e mesmo onde não haja internet, o software, os CD-ROMs ajudam en muito os alunos. Hoje não dá mais para pensar em escola dissociada dos recursos multimídia.



Gilssimar/Fernando